24 julho, 2017

Los Volks: guarujaenses são novamente destaque na Austrália

Banda guarujaense é listada em ranking semanal da Valley FM 89,5, de Camberra. 

Neste domingo (23), a Los Volks obteve destaque em solo oceânico ao conquistar a 19º colocação no Top 20 semanal da Valley FM 89,5 com a canção Fire. A rádio é proveniente da cidade de Camberra, capital da Austrália. A canção integra o EP Luna, segundo trabalho de estúdio do grupo.

Esta é a segunda vez que os guarujaenses são ranqueados numa emissora do país, sendo que a Los Volks anteriormente chegou ao 3º posto no Top 15 da Banks Radio Australia. Vale lembrar que a banda foi lançada no estrangeiro pelo selo nova-iorquino Fast Factory Records em abril deste ano via coletânea Sound Of A Spark. 

De acordo com Pablo Mello, guitarrista e vocalista do sexteto, “é uma felicidade imensa conseguir um feito como este. É um reconhecimento que faz todo o esforço valer a pena. Agora, esperamos que o público daqui também possa conhecer o nosso material”, afirmou o músico.

Atualmente a Los Volks trabalha nos bastidores da produção de seu próximo videoclipe que tem lançamento previsto para outubro deste ano. Coincidentemente, a faixa escolhida para o audiovisual foi a própria Fire. É possível ouvir a canção nas principais redes de streaming, tais como Spotify (https://goo.gl/MLvsXc), Deezer (https://goo.gl/Q2dzvW), entre outros. A música também está disponível via Youtube (https://goo.gl/8SFoPj).


Contato: bandalosvolks@gmail.com / 13 98193-6725
Instagram: www.instagram.com/losvolks - @losvolks

22 julho, 2017

Insurgentes: banda comemora 10 anos de estrada

A banda de Crossover Thrash de Florianópolis/SC está completando 10 anos de estrada. Há 10 anos o destino reuniu músicos de diversas cidades do Brasil, para viajarem nas infinitas vertentes da música pesada.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas no palco e pessoas tocando instrumentos musicais

Desde 2010, a banda vem produzindo festivais beneficentes, com a produtora Netuno Rock, para arrecadarem donativos destinados à comunidade indígena de SC. No final do ano passado, cobrimos um incrível evento da produtora (confira aqui).

No ano de 2015, a Insurgentes venceu o I Festival de Bandas Autorais de Florianópolis, que rendeu a produção do seu primeiro vídeo, "Karen (Psicometria)".


Para comemorar sua primeira década de atividades musicais, a banda tocará pela primeira vez nos palcos da Cidade Maravilhosa, no Heavy Duty Beer Club, no dia 28 de julho e na In Rock 2, no dia 29 de julho. Além disso, lançarão novo EP em setembro, no Festival Netuno Rock, evento em benefício à comunidade indígena de Santa Catarina e promovido desde 2010, pelo produtor cultural da Netuno Rock, Paulo Eduardo, também baixista da banda. Neste ano, além de comemorar os 10 anos dos Insurgentes, o acontecimento celebrará os 40 anos da cena punk rock mundial e também o jubileu de prata da banda local Eutha. Sem dúvida, O SubSolo se fará presente!

Nos shows no RJ, a banda contará com a parceria da banda friburguense Rock' n Roll Gang, que vem desde 1992 implodindo a cena com suas energizadas e turbinadas versões dos clássicos do rock.

Vida longa à Insurgentes!

ACOMPANHE A INSURGENTES

Topfive: cinco bandas para ouvir neste final de semana #41

O SubSolo traz todos os sábados 5 indicações de bandas para ouvir no final de semana. Nesta edição, resolvemos apresentar bons exemplos do que tem sido feito no sul do Brasil em termos de Thrash Metal. Coloca o volume no máximo e confere essa lista:



01) Juggernaut - Joinville/SC

Diretamente da cidade mais populosa de Santa Catarina, Cícero Konig Finger (vocal), Célio Trombelli Jr. (guitarra), Valdecir Valda (baixo) e Alefer Reinert (bateria) formam a Juggernaut. A banda iniciou seus trabalhos em 2005, na cidade de Blumenau e a proposta era fazer um Thrash Metal (com influências de Death, Sadus e Destruction), mas mantendo-se afastado de clichês e também fundindo elementos de Metal e Rock Progressivo de bandas como Dream Theater, Marillion e Rush. Para nomear a banda, foi escolhido o nome "Juggernaut", o que significa uma grande destruição em massa, que se encaixa exatamente com a proposta: fazer Thrash Metal rápido, pesado e muito técnico. A banda lançou em 2005 a demo "Juggernaut" com três faixas e em 2006 seu debut album "Lines of the Edge" com 10 faixas, ambos muito bem recebidos pela mídia. Em 2011, a banda lançou o "Ground Zero Conflict", trazendo uma banda totalmente nova, mais madura e profissional. Confira este último, na íntegra:



02) Skombrus - São José/SC

A banda, formada por Luis Henrique (guitarra e vocal), Ronaldo (baixo), Luis (bateria) e Robson (guitarra), já possui em sua discografia a demo "Soco na Cara" (2012), a demo "Crack Massacre" (2014) e mais recentemente o seu debut album "Betrayal of the Breed" (2017), que logo terá resenha aqui no blog. Sob influências diversas, que vão desde o Thrash Metal tradicional de bandas como Slayer, Exodus, Sepultura, Testament, Korzus e Kreator; o Hardcore puro de bandas como The Exploited e The Varukers; o Crossover de DRI, SOD, Excel e RDP, a Skombrus faz um som rápido, pesado, agressivo e com bruscas mudanças de tempo.




03) Vultorn - Curitibanos/SC

O trio é formado por Luciano Magagnin (vocal e guitarra), Julia Goetten Wagner (baixo) e Rubens Toscan (bateria). Conheci a Vultorn num festival em 2015 e as músicas "Call for War", “The Ripper (Is Closer Than You Thought)” e principalmente "Hematophagus" (seu último lançamento) não saem da minha playlist. O nome da banda é uma mistura da palavra em português "vulto" e a inglesa "torn", que refere-se a algo que rasga, estraçalha, despedaça. De acordo com Luciano, “um vulto que destrói abstratamente, horroriza; o mal humano”. Em geral, as composições ressaltam temas como a anti-religião, a decadência humana e os horrores da guerra, tudo isso sob um instrumental brutal, que relembra as bandas alemãs de Metal Extremo. Vale muito a pena conferir! 


04) Distraught - Porto Alegre/RS

A banda é formada por André Meyer (vocal),  Alan Holz (baixo), Everton Acosta (guitarra), Ricardo Silveira (guitarra) e Marcelo Azevedo (bateria). Distraught surgiu em fevereiro de 1990 e desde então acumulou uma grande discografia: debut album "Infinite Abyssal" (2001), "Live Black Jack - SP" (2002), "Behind the Veil" (2004), "Unnatural Display Of Art" (2009). Este último conta com a participação especial do guitarrita Diego Kasper (Hibria) e dos vocalistas Clark (Unmaker) e Flávio Soares (Leviaethan). Em 2011, lançou o álbum "The Human Negligence is Repugnant", que recebeu excelentes críticas. Mais recentemente a banda lançou o álbum "Locked Forever", o mais pesado da trajetória, tanto em termos de música, como de temática: manicômios e o sistema prisional brasileiro. Se você é fã de Thrash Metal, precisa conhecer a Distraught!


05) Krucipha - Curitiba/PR

Formada por Fabiano Guolo (vocal e guitarra), Luis Ferraz (guitarra solo e vocal), Khaoe Rocha (baixo e vocal), Felipe Nester (bateria) e Nicholas Pedroso (percussão), a banda traz em sua sonoridade um Thrash Metal visceral mesclado com influências de Death Metal, Groove Metal, Hardcore NY e uma pitada brasileira que faz menções à Chico Science e Nação Zumbi. Em 2010, a banda lançou online o EP "Preemptive Uproars" e em 2014, lançou seu debut album intitulado "Hindsight Square One", que conta com 5 faixas inéditas e as 3 previamente lançadas no EP de 2010. O álbum traz em suas letras temas atuais como os dilemas e paradoxos da vida moderna, alienações, conflitos pessoais, manipulação em massa e a incompatibilidade da sociedade em geral. Atualmente a banda trabalha no seu segundo CD, intitulado "Inhuman Nature". Confira uma faixa inédita lançada recentemente:




ACOMPANHE AS BANDAS


21 julho, 2017

Resenha: Anguere - "Cadeia" (2017)

Anguere é uma banda de Rio Claro (SP). Os caras apresentam um HC pesadíssimo com letras em português. O resultado do bom trabalho será concretizado na turnê sul americana que iniciará em novembro, percorrendo o Equador, o Peru e a Bolívia. Recentemente a banda lançou seu EP "Cadeia", que vem com três músicas. O trabalho foi gravado, mixado e masterizado por Thiago Zepon e produzido pelos próprios integrantes da banda.





Escutando o EP, desde o primeiro segundo já dá para notar o peso musical. As letras são tão fortes quanto a música, deixando evidente que Anguere não tem medo de usar as palavras. A primeira faixa "Barricada" tem alternações de ritmo bem interessantes. Sabe aquele momento que é inevitável a vontade de bater cabeça ou armar um mosh pit? Pois é, essa música certamente é responsável por enlouquecer o público em um show.


A segunda música "Cadeia" fala sobre superlotação,  sangue, rebelião e violência. Algumas acelerações durante a música com a bateria bem marcada dão um toque todo especial. 

O terceiro som é "N.O.I.A." (Ninguém Olha para Indivíduos Atormentados). A composição é tão veloz e enlouquecedora quantos as demais. 

Alguns trechos tem uma pegada que lembra Metal extremo. É o tipo de som capaz de agradar fãs de diferentes vertentes. O EP "Cadeia" tem apenas 3 músicas e 7 minutos de duração, deixando aquela vontade de escutar mais. Os demais trabalhos da banda são tão bons quanto os apresentados em "Cadeia", sempre trazendo questões políticas e sociais às letras. Anguere é uma ótima indicação para quem curte som pauleira! 




TRACKLIST
01- Barricada
02- Cadeia
03- N.O.I.A 
(Ninguém Olha para Indivíduos Atormentados)


FORMAÇÃO 
Thiago Soares - Vocal
Cleber Roccon - Guitarra
Adriano R. Prado - Bateria


Curta outros sons de Anguere no 
SOUNDCLOUD
BANDCAMP
YOUTUBE

20 julho, 2017

Dark Avenger: ‘The Beloved Bones: Hell’ está oficialmente lançado!

Está lançado de forma oficial um dos trabalhos mais aguardados do ano no Brasil: novo álbum do DARK AVENGER, ‘The Beloved Bones: Hell’.


O álbum, quarto full da carreira do grupo, é sem dúvida seu mais ambicioso projeto até o momento, levando o ouvinte em uma jornada para dentro do EU, em um embate entre o emocional e racional, passando por onze estágios mentais de quem atravessa um período de insatisfação e infelicidade. “‘The Beloved Bones: Hell’ é para quem não tem medo da vida… da própria vida… e a encara de frente. É para quem se orgulha da própria existência e busca vivê-la em plena lucidez!” comenta o vocalista Mário Linhares.

O disco já pode ser comprado com exclusividade pelo e-mail talktodark@gmail.com e na loja da Die Hard pelo link https://goo.gl/h7o5s3

Todo o conceito do disco foi por Mário Linhares e composições do cantor e dos guitarristas Glauber Oliveira e Hugo Santiago. Glauber assina toda a produção do álbum, da gravação e mixagem, que foram realizadas no Asylum Studios, em Brasília/DF. A masterização ficou a cargo do sueco Tony Lindgren. A arte da capa ficou a nas mãos do artista francês Bernard Bitler.



‘The Beloved Bones: Hell’ conta com onze músicas e cada uma fala de um estágio mental, confira o tracklist:

1. The Beloved Bones (Inconsciência)
2. Smile Back To Me (Negação)
3. King For A Moment (Fuga)
4. This Loathsome Carcass (Vitimização)
5. Parasite (Revolta)
6. Breaking Up Again (Súplica)
7. Empowerment (Reflexão)
8. Nihil Mind (Equilíbrio)
9. Purple Letter (Coragem)
10. Sola Mors Liberat (Decisão)
11. When Shadow Falls (Liberdade)

O primeiro single também está disponível. Trata-se de um lyric vídeo para a faixa-título, confira:


Um show para celebrar o lançamento do álbum em São Paulo foi anunciado. O evento acontece no dia 30 de setembro, no Clash Club. Os ingressos antecipados já estão à venda, saiba mais pelo link: https://www.facebook.com/events/199980260527776/

Contato: talktodark@gmail.com

Sites relacionados:
www.facebook.com/darkavengerofficial
www.metalmedia.com.br/darkavenger

Fonte: Metal Media

Don Capone: "Corpo Fechado" é o novo disco dos catarinenses

Após conquistarem o Sul do país com os discos "Oficina do Diabo" lançado em 2008 e o "Locomotiva" lançado em 2012, a Don Capone tinha anunciado que um novo trabalho chegaria em 2017 e foi nessa segunda-feira (17) que então o tão esperado "Corpo Fechado" tomou forma e foi divulgado em todas as redes sociais, sendo disponibilizado em Spotify, Youtube e Facebook.



O novo disco marca uma nova era que se inicia, com a nova formação, a Don Capone anunciava que "Corpo Fechado" seria talvez o disco mais pesado do grupo, com pitadas de outras vertentes do Rock e que mesmo sem desconfigurar a característica principal da banda, viria a ser algo mais moderno, ágil e com mais ferocidade. 

Para a comemoração do lançamento, foi divulgado também o lançamento ao vivo do mesmo, no próximo sábado (22) a banda tocará junto das bandas Elton Jones e Balthazar em um das mais tradicionais casas catarinenses de Rock, no Ventuno Pub em Urussanga/SC, cidade que fica a poucos quilômetros da terra natal da Don Capone (Orleans/SC).



Link do evento para maiores informações; 




Sobre a Don Capone

"O caldeirão é mesmo quente, mas o tinhoso não mora aqui. Infernais são as guitarras em carne viva, o vocal potente e o ritmo acelerado das canções, ganchudas e ardidas como um bom bourbon."

Foi assim que o jornalista catarinense Rubens Herbst definiu a sonoridade da Don Capone, o quinteto de Orleans, pequena cidade situada ao sul de Santa Catarina, encantou a imprensa especializada em Rock/Metal com o lançamento dos seus primeiros discos. A batalha não é de hoje, vem desde 2004 com a própria banda autogerindo a carreira, carregando dentro do seu isopor canções de flerte com o Rock, mesclando com o Blues e junto dessa mescla, mistura histórias que só uma madrugada ébria habitual nos trás.


Links Relacionados;

ttps://www.facebook.com/doncaponerock
ttps://www.youtube.com/doncaponerock


19 julho, 2017

Matanza Fest: de volta a São Paulo e trazendo Marco Donida ao palco do Tropical Butantã

Uma das maiores bandas do rock brasileiro nos últimos anos está voltando para São Paulo. E não vem sozinha. O Matanza, liderado pelo vocalista Jimmy London, completa 20 anos de estrada e realiza a sétima edição de seu festival independente, o Matanza Fest, no próximo dia 22 de julho, no Tropical Butantã. Grandes nomes do rock foram convidados e serão os responsáveis por esquentar o público paulista, como os veteranos da Inocentes, os punkers da Muzzarelas e os metaleiros da Hatefulmurder. Como se tudo isso já não bastasse para tornar o evento eletrizante, eis que o compositor, ilustrador e guitarrista de estúdio do Matanza, Marco Donida, também estará presente mostrando todo seu talento no palco. Os ingressos podem ser adquiridos através do link https://goo.gl/XweKKq.



O Fest visa fomentar a cena do rock nacional juntando bandas da nova geração com as que fizeram história no meio. Nesta edição, os cariocas da Hatefulmurder serão o grupo com menor tempo em atividade - nove anos – a se apresentar. Para o baterista Renan Campos, a participação é sempre um privilégio. “Vamos participar pela terceira vez e para nós é uma honra dividir palco com lendas. É muito interessante a mistura de gerações que o evento proporciona e quem ganha é o público. Que venham mais vinte anos de atividade para nossos brothers do Matanza”. Já a intérprete Angélica Burns destaca a importância do festival: “O Matanza é pioneiro no fortalecimento da cena como um todo e cede um espaço importante para outros músicos. É uma iniciativa admirável”, elogia.

Jimmy London explica o intuito do festival e revela que poderia ser mais um no meio do público se não estivesse trabalhando. “O Matanza Fest é quando podemos botar para fora a nossa ideia de uma noite ideal. É assim que imaginamos como seria o show que queremos ir. Eu estaria no meio da galera ‘amarradão’ se não tivesse que trabalhar. São bandas muito boas, cascudas e com performances intensas para caralho. É a mais plena e pura festa do Matanza”, afirma.

Os camisas pretas de São Paulo já sabem onde encontrar a boa e velha farra no dia 22 de julho. O nível de insanidade será extremo, a noite será composta por barulho, bebedeira, rock n’roll e muita “bateção” de cabeça no Tropical Butantã. “Quando o Matanza se apresenta como quinteto, as paredes do inferno tremem. A ideia é fazer barulho até o grande abismo se abrir e engolir todos nós. Por isso, a rapaziada não pode perder! Vai ser muito divertido”, avisa Marco Donida.

Sobre o Matanza
Criada em 1997, no Rio de Janeiro, a banda de rock pesado Matanza é uma das mais bem-conceituadas e respeitadas no cenário nacional. Com seu estilo único de fazer música, o quinteto formado por Jimmy London (vocal), Mauricio Nogueira (guitarra), Jonas Cáffaro (bateria), Dony Escobar (contrabaixo) e Marco Donida (guitarra) já se apresentou em mais de cem cidades brasileiras e em grandes festivais, como o Sepulfest (2004), o Rock In Rio (2011), a Virada Cultural (2016) e o Lollapalooza Brasil (2016), por exemplo.

No Brasil, o Matanza é pioneiro do estilo “countrycore”, que mistura o country norte-americano à energia e intensidade do hardcore, com pitadas de thrash metal e o folk irlandês. Sempre com letras bem-humoradas, o grupo conta histórias de bebedeiras, ressacas e brigas de bar em sua maioria, porém também faz críticas sociais em músicas como “Orgulho e Cinismo” e “Odiosa Natureza Humana”.

O Matanza já atraiu mais de 45 milhões de views em seus vídeos oficiais no Youtube, possui cerca de 46 mil seguidores no Twitter, 34 mil no Instagram e mais de meio milhão no Facebook. Em dezembro de 2012, foi criado e produzido pelos próprios integrantes, o Matanza Fest. Ao todo o festival já foi realizado seis vezes e a cidade de São Paulo foi eleita para sediar a sétima edição.
 
SERVIÇO:
Dia: Sábado, 22/07/2017
Horário: 21h às 04h
Local: Tropical Butantã
Tel: (11) 3031-0393
Endereço: Avenida Valdemar Ferreira, 93, próximo ao metrô Butantã - São Paulo, SP
Classificação etária: 18 anos
Pontos de venda de ingressos:
Bilheteria do Tropical Butantã – Avenida Valdemar Ferreira, 93
Tel: (11) 3031-0393
Ou através do link: https://goo.gl/XweKKq




VALORES:
2° lote - Inteira: R$ 100,00
2° lote - meia-entrada: R$ 50,00
2° lote - promocional (levando 1 kg de alimento não perecível, exceto sal e açúcar): R$ 50,00
1° lote – Upgrade Open Bar (não dá acesso ao evento e deve ser comprado separadamente do ingresso. O Upgrade inclui acesso aos camarotes e open bar de cerveja Matanza, refrigerante e água): R$ 100,00

18 julho, 2017

Fearless Woman: banda apresenta música inédita no programa Tenda

A Fearless Woman (confira a entrevista exclusiva aqui) de Curitiba/PR apresentou sua música inédita "Guerreira Destemida" ao vivo no programa Tenda, gravado no Studio Tenda em Curitiba/PR.

Com trechos como "Eu sou guerreira destemida, minha arena é a vida", a música homenageia todas as mulheres guerreiras e é continuidade do projeto da banda, que conta o lançamento recente de seu EP intitulado "Volúpia".  

Formada por Juliana Silveira (vocalista e guitarrista), Marcele Faret (guitarrista), Laura Castegnaro (baixista) e Juli Igna (baterista), a banda se originou em 2015, a partir da reunião de três integrantes da extinta Banda Pompéia, presente no cenário musical curitibano de 2000 a 2008. A partir da entrada da Laura (baixista), o som ficou mais pesado e o objetivo é, então, fazer um som simples e direto, mesclando o Rock 'n' Roll, o Hard Rock e o Heavy Metal. 

A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas em pé e noite
CONFIRA O VÍDEO DE GUERREIRA DESTEMIDA AQUI!

ACOMPANHE A BANDA




Profasia: antiga Rock Roach apresenta novidades

O mês de julho foi de muitas novidades para a Rock Roach, banda de Rock autoral de São José/SC! A primeira delas é que agora a banda passa a se chamar Profasia, que, segundo as integrantes, se encaixa mais com o que pretendem passar com suas músicas: 
PRÓ: A favor. Em defesa.
FASIA: Expressão. Declaração.

Essas duas palavras juntas repassam aquilo que a banda acredita: o direito de se expressar, se comunicar, ter voz ativa, lutar pelos nossos direitos, por melhorias, por respeito, por igualdade, pelos esquecidos, pelas mulheres, pela diversidade! Profasia remete à resistência!

É importante ressaltar que a banda continua com a mesma formação: Mariana Duarte (vocal), Kamila Mariano (guitarra), Lidiane Felisbino (baixo), Moniky Hoffmann (bateria). 

A segunda novidade é o lançamento de seu EP intitulado "Liberdade" no dia 06/07. O EP apresenta 5 faixas e está disponível em 4 plataformas diferentes. O trabalho dessas mulheres está incrível! Não deixe de conferir.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

TRACKLIST
01. Intro
02. Hipocrisia
03. Utopia
04. Trabalho Sujo
05. Nós

ACOMPANHE A BANDA

OUÇA O EP "Liberdade"

17 julho, 2017

Conheça: Skinner (Horizontina/RS)

Foi em 2012 que o Rock gaúcho que mesmo cheio de grande talentos, ganhou mais um, dessa vez uma banda destinada a trazer o Pop Punk/Hardcore aos ouvidos do publico sulista, Skinner foi formada em Horizontina/RS.



No ano de 2015, o grupo teve um grande alcance com o lançamento do single "Horipa City", sendo tocada em várias rádios do Brasil, o que resultou em bons convites para se apresentar em festivais da região.

Nesse ano de 2017, foi lançado o disco "Made in Terior". Mesclando bom humor e sarcasmo o primeiro disco chega com diversas referencias a lugares e ao estilo de vida do interior do Rio Grande do Sul, fora essas obras autorais, a banda faz versões de personagens presentes em sua formação como músicos, como Blink 182 e Green Day, tendo preparado inclusive, repertórios tributos destes, pois nacionalmente, as bandas que movem a Skinner são: Cpm 22 e Raimundos.

FORMAÇÃO

Ritchie H. Martens - guitarra e vocal principal
Leonardo Gehres - guitarra e vozes de apoio
Paulo Geovani - baixo
João Oliveira - bateria


SIGA SKINNER

16 julho, 2017

Resenha: Tudo Pelo Social - Morenas Azuis (2016)

Pela primeira vez, resenho uma sequencia de discos de um mesmo artista independente. Hoje sou assumidamente fã do trabalho do Morenas Azuis, acreditando que pequenos detalhes ainda são salvos pela capacidade do trio mais doido de Brusque, Santa Catarina. Depois de ter resenhado o primeiro disco lançado pelos catarinenses, o autointitulado "Morenas Azuis" lançado em 2014, procurei dar um tempo para ouvir com calma o "Tudo Pelo Social" lançado dois anos mais tarde.




Por mais que o nome da banda já seja uma analogia a Ramones, podemos esperar um verdadeiro Punk enraizado nas músicas do trio, porém vejo muito mais influências do que apenas Ramones, vejo pitadas de Pennywise, Descendents, Face to Face e outras bandas clássicas de Punk. Morenas Azuis também investem em ótimos refrões, estes soando chiclete em algumas vezes pela métrica usada que fica na cabeça, fazendo assim cantarolar a música sem querer, quase que automático.

A banda que é formada por Lucas Rhuan na guitarra e vocal, Fabio Pio, baixo e vocal e Renan Whust bateria e vocais de apoio, tem uma sintonia forte o que para uma boa banda é necessário o mínimo disso. Por mero olhares os caras se entendem e os ensaios fulminantes trazem ótimos resultados. A facilidade de composição é impressionante, o trio sabe como compor e compõem juntos todo o trabalho. A banda tem uma logística muito afiada, caixinha da banda onde os membros depositam um valor x para emergências, ensaios e investimentos, sendo que foi assim que conseguiram gravar videoclipes e os dois discos, lembrando, ambos discos gravados em Porto Alegre.




"Tudo Pelo Social" traz inovações, como participações de trompetes, trombones e também participações em backing vocais. Nos trombones foi convidado o músico, Paulo Jaske Junior, que participou das músicas: "Gente", "Círculos" e "Anseios", sendo que nessas faixas também teve a participação de Alex Sandro Cezar com os trompetes. A musicista July Siebert participou em "Cuidado" enquanto Otto Branco participou em "Quem Sou?" e Christian Starhan Silveira em "Gente" todos estes participações em backing vocals. Particularmente, gosto muito de participações, acho que abrilhanta o trabalho e só tem a agregar, são tipo de coisas que não alteram a sonoridade apenas tem a somar e dar outro destaque as músicas, trazendo uma opinião/visão de fora e conseguindo conduzir junto da banda uma melhor performance das músicas, esse disco é um dos meus favoritos que conheci esse ano.

 TRACKLIST
01 - Quem sou?
02 - Gente
03 - Círculos
04 - Medo de Mim
05 - O que?
06 - Vai a vida
07 - Pátria armada
08 - Anseios

09 - Cuidado

FORMAÇÃO
Fabio Pio - baixo e vocal
Lucas Rhuan - guitarra e vocal
Renan Wust - bateria

SIGA MORENAS AZUIS
FACEBOOK / YOUTUBE

14 julho, 2017

Resenha: Vista do Jogo - No Gracias (2017)

A dificuldade no mundo musical não é dos tempos de hoje, antigamente muitas bandas tiveram tempos de vacas magras. Muitos estufam o peito e apontam dificuldades nos dias atuais, mas a verdade que anos atrás o cenário não era tão diferente, por mais que fosse sim mais forte que os dias atuais, muitas bandas ainda sofriam para se garantirem em pé, esse é o caso da No Gracias. A banda formada em 2007 entrou em hiato anos após e só voltou aos palcos em 2013, com a formação desfalcada que viria a ser ocupada apresentações após quando o baixista Igor Lopes viu uma apresentação do grupo, que tocava sem baixista por falta de um, eis então que assumiu o "cargo".



No ano passado o grupo lançou um EP chamado "2016" que assim como o "Vista do Jogo" teve quatro músicas, o "2016" foi produzido pelo produtor gaúcho Egisto Dal Santo. No ano seguinte, o agora EP de 2017 tem nome, "Vista do Jogo" foi lançado em março deste ano, foi mixado e masterizado no estúdio Hurricane e produzido por Sebastian Carsin. Todo o trabalho traz a banda revigorada, expandindo ainda mais a sua sonoridade, que traz características próprias, mas com uma pegada diferente do que já foi apresentado. O "Vista do Jogo" é encontrado em todas as plataformas digitais disponíveis na internet e agora também em versão física, que pode ser adquirida com os integrantes do grupo ou em suas redes sociais oficiais.

Falando do EP em um todo, a banda tem uma boa pegada, principalmente nos refrões. os vocais pegados com métrica alucinante que crava na cabeça pela forma como ela se constrói em meio ao instrumental, sem se sobrepor acima de nada, tudo em seu devido lugar sendo audível igualmente. A primeira faixa é "Vistas", uma pegada mais Stoner e em certos momentos uma pegada que lembra também o Grunge, difícil rotular ou simplesmente definir, tem uma miscelânea de vertentes e boas quebradas até chegar ao refrão. A segunda faixa é "Do Jogo" que tem influências do Funk californiano, algo semelhante a Red Hot Chili Peppers, onde o baixo tem um papel mais importante do que outros instrumentos, pois ele é quem da o ritmo, dando a introdução e sendo a base principal da construção da música inteira. A terceira faixa vem forte com "2016", logo na introdução um riff matador e chiclete, que já prende quem ouve com a curiosidade de saber o que vem a seguir e o que vem é o que vimos até agora, boas músicas, fortes e de boas métricas. Finalizando com chave de ouro, a faixa responsável por encerrar o EP é a "Globotomia", essa talvez mostra um lado mais Reggae 'n Roll da banda, pois inicia com um groove voltado a música jamaicana e logo emenda um Rock 'n Roll rápido e técnico, sendo que a musica tem míseros um minuto e trinta e três segundos e assim fecham o trabalho de forma objetiva, rápida e eficaz.



Para um trabalho curto como é um EP, a banda conseguiu demonstrar maturidade e boas composições. Junto dessas opiniões positivas, o grupo apresentou um leque de influências que desde o Reggae vai até o Heavy Metal clássico, sem deixar a desejar em momento algum, gostei da forma como as música são executadas, de forma alguma se tornaram massantes ou deixaram a impressão de que era para "encher linguiça". Tudo soa naturalmente entre as músicas, desde vocal até mínimos detalhes instrumental, as guitarras se completam e não engolem uma a outra, o baixo consegue dar uma consistência absurda e não deixa lacunas a mostra, a bateria não tem nada de exageros, eu particularmente, gosto muito de linhas de bateria assim, menos é mais.

Material recebido pela Insanity Records.

TRACKLIST
01 - Vistas
02 - Do Jogo
03 - 2016
04 - Globotomia

SIGA NO GRACIAS
FACEBOOK / YOUTUBE

13 julho, 2017

Desalmado e Surra se reúnem em turnê

Desalmado e Surra, duas grandes potências da música extrema nacional, uniram forças para a turnê conjunta Reação e Resistência 2017 que passará por 14 cidades de São Paulo a partir de julho.


Desalmado promete levar na bagagem seus 13 anos de experiência no grindcore e o Surra, com cinco anos de estrada, apresentará o peso do thrashpunk a partir de 1 de julho, em Piracicaba.

Surra continua a promover o álbum ‘Tamo na Merda’ (2016) e Desalmando prepara caminho para lançar um novo disco de inéditas previsto para o segundo semestre deste ano. A banda incluirá no repertório uma das músicas novas e continua a divulgação do mais recente ‘In Grind We Trust’ (2016) após recente passagem pela Europa.



Desalmado – Hidra



Surra – Tamo na Merda



Confira as datas da Reação e Resistência 2017:

01/7 – Piracicaba/SP
02/7 – São Paulo/SP
07/7 – São Caetano do Sul/SP
08/7 – Guarujá/SP
09/7 – Cubatão/SP
14/7 – Osasco/SP
15/7 – Itapetininga/SP
16/7 – São José dos Campos/SP
21/7 – Santo André/SP
22/7 – Rancharia/SP
23/7 – Rio Claro/SP
28/7 – Sorocaba/SP
29/7 – Jandira/SP
30/7 – Campinas/SP



Links relacionados:
www.desalmado.com
facebook.com/surrahardcore
www.agencia1a1.com.br

Dysnomia: clipe de "Proselyte" marca o primeiro álbum da banda

Dysnomia é uma banda de Thrash/Death Metal, surgida em 2006 na cidade de São Carlos (SP). O nome Dysnomia vem de uma divindade grega, a qual remete o conceito de desobediência civil. Os integrantes são: João Jorge (guitarra e vocal), Fabrício Pereira (guitarra), Denilson Sarvo (baixo), Érik Robert (bateria).


A música ‘Proselyte’ é faixa título do álbum lançado pela banda no ano de 2016. Esse disco, que é o primeiro da carreira da Dysnomia, está rolando no Brasil e também no exterior. 

Recentemente foi lançado o videoclipe muito bem produzido de ‘Proselyte’, que mostra a banda tocando esse som simplesmente destruidor!

Confira aqui todo o peso musical de Dysnomia:


Curta Dysnomia no



12 julho, 2017

Atlante: banda se apresenta gratuitamente em comemoração ao Dia Mundial do Rock, em Santos


Santos e o rock sempre andaram lado a lado e são responsáveis por diversos talentos que foram além da região e fizeram todo o Brasil pular. Em comemoração a essa rica cultura, a banda Atlante se apresenta gratuitamente neste domingo (16), na Arena Santos (Rua Rangel Pestana, 184), às 14horas.

O show faz parte da celebração municipal do Dia Mundial do Rock, na quinta-feira (13), e contará com a presença de outros talentos da região, incluindo as bandas Detoni, Sinera, Kebek e SURR.

Novo Horizonte
O show faz parte da divulgação do projeto de estreia dabandaAtlante, o EP ‘Novo Horizonte’, lançado em dezembro de 2016, que aborda uma série de assuntos, como os problemas políticos em nosso país e principalmente os sonhos e objetivos que surgem como combustível para que a banda busque cada vez mais viver a música. ‘Novo Horizonte’ está disponível no iTunes, Spotify,Deezer, Google Play e Youtube.

Por: MAG Comunicação

Gabi e Os Supersônicos: lançado o videoclipe de "Camomila"

Banda Gabi e Os Supersônicos tem se destacado na cena independente em São Paulo



Liberdade Musical, misturas rítmicas, energia de palco, letras profundas e arranjos trabalhados é o que resume bem a banda Gabi e Os Supersônicos. Desde o lançamento seu EP homônimo, Agosto de 2016, a banda foi muito bem recebida no cenário Indie Brasileiro não só pelo público e bandas como pela imprensa, tendo alguns destaques como abrir shows de headlines como como Fresno, Scalene, Esteban, Sala Espacial, A banda mais bonita da cidade e Zimbra. E ainda, revelada ao final de 2016 como uma das grandes promessas para 2017 pelo programa “Leitura Dinâmica” da Rede Tv, além de ter dois singles veiculados pela 89FM, Baião D’ajuda e Camomila, devido a vitória no festival "Peneira Heavy Pero No Mucho".

Na segunda-feira, 10 de julho, a banda lança o Clipe de “Camomila”, nova música de trabalho que já toca na programação da 89fm, no programa Heavy Pero No Mucho. O curta apresenta a vocalista em momentos de perturbação ao enfrentar a insônia, os outros membros da banda aparecem atuando de diversas maneiras fazendo parte dessa perturbação. Também conferimos a energia da banda tocando em um dos estúdios mais renomados “Na CENA”. A direção é de Priscilla Rocha, Geração Y Produções,  e tem produção da banda em parceria com Izzy Massei, a captação e a edição ficaram por conta de Rodolfo Martins.


Assista o videoclipe:



A banda também está em processo de gravação de duas músicas com previsão de lançamento para o segundo semestre.

Gabi e Os Supersônicos são: Breno De Oliveira, guitarra/backing vocals, Gabriela Albuquerque, vocal/violão/Percussão, Paulo Navarro, Bateria/Percussão e Rafael Nascimento, Baixo/backing vocals. 

Links e contatos:
Contato para shows: contato@gabieossupersonicos.com.br
Contato para imprensa: assessoria@geracaoy.net

11 julho, 2017

Decolle: nova música com pegada Punk é lançada, ouça "Nunca é menos"

Decolle foi formada em 2014, com influências do Pop Rock nacional, lançou alguns singles que antecedem ao disco "Sulista".



A banda ficou conhecida e caracterizada com uma pegada Pop Rock que lembra Engenheiros do Hawaii, porém na verdade, é que pulsam na veia dos compositores do grupo influências da fase Punk, como o inicio do Legião Urbana, mais precisamente falando, influências do Aborto Elétrico.

Neste último domingo (9), foi lançada a música "Nada é menos" no canal oficial do YouTube da banda, uma música que protesta a alienação que a televisão, jornais e imprensa em geral utiliza de meios de "inverdades" para colher publico.

OUÇA AGORA "NUNCA É MENOS"




Roks: nova música é lançada com participação de Sérgio Britto do Titãs

Roks é uma banda formada em Julho de 2015, essa é a data que começaram sua jornada pela estrada do mundo afora. Composta por Ivan Sader nos vocais, Fred Gonçalves na guitarra e Rodrigo Thurler na bateria, são considerados músicos experientes do cenário musical, sendo que já trabalharam com grandes artistas do Brasil todo.




Em pouco tempo de estrada a Roks passou por muitos estados brasileiros, tocando com grandes nomes da música nacional e também os músicos já realizaram turnês fora od Brasil, como Estados Unidos e Argentina. A banda está em processo de gravação, nessa primeira etapa a banda chega a oito músicas, sendo seis delas autorais, uma versão de "Hoje eu só quero sair só" do Lenine e uma parceria recente com Sérgio Britto do Titãs em "Mentiras", essa última que você pode ouvir e assistir agora:



SIGA ROKS

Postagens mais antigas → Página inicial