Topfive: cinco bandas para ouvir neste final de semana #130

Hoje apresento um Top Five jamais visto igual pelo Subsolo. Hoje vamos alinhar a prática do esporte com as bandas que alimentam os ouvidos dos atletas a quebrarem suas barreiras físicas. Lembrando que música e a prática do esporte andam alinhadas tanto na questão emocional quanto na saúde física e mental. Aproveitando então a musicalidade, retrato junto imagens de esportes que tive o privilégio de fotografar, e assim, envolver uma amostra de imagens com sonoridades deste Brasil.

O SUBSOLO - TOPFIVE#130


01) 88 NÃO! - Punk - Mauá/SP

A banda é do interior de São Paulo, apresenta letras cantadas com força e raça assim como a vida de quem vive no subúrbio. Fãs de futebol, combinam ainda mais com a minha primeira foto, que relata a final do Citadino de Campo Livre de Cruz Alta. Estádio cheio, torcida vibrando, o grito de gol travado até os 30 minutos do segundo tempo, depois do resultado feito, foi torcida invadindo o gramado, criança no colo do pai atleta, que nos dias de semana, trabalha como um mero funcionário na cidade, porém naquele momento com seu filho, a emoção e o sentimento gritou mais alto. Futebol de várzea. Na foto, o momento máximo do futebol, o gol.




02) Tamborellos - Street Punk - Porto Alegre/RS

Banda porto-alegrense sempre é bem vinda no recinto, e fundada recentemente, em 2007 os caras só desenvolvem ainda mais e melhoram sua sonoridade que inclusive, trago aqui, um som de uma coletânea que circula pelos EUA. Assim como o Punk, sonoridade soco na cara, aproveito para uma foto a respeito do torneio da Federação Gaúcha de Boxe na FENATRIGO 2019. Noite agradável, público em peso presenciou grandes lutas, e o Boxe registrado em momentos decisivos assim como o nosso rock underground que assume a causa e canta músicas sobre a política atual e momentos da vida do brasileiro. Até quando vamos aguentar apanhar sem revidar?



03) Peixes Voadores - Rock And Roll - Santa Rosa/RS

Grandes conhecidos do Subsolo, a Peixes Voadores traz consigo um som enraizado entre o Rock e o Stoner, e atualmente trabalham em seu próximo disco. Uma de suas músicas combina muito bem com a próxima foto. O clipe apresenta lutadores, mas que obviamente treinam e estudam seu adversário, nenhum golpe é desferido em vão, e com a letra falando sobre guerra e estratégias, o Xadrez se enquadra muito bem. Aqui uma foto pelo JERGS 2019.




04)Dead Fish - Hardcore - Vitória/ES

A banda é das antigas, formados em 1991 este grupo é exemplo exímio de persistência e luta na cena underground, conquistando todo dia seu espaço no Rock nacional. A música dá mais força, uma letra que impulsiona assim como é o basquete, o esporte que considero ainda underground no Brasil, que aos poucos ganha transmissão na TV e espaço nas mídias, já que todos falam da NBA, mas já da NBB, nossa liga nacional, poucos assistem. Mas aos poucos isso está mudando e melhorando o retorno do esporte. Na foto, JERGS fase municipal e a disputa pelo ponto.



05) VENUZ - Rock - Rio de Janeiro/RJ

Banda formada por mulheres e que não aceitam o segundo lugar. O grupo aborda em suas letras engajadas o cotidiano das mulheres, falando sobre desigualdade de gênero e liberdade. Bem como diz sua biografia do Facebook, não preciso de mais nada para acompanhar a próxima foto, que repete então sua presença no evento de Boxe, porém sobre a única luta feminina da noite.



Bom, sou Wendell Pivetta e atuo na assessoria da Secretaria de Esportes e Lazer de Cruz Alta, para os álbuns completos, as fotos estão na página do Facebook da secretaria. Procurei mesclar música e estas fotos que são importantes na minha jornada de jornalista, cada vez mais voltada no esporte.



Topfive: bandas que cantam em Português #11

Após o recorde de acessos e comentários a respeito deste Topfive, resolvemos apresentar novamente cinco bandas que ainda lutam pela música cantada em nossa língua pátria. Admiramos o Rock/Metal cantado em todas as línguas, mas prezamos muito por quem ainda luta pela música cantada em nossa língua, portanto, preparamos mais uma lista com cinco indicações, confira:




01) Cosmogonia - Hardcore/Punk - Osasco/SP

Cosmogonia é uma banda formada em 1993 por Elisangela Souza e Renata Tolli, sendo uma das bandas pioneiras do cenário Riot Grrrl no Brasil. Entre os anos de 1998 e 2006, a banda gravou alguns singles e participou de várias coletâneas. Após um hiato que durou até 2017, três integrantes se reencontram e decidem reviver a banda, que recentemente lançou seu EP "Reviva!" lançado no dia das mulheres, ouça!



02)
Burnkill - Thrash Metal - Pouso Alegre/MG

Uma das bandas que mais lutas no cenário, com certeza é a BurnKill. Thrash Metal cantando em Português e com excelência, sempre presente nas principais coletâneas e listas dos maiores veículos sobre a música pesada no Brasil. Formada em 2014 em Pouso Alegre/MG, a banda possuí em seu disco "Guerra e Destruição" como seu maior feito em sua carreira até o presente momento e busca sempre uma evolução dentro do Metal nacional.



03) Sapataria - Punk Rock - São Paulo/SP

Mais uma banda do cenário Riot Grrrl, formada em 2016 na grande metrópole de São Paulo, a Sapataria busca abordar termas referentes a lesbiandade e feminismo. Com letras muito bem trabalhadas e um instrumental coeso e direto, o grupo se destaca no que se compromete a fazer, sendo uma das referências do Riot Grrrl junto da Cosmogonia, por exemplo.




04) Rematte - Rock Alternativo - Fortaleza/CE

A Rematte é uma banda de Rock de Fortaleza/CE, formada em 2017 com influências de Deftones, Incubus e Queens of the Stone Age mesclando com poesia engajada e contestadora de Chico Science, Marcelo Yuka e Chico Buarque. E é assim que a banda se destaca em meio a uma multidão de bandas, unindo gostos musicais e seus gostos poéticos. As letras da banda fala sobre reflexões individuais, engajamento social e energia das relações em um contexto urbano, tudo muito particular. Em 2018 a banda lançou seu primeiro trabalho autointitulado, com destaque para a música "Seja Como For":



05) Trema - Rock - São Paulo/SP

Formada em 1997 com uma sonoridade vigorosa e letras inteligentes. Entre todas as histórias que a Trema pode contar com todos estes anos no cenário, em 2018 o álbum "Na Capital" contendo dez faixas, foi distribuído pela Ditto Music. O álbum contou com a participação do vocalista André Abujamra e também do tecladista Adriano Grineberg, sendo que Adriano é considerado um dos maiores músicos de Blues do país. Trema busca sempre alçar novas temáticas para suas letras, sendo uma referência do Rock quando o assunto é música em Português.


Peixes Voadores: os gigantes sulistas voltam com música inédita


É aquela ideia clássica, gigante que adormece, retorna ainda mais forte. E a Peixes Voadores entraram em estúdio e saíram demonstrando ainda mais força com sua música inédita, cantada em inglês e ainda mais pesada.

A gravação foi feita no estúdio Áudio Porto em Porto Alegre, a música é um registro que fará parte do novo disco como nos conta Eduardo Daronch: "...na verdade em nossos shows sempre reproduzimos canções em inglês, vínhamos tocando muito Black Sabbath por exemplo, então pensamos... Porquê não cantar em inglês? Já que é o rock and roll é um gênero tão universal."



A música pode ser conferida no Youtube e Facebook, assim como o som mais maduro ao Stoner e viajando então ao inglês como primeira canção da banda na língua estrangeira, a capa do single pode ser observada com a presença de um peixe indo em direção ao novo. A filmagem mostra a banda em ação, em um cenário mais íntimo, demonstrando união e amor pela música e fãs que apoiam a gigante Peixes Voadores.

O grupo segue em alguns shows pelo Rio Grande do Sul e logo retorna aos estúdios para finalizar seu mais novo disco.

Santa Cruz: os finlandeses estão chegando ao Brasil!

A banda de Hard Rock finlandesa Santa Cruz divulgou recentemente que estão vindo ao Brasil para sua primeira turnê em terras tupiniquins. A banda recém reestruturada é formada por Archie Cruzz, Pav Cruzz, Ero Cruzz e Toxy Cruzz. Os músicos estão trabalhando na divulgação do single 'Tell Me Why' & 'Changing Of Seasons' que estão presentes em seu próximo trabalho de estúdio. 


Confiram os vídeos das apresentações recentes:


Os ingressos estão disponíveis nos links abaixo: 




QuatroQuartos: EP "Sempre Enfrente" apresenta novas músicas com destaque para "Mulher"

QuatroQuartos é uma banda que surgiu na cidade de Criciúma/SC no começo do ano passado e já de cara lançou o EP "Rolo Compressor" que foi positivamente falado por diversos veículos de notícia. 



Não satisfeitos com um "bom", a QuatroQuartos foi em busca de evolução e buscaram participação de Rodrigo lima (Dead Fish) em "Mulher" e a produção do excelente baterista Lucas Taboada (Ponto Nulo no Céu) para produzir todo o trabalho, para trazer em 2019 um EP ainda melhor que o anteriormente apresentado e o resultado, foi satisfatório e surpreendente. 

Entre todas as músicas, a que mais chamou a atenção foi "Mulher", não só pela participação de Rodrigo Lima, mas sim, pelo tema abordado. Infelizmente no Brasil a violência doméstica cresce cada vez mais, e é extremamente importante ver bandas usando de sua arte para se posicionar contra isso, pois afinal, homem que faz isso, não é homem, é um animal vestido de gente.

Assista ao WebClipe de "Mulher" part. Rodrigo Lima


FICHA TÉCNICA

Música: QuatroQuartos
Composição: QuatroQuartos
Gravação feat: Estúdio Costella (SP)
Produção, mixagem e masterização: Lucas Taboada
Vídeo: QuatroQuartos

Resenha: Raging War - Raging War (2018)

O Thrash Metal é uma das vertentes que eu tenho certeza que nunca terá fim, e por isso, surgem novas (e ótimas) bandas do gênero todo ano. Formada em Brusque, Santa Catarina no ano de 2017 das cinzas da antiga Monster Truck que era uma banda de Thrash Metal (2005 à 2016), porém oriunda de Florianópolis, capital catarinense, o Raging War inicia sua trajetória carregando influências do antigo projeto, porém, com mudanças significativas.



Só pelas influências que a banda deixa claro ter como Slayer, The Mist, Testament, Destruction e várias outras da mesma pegada, já é claro, vem pedrada na orelha. Por incrível que pareça, a bateria é uma das coisas que mais me fez gostar do disco, são linhas pesadas, bem compostas e firmes, ótimo trabalho do baterista Roberto Barth.

Os vocais de Rudi Vetter são arrastados e rasgados dão um teor mais pesado ao trabalho, tudo aqui remete muito ao Metal Extremo oitentista com pitadas de algo mais atual. Nos dias atuais vemos muito Metal chiadeira, que não compete como espirito musical da arte. Porém, o disco autointitulado do Raging War tem uma base seguida do começo ao fim, principalmente na técnica e no peso.

Cada refrão das músicas são muito bem trabalhadas, principalmente os vocais que se unem aos vocais de apoio e os bons grooves do baixo, e o impressionante é que quem cuida dos vocais de apoio é o Ricardo Lima, que também é o baixista, ou seja, o cara tem dupla função e exalta com maestria.

Em alguns momentos, parece que o disco tem três guitarras, devido ao elevado peso do instrumento de seis cordas. Rafael Zang consegue montar a guitarra com grooves, técnica, bons solos e pequenos dedilhados, sempre cortante como uma serra elétrica, pesado como uma marreta e certeiro como todo Thrash Metal deve ser.

Para se ter uma ideia de como é um disco verdadeiramente de Metal, é que são dez músicas com um total de um pouco mais de trinta e nove minutos, é Metal direto, reto e objetivo, sem mandar recado. Você gosta de Metal? Abra sua cerveja e deguste esse disco, mas, esse disco pede uma verdadeira cerveja, não venham com água e milho. Parabéns Raging War!



FORMAÇÃO
Rudi Vetter - vocal
Rafael Zang - guitarra
Ricardo Lima - baixo e vocal de apoio
Roberto Barth - bateria

TRACKLIST
01) Prelude to War
02) Strength for Better Days
03) Third World
04) Enforced System
05) The Meaning 
06) Hell on Earth
07) Black Forest 
08) Corroding Chemistry
09) Entrails of a Corrupted Mind
10) Bastard Dogs 

Topfive: cinco bandas para ouvir neste final de semana #129

Nesse dia 13 de julho é comemorado o dia mundial do Rock, e para mostrar que ao contrario do que as grandes mídias pregam, o Rock/Metal está bem vivo e gerando grandes trabalhos para a cena, então ouça alto e longa vida ao Metal nacional.



01) Zombie Crew- Thrash Metal  Toledo/PR

Formada em Toledo no ano de 2011, a banda mistura varais influencias do Thrash Metal, indo de uma pegada mais oitentista, para elementos mais modernos. Estilo este apresentando uma sonoridade muito dinâmica e impossível não bater cabeça ouvindo o seu EP "Rip Your Guts Out".


02) Kultist - Dark Metal - São Carlos /SP 

Provavelmente uma das bandas que mais venho escutando por esses dias. O Kultist une duas das minhas maiores preferencias que são o Metal com pegada do Death/Thrash com o conceito lírico do escritor HP Lovecraft, o terror cósmico ganha forma no primeiro registro da banda The Black Goat. Formam essa horda: Karine Profana (baixista), Yasmin Amaral (guitarrista), Letícia Figueiredo (baterista) de Daniel Pacheco (vocal).



03) Amuro - Black Metal - Florianópolis/SC

Um projeto que foi desenvolvido por Artur Cipriani, que em novembro de 2017 gravou todos os instrumentos e vozes de uma demo com 4 faixas. Entretanto em 2018 com a entrada do baterista Gabriel “Gargamel” Porto o projeto ganha forma, o som do Amuro transita entre cenários do Metal extremo sendo que a escola norueguesa é uma forte influencia como encontramos no single Villain.



04) Low Levels of Serotonin- Death/Doom - Americana/SP

Projeto de Death/Doom formado por Wiliam Gonçalves, músico que teve passagem pelo Desdominus. O que já é uma garantia de qualidade elevadíssima. Completa o duo, o vocalista Guilherme Malosso. Recentemente foi lançado seu trabalho de estreia "Kátharsis", que une o peso do Death com uma aura de melancolia provocando uma nuvem de pensamentos lúgubres no ambiente.


05) Oxiürus - Grindcore/Crossover - Jacarepaguá/RJ

Com uma proposta inicial de fazer um som muito mais voltado para o Hardcore. Entretanto após algumas mudanças de formação, levaram a banda a abraçar o Grindcore e na minha  opinião, foi uma mudança muito benéfica como pode conferir no mais recente trabalho da banda: "Máquina de problemas pessoais e emoções negativas de ultima geração"

Final Disaster: Kito Vallim fala sobre o novo trabalho


Prestes a começarem as gravações do primeiro full lenght do Final Disaster, o vocalista Kito  Vallim deu algumas pistas do material.  

O CD será mais uma vez produzido por Raphael Gazal, que já havia trabalhado com a banda no EP “The Darkest Path”, além de ter trabalhado com nomes como Necromesis, Pastore, Tailgunners e Bulletback.

Um single está previsto para ser lançado ainda no 2º semestre de 2019, e a previsão de lançamento do álbum é para o comecinho de 2020.

O álbum será conceitual, contando uma história que se entrelaça com as músicas do EP anterior. Kito Vallim falou sobre esse direcionamento; "O Final Disaster busca formas diferentes de fazer as coisas, portanto, partir para uma obra conceitual da forma que esta será, tem tudo a ver com a essência da banda. Queremos surpreender quem espera algo tradicional"

Sobre a nova vocalista, Kito Vallim afirmou em tom misterioso; "A nova vocalista? Bem, a nova vocalista será anunciada no momento certo" (risos)

A formação do Final Disaster traz Kito Vallim (vocal), Daniel Crivello (guitarra), Rodrigo Alves (guitarra), Felipe KBÇA (baixo) e Bruno Garcia (bateria).


Acompanhe o Final Disaster em seus canais oficiais:
www.finaldisaster.net
www.facebook.com/FinalDisaster  
www.instagram.com/finaldisasterofficial

Topfive: bandas que cantam em Português #10

O topfive "bandas que cantam em Português", é uma homenagem aquelas bandas que ainda lutam para compor suas músicas na nossa língua pátria. Compor em Português, está cada vez mais raro no cenário nacional, portanto, queremos mostrar cinco bandas que mandam super bem em nossa língua, confira:




01) Mistanásia - Hardcore - Santos/SP

Uma banda formada da melhor forma, por três amigos que andavam de skate juntos e amam o Hardcore. O Mistanásia é uma das bandas mais presentes no cenário Hardcore santista, junto de outras boas bandas, contribuem para um circuito sendo o coração do Hardcore nacional, Santos, Guarujá, Praia Grande e cidades ao redor, estão cada vez mais unidas pela cena. Recentemente lançaram o single "Sonhos Soterrados", assista:


02) Fighter - Hard Rock - Caxias do Sul/RS

Com uma proposta de trabalhar no Rock Autoral, a Fighter foi formada em 2008 na grande e gelada cidade de Caxias do Sul/RS. A banda acumula em seu currículo quatro registros, são eles: "Basta Querer" (2009), "Sem Limites" (2011), "Fighter2012" (2012) e "Rise" (2017/2018). Atualmente a banda trabalha no seu quinto registro, que já tem nome, intitulado "Feeling". 



03) Isla De La Muerte - Rock Pirata - Blumenau/SC

Uma das grandes surpresas catarinenses de 2019, o Isla De La Muerte surgiu como um meteoro artístico do sul do país. Agradavelmente o seu single de estreia é de uma qualidade absurda e a forma como foi mixada e masterizada nos dá um gostinho do que a banda ainda virá a apresentar.



04) Khorium - Rap Rock/Metal - Volta Redonda/RJ

Khorium alia peso, groove e riffs de guitarra de Metal, vocais de Rap e outrora guturais, baixo funkeado e letras ácidas. O famoso dedo na ferida está presente no posicionamento da Khorium, que recentemente lançou seu novo disco "Idiocracia Tropical Contemporânea" que chega as melhores redes de streaming possíveis na internet. Ouça:



05) Pétalas Insanas - Hard Rock/Heavy Metal - Porto Alegre/RS

Formada em 2005 em terras gaúchas, o Pétalas Insanas é formada por apenas Mateus Insano, nas vozes, guitarras e baixo e Jaílson "Véio" Dias, bateria e vozes de apoio, que recentemente sofreu com a saída de membros, porém, não perderam o apetite pelo Metal e seguiram com o projeto que promete lançar seu primeiro disco no próximo ano de 2020.



XEI & Sons In Black: nesta quarta-feira (10) junto da Orquestra Sinfônica de Santa Catarina

Uma noite para ouvir aquele bom rock independente, mas em versões sinfônicas. É isto que promete o show OSSCA + XEI & Sons In Black confirmado para a próxima quarta-feira (10), às 20h, no Teatro Álvaro de Carvalho, em Florianópolis.



Para este show especial, a Orquestra Sinfônica de Santa Catarina (OSSCA), regida pelo maestro José Nilo Valle, recebe a banda XEI & Sons In Black, comandada pelo vocalista Alexei XEI Leão, que também assina o arranjo musical do show. Aliás, o set lista da apresentação contará com músicas do álbum #320 on Hart Street de 2015 que foi gravado e produzido em Nova York e mais os dois singles lançados em 2019 por XEI & Sons In Black, ‘N.I.B.’ e ‘Belive What I Say’, mas desta vez em versões orquestrais. Ao todo, 24 músicos participam do show.

O evento faz parte da programação da 7ª Semana do Rock Catarinense (SRC) que acontece de 2 a 14 de Julho em Florianópolis e São José e ainda resultará em um DVD, gravado ao vivo, durante o show.

Sobre a XEI & Sons in Black

A banda é um projeto que reúne vários músicos da cena rock independente de Florianópolis, com o objetivo de misturar rock progressivo com elementos de metal alternativo e violões acústicos. A banda tem à frente Alexei XEI Leão (produtor musical, compositor e vocalista) Rodrigo Daca (violões e vozes) Hique d'Avila (guitarras), Yusanã Mignoni (teclados e programações), Geraldo Borges Costa (baixo) e PH Soares (bateria).



Serviço
O quê: OSSCA + XEI & Sons In Black
Quando: 10 de Julho (Quarta)
Onde: Teatro Álvaro de Carvalho (TAC)
Horário: 20h00
INGRESSOS: R$40,00 (inteira). R$20,00 (meia). 
Ingressos Antecipados: 
https://www.sympla.com.br/1007---ossca-e-xei--sons-in-black---teatro-alvaro-de-carvalho__561763. Também à venda nas bilheterias do CIC, TAC e Pedro Ivo de terça a domingo das 13h às 19h.

Fonte; Carla Lins

Santa Cruz: os finlandeses estão vindo ao Brasil!


A banda de Hard Rock finlandesa Santa Cruz divulgou recentemente que estão vindo ao Brasil para sua primeira turnê em terras tupiniquins. A banda recém reestruturada é formada por Archie Cruzz, Pav Cruzz, Ero Cruzz e Toxy Cruzz. Os músicos estão trabalhando na divulgação do single 'Tell Me Why' & 'Changing Of Seasons' que estão presentes em seu próximo trabalho de estúdio. 


Os finlandeses desembarcam na capital mineira em 09/08 e prometem um show com o melhor do Hard Rock finlandês: muitos solos, muita energia e uma performance digna de gigantes!

A produção de toda a turnê brasileira está sendo realizada pela Megera World Music. 


Confira abaixo as outras datas da banda no Brasil:


Os ingressos estão disponíveis nos links abaixo: 




L.o.T.u.S: Natalie Kubrusly fala sobre o "L.o.T.u.S Friends 2"




A L.o.T.u.S está com uma nova formação e com o recente clipe lançado de "Resiliência" que apresenta o inicio de um novo ciclo da banda. E mesmo assim, não esqueceram de dar andamento no projeto criado, o evento "L.O.T.U.S FRIENDS" e nada melhor para uma segunda edição como um evento beneficente, ajudar o próximo é sempre gratificante. 




"Acima de tudo, no domingão reunimos os parceiros para fazer o que mais gostamos de fazer. Mandamos um som no melhor estilo 'faça você mesmo' e a melhor parte foi poder nos divertirmos por uma causa nobre." Comenta Natalie Kubrusly, baixista da L.o.T.u.S.

Natalie ainda relembra como foi a primeira edição do evento: "A primeira edição do evento foi para comemorar os cinco (5) anos de existência da banda e celebrar junto aos amigos que fizemos durante esse percurso. Nessa segunda edição além de rever os amigos de longa data das bandas a Phoyce (Guarujá), Zive (Itapevi) e RDG (Carapicuíba) também foi a oportunidade perfeita para criarmos um novo laço com a banda guarulhense Rise of Discord, que fortaleceu imensamente o rolê, principalmente quando aos 45'' do segundo tempo providenciaram alguns equipamentos que ainda faltavam no backline instantes antes do evento iniciar. Além de sempre ser um prazer dividir palco com os irmãos da Intereffect. Portanto, todas as bandas foram cruciais para que o evento fosse fantástico. Todas as bandas ajudaram a fazer esse evento acontecer e pelos feedback's que recebemos acredito que o pessoal realmente curtiu bastante e aproveitou uma tarde com música boa e vibe positiva."

Assista ao videoclipe de "Resiliência":
https://www.youtube.com/watch?v=4UPoH5lmtB0

O evento foi para ajudar a pequena Sofia que sofre de leucemia: "A galera se motivou pela causa de ajudar a pequena Sofia, afinal, toda a comoção e movimentação foi para ajudar a arrecadar fundos  afim de ajudarmos em seu tratamento contra a Leucemia. O ponto alto do rolê, foi quando a pequena compareceu no local para nos prestigiar e sua presença foi extremamente importante. Eu tive o prazer de conhece-la, apertar sua mão e perceber em seu olhar a força de vontade que ela tem de viver e continuar lutando. Foi realmente emocionante e isso resultou que em todos os shows, todas as bandas deram seu melhor e agitaram a galera. Tivemos um pequeno contratempo com a questão de energia elétrica que infelizmente fez com que o show dos nossos parceiros do RDG acabasse não acontecendo o que foi ao meu ver o único ponto negativo do evento.

Natalie encerra com um agradecimento especial: "Deixo meus agradecimentos especiais para a Marisão que foi uma das cabeças da organização do evento que cedeu também um apoio na alimentação para as bandas e também agradecer a todos os aliados que chegaram junto e fizeram rolar, em especial ao pessoal da RDG que apoiou no máximo toda montagem dos equipamentos e ajudaram também durante todas as bandas. Todo esse esforço será compensado, prometo."

L.o.T.u.S Friend's Part 3? Aguardem!

Contato:
https://www.facebook.com/banda.lotus.oficial/

Fonte: MK Press

Topfive: cinco bandas para ouvir neste final de semana #128

E nesse clima que parece ser um dos finais de semana mais frios do ano, O Subsolo elencou bandas do Sul para vossa apreciação. Então, seguindo direção Norte/Sul, vamos descer pelos três últimos estados do país, onde o clima frio se intensifica, e conhecer bandas oriundas dos gélidos vales brasileiros.

O SUBSOLO | TopFive #128



1) Svatan - Black Metal - Curitiba/PR
Criando uma tensão muito peculiar, praticamente todas as músicas possuem uma característica de mistério. Adicionando a uma levada rápida e acompanhada por harmonias vocais e teclados, deixam um peso muito bem equilibrado com a agressividade e o misticismo. O que combina muito bem com suas letras que falam de espiritualidade, auto conhecimento e sabedoria.
O seu mais recente trabalho é “Blazing Winds of Transcendence”, lançado no primeiro semestre de 2019, já conta com faixas disponíveis para audição nas plataformas digitais.


2) Hamen - Metal Sinfônico - Joinville/SC
Fundada em 2013, a banda cujo nome hora ou outra, algum espectador confunde com metal cristão, tem sua temática muito bem delineada. As harmonias, melodias, arranjos e interpretações são muito bem orquestradas, e cada elemento de suas músicas, parece ter sido colocado com a mão, em seu devido lugar.
Recentemente, a banda lançou o disco “Unreflected Mirror”, o qual já obteve alcance internacional, bem como trabalhos anteriores. Um parênteses deste que vos escreve: Minha nota pessoal sobre a banda tem um “quê” a mais, pelo fato de a temática de Unreflected Mirror possuir referências de ficção científica e universos paralelos. Fato esse enaltecido por uma nota na qual a banda diz sofrer influência, dentre outras, do filme “2001 - Uma Odisséia no Espaço” para a composição deste trabalho.


3) Virus HC - Hardcore - Pouso Redondo/SC
Crédito para bandas que valorizam a língua pátria. Cantando em português, uma mistura de hardcore, crossover, groove e thrash, Virus HC é aquela pedrada na orelha, diária para acordar para a vida. 
Com uma mensagem forte e direta, uma crítica social à alienação das pessoas que se deixam controlar por dogmas e conceitos genéricos de manipulação massiva, em especial, da igreja.
Após um longo período de hiato, decorrente de um acidente com um de seus integrantes, que, após a paciente espera dos demais pela sua recuperação, a banda voltou com carga total para infectar o maior número de pessoas possível com seu som.


4) Overblack - Heavy/Thrash Metal - Blumenau/SC
O power trio que outrora fora um quarteto formado com o intuito de fazer cover de Metallica, hoje dedica sua carreira completamente ao trabalho autoral. Riffs pesados, cavalgadas e baixo e bateria cadenciadas compõem a sonoridade de Overblack. 
O EP Dying to Fight conta com as faixas Dying to Fight e Spiritfire.


5) Rebaelliun - Death Metal  - Porto Alegre/RS
Uma das mais respeitadas bandas de death metal do país, formou-se em 1998, e teve uma intensa trajetória, incluindo shows pela Europa, até o início de 2002, onde aparentemente, seria o término da banda. Após 13 anos resolveram voltar às atividades, e mantém-se assim até os dias atuais.
Velocidade, técnica e agressividade constante, são elementos presentes no som de Rebaelliun. Suas letras questionam se nossa sociedade realmente caminha para a direção certa, da forma como está sendo feito. Seu mais recente trabalho “The Messiah”, lançado em janeiro de 2019,  é um exemplo disso.
E com esta indicação, finalizamos a listagem das nossas sugestões para ouvir este fim de semana!

SJ Rock Festival: o festival de Rock mais gelado de Santa Catarina chega a sua terceira edição

A pequena cidade de São Joaquim, na serra catarinense é conhecida pelo seu forte turismo, principalmente quando a cidade está prestes a receber neve. Mesmo sendo uma cidade dominada por outros estilos, um grupo de amigos fazem o Festival de Rock chegar a sua terceira edição e com ela, novamente muitas boas surpresas.



Marlon Diefenthaeler é o responsável pelo inicio deste evento e será neste evento que o mesmo fará a estreia da sua nova banda, a From Nothing!, que será a única banda anfitriã por completa do evento. Sem deixar de dar as ressalvas para os braço direito de Marlon, que são: Dhenifer Ludvich e Luis Matos.

As outras bandas convidadas são: Quatro Quartos, Grunge de Criciúma/SC, Antítese, Hard Rock de Içara/SC, Israel Rodrigo, Rock de Florianópolis/SC e Dark New Farm, Metal de Nova Fazenda/SC.

O evento tem inicio previsto para as 17:30 no próximo sábado (6) na Praça João Ribeiro, na Concha Acústica da cidade. A ordem das bandas são:
Israel Rodrigo - 17:50h
QuatroQuartos - 18:40h
Antítese - 19:30h
From Nothing! - 20:20h
Dark New Farm - 21:10h

Mais informações: https://www.facebook.com/events/2861077700603717
Relembre como foi a segunda edição: http://www.osubsolo.com/2018/01/cobertura-2-sj-rock-festival-sao.html

Resenha: A Meia Noite Levarei a sua Alma - Blasfemador (2010)

O terror e Metal Extremo, sempre tiveram pontos de intersecção, por isso não é raro o caso de bandas que buscam como inspiração para as suas letras, filmes e vilões icônicos como o caso do Cemitério, Viletale e da Blasfemador que lançou um trabalho de Speed Thrash para homenagear um dos maiores cineastas do Brasil José Mojica Marins, o Zé do Caixão.



A banda é natural de Fortaleza Ceará e o seu primeiro trabalho foi lançado em 2010. Compõem a Blasfemador: Fabrício Estripador, Rafael Dilacerador, Rodrigo Esquizofrênico e Leandro Carrasco,

A intro do filme A Meia Noite Levarei A Sua Alma repete sua função nesse  trabalho, e abre o caminho para o primeiro ataque batizado de Alienação, e na sequencia é até difícil de entender o que esta acontecendo, pois temos o mais puro Speed Thrash em faixas como 'O Estripador', 'Speed Metal Attack' e 'Destruição total'.

A essência Black/Death da Blasfemador sempre me chamou a atenção e o fato da banda ser fiel ao Old School também cativa muito o que pode fazer alguns fãs sentirem falta de uma produção mais moderna, o que tiraria o brilho de faixas como 'Correntes do Mal' e 'Holocausto Canibal'.

Ouvir esse registro vai te fazer sentir vontade de colocar seu velho Spikes, roupas de couro e gritar em plenos pulmões longa vida ao Verdadeiro Metal.


FORMAÇÃO
Fabrício Estripador - vocal
Leandro Carrasco - baixo
Rodrigo Esquizofrênico - bateria
Rafael Oliveira - guitarra

TRACKLIST
01) A meia noite levarei tua alma
02) Alienação
03) O estripador
04) Speed Metal Ataque
05) Destruição Total
06) O Ataque
07) Tragam-me a Cabeça do Rei
08) Holocausto Canibal
09) Correntes de Metal
10) Esta Noite Encarnarei no teu Cadáver
Postagens mais antigas → Página inicial