28 maio, 2017

Cabana Jack: confira o novo videoclipe de "Reflexo" dos santistas


Com três anos de estrada a Cabana Jack, de Santos, lançou seu primeiro CD no segundo semestre de 2016. O novo trabalho, SIMPLES, contém 13 faixas e foi produzido pelos músicos e gravado, mixado e masterizado no Electro Sound Studio pelo André Freitas. O disco é um novo passo para a Cabana Jack, trazendo qualidade e muita verdade na sua composição, para que contagie a todos que ouvirem!

Depois do sucesso do primeiro single, Perto Daqui, que chegou à marca de 40 mil visualizações e já está na boca do público e ser veiculado em programas de televisão. A banda divulgou no último dia 12, o novo single “Reflexo” com clipe. A produção foi feita pela própria banda e Marcela Sanches, que assina também a direção do vídeo.

Durante o vídeo conseguimos acompanhar a história de um rapaz em diversas situações e nos surpreendemos com as cenas impactantes de drone com a banda tocando em cima dos containers em Santos, formando inclusive um labirinto. “O enredo do clipe diz muito sobre bagagens, viagens e histórias que temos durante a vida. Desde os momentos mais simples até os mais complexos, todos são importantes para adquirirmos boas experiências, já que a bagagem material não é o que se leva.”, comenta Bruno Peloni, baixista da banda, sobre a mensagem e conceito do clipe.

ASSISTA AO "REFLEXO"


Reflexo e o cd SIMPLES estão disponíveis nas principais plataformas de streaming e no canal do youtube oficial da banda.

SOBRE A BANDA:

Formada por músicos com mais de seis anos de experiência no ramo, o estilo da banda permeia entre o Rock, Rap, Reggae e o Pop. E com inúmeros shows já realizados, entre acústicos e elétricos, o portfólio da banda conta com eventos de todos os portes e gêneros. A Cabana Jack tem como referência grandes nomes da música nacional e internacional, como Maroon 5, Bruno Mars, Blink 182, Charlie Brown Jr., Natiruts, O Rappa, entre outros. 

Além de vencer um festival de música frente a uma banca avaliadora e ser convidada pela VEVO para que o material audiovisual da Cabana Jack seja distribuído pela empresa, ao final de 2014 a banda foi consagrada como “Artista Reggae do Ano” pelo Prêmio RockShow 2014.

A banda tem como primeiro trabalho o autoral e totalmente independente EP “ALVORADA”, que conta com 7 faixas produzidas pelos músicos. 

A Cabana Jack hoje busca por gravadoras, estúdios, distribuidoras e produtoras para que possa alcançar um público cada vez maior através de contatos para propagação da banda e seu material, e também além da realização de produções e eventos.

Por: Geração Y

Valciãn Calixto: antecipando o novo disco é lançado um single inflamado e cheio de ritmos, ouça "Má Vontade Boa Intenção"


Uma música sem receio de falar a que veio e um artista irrefreável em sua trajetória ascendente na cena independente nacional. A história já é conhecida: músico se muda para o Rio de Janeiro ou para São Paulo em busca de reconhecimento da mídia do que é considerado o centro cultural do país. O assunto é uma das críticas presentes no inflamado single “Má Vontade Boa Intenção”, de Valciãn Calixto. A música anuncia o segundo disco do cantor e compositor, e já está disponível no Bandcamp e YouTube.




Verdadeira crítica geracional, o single precede a mistura rítmica que já é marca registrada de Valciãn desde o disco de estreia, FODA! (2016), considerado um dos melhores do ano em diversas listas. As composições do músico surgem de experimentações unindo diversas influências, mas sem definir rótulos. Com uma percepção maior das diversas sonoridades, Valciãn acredita em uma unificação de gêneros musicais, no fim do separatismo e do elitismo nas artes.

Ferina e agressiva, música traz em sua melodia uma prévia do que será o próximo trabalho do músico: um passeio por vários ritmos, entre eles a swingueira, o rock, o reggae e o afrobeat. Já a letra é um desabafo sobre a cultura brasileira e seus comportamentos.

“A letra ataca diretamente a cultura e o pensamento provinciano que impede o brasileiro de realizar qualquer ação positiva, seja para si, seja para outrem. Isso contribui para a manutenção da atual conjuntura no país, assim como a morosidade que percebo em parte dos artistas do Piauí, como se pode ouvir na terceira estrofe da música”, explica Valciãn.

A famigerada terceira estrofe traz a ideia de que é preciso sair da zona de conforto para crescer. Na visão do cantor, alguns dos artistas piauienses que conseguiram reconhecimento tiveram que migrar do estado - Torquato Neto, Frank Aguiar, Marcelo Evelin, Renato Piau e outros. O músico alega que a razão para essa partida obrigatória é devido à falta de investimento e à renovação de público. Por isso, ele foi um dos criadores do coletivo e selo Geração TrisTherezina, que incentiva a união dos músicos e criadores da região, movimentando a cena local para uma exposição em nível nacional.

“Tapar os olhos para isso é burrice. Não tem investimento, não há cadeia produtiva, casas de shows abrem e fecham sem que percebamos. Mesmo a nível de Nordeste, se qualquer artista quiser se estabelecer, tem de sair para tocar no eixo sudeste do Brasil, Baiana System e Cidadão Instigado são bons exemplos. A Geração TrisTherezina ainda tem muito o que conquistar, muito mesmo, tanto profissionalmente quanto a nível de projeção, mas já notamos nossos nomes sendo mencionados fora do Piauí, o que demonstra uma vitória pequena quanto à terceira estrofe do single”, finaliza.

O novo álbum de Valciãn Calixto deve ser lançado no começo do segundo semestre de 2017.

Ouça “Má Vontade Boa Intenção”:


27 maio, 2017

Topfive: cinco bandas para ouvir neste final de semana #34

Novamente O SubSolo apresenta o Topfive, trazendo um lista de bandas do underground nacional para você curtir durante o final de semana. Vem com a gente e conheça esses sons!




1- Desalmado - Grindcore - São Paulo/SP

Vamos começar com peso total! A Desalmado foi fundada no ano de 2004, em São Paulo. Inicialmente, a banda se chamava "El Fuego" e chegou a lançar trabalhos sob esse nome. O quarteto apresenta músicas próprias no estilo Grindcore, a medida que faz críticas sociais através de suas letras. No total, a banda lançou cinco trabalhos, sendo uma demo, três álbuns e um split. Pra você que curte um som pesadíssimo, está na hora de conhecer Desalmado e bater muita cabeça!





 2- Forceps - Death Metal - Rio de Janeiro/RJ

Com uma década de existência e compondo um bom Death Metal, os cariocas da Forceps já subiram ao palco com grandes bandas, como Cannibal Corpse, Napalm Death, Brujeria, Hatebreed, entre outras. Após alguns hiatos e mudança de formação, Forceps permanece firme e está preparando um novo trabalho. Abaixo você pode conferir uma prévia do que vai ser o novo álbum da banda:




3- Homem Lixo - Hardcore - Rio do Sul/SC


Nascida no ano de 2010, a banda Homem Lixo é um quarteto que compõe músicas velozes, com letras cheias de ironia e sarcasmo. A maneira ácida como as temáticas são abordadas, fazem tudo parecer um deboche à cruel realidade. Durante a carreira foram lançados três EP's e um álbum. Recentemente a banda fez shows na Argentina! E aí? Vamos conferir o trabalho atípico desenvolvido pela Homem Lixo?





4- Paura - Hardcore - São Paulo/SP



Fundada em 1995, a experiente banda Paura apresenta o estilo Hardcore com aspecto muito próprio, trazendo influências de Metal. No total, a produção da banda contabiliza cinco álbuns e dois EP's, além de tours nacionais e internacionais. Curta o som dos caras e perceba que não consegue deixar o pescoço parado!




5- Axecuter - Heavy Metal - Curitiba /PR

Fezendo Metal Old School, o trio Axecuter se mantém sempre fiel às raízes. Em 2011 eles lançaram seu primeiro EP, chamado "Bangers Prevail" no formato cassette, em apenas 100 cópias. Desde 2011, a banda fez vários lançamentos por diferentes selos ao redor do mundo. Pra quem é louco por Metal clássico, aí está uma ótima opção de banda para virar fã.




26 maio, 2017

Conheça: Doomsday Ceremony (Curitiba/PR)

A banda curitibana, formada por Moloch (vocal), Ciriato (guitarra), Shaitan (baixo), João Guimarães (guitarra) e Wolff (bateria), teve início em 2000. A Doomsday Ceremony conseguiu unir o feeling do Heavy Metal oitentista com a brutalidade do Black Metal, resultando numa sonoridade diferenciada. 

A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas em pé e texto

Em 2001, lança sua primeira demo homônima, com dois sons: "Brave Cannons" e "Scarecrow War". Em 2006, encerra as gravações de seu debut album "Apocalyptic Celebration", que foi lançado oficialmente em 2008.

Após anos de muitos shows, além de participações em coletâneas, a Doomsday Ceremony lançou um EP com três faixas, que posteriormente iriam fazer parte do seu próximo álbum.

Em 2011, as gravações do álbum "Black Heart" se iniciaram, sendo finalizadas em 2012. Em 2013, o selo Cogumelo Records fechou o lançamento do álbum, e, nesse meio tempo, foram lançados dois clipes oficiais e um lyric vídeo, que tiveram grande repercussão entre os fãs da banda que estavam ansiosos pelo álbum. 



Em 2015, o álbum Black Heart é finalmente lançado no Brasil. E agora a banda já está preparando seu novo trabalho para ser lançado ainda em 2017!


ACOMPANHE A BANDA

25 maio, 2017

Resenha: Morenas Azuis - Morenas Azuis (2014)

Foi em 2013 que surgiu na cidade de Brusque, Santa Catarina, um Power Trio de Punk Rock chamado Morenas Azuis. A banda sempre foi formada pelos mesmos integrantes, Pio no Baixo, Renan na bateria e Lucas Rhuan na guitarra e vocal. O interessante é que os membros já se conheciam de outras bandas da cena local e a forte influência em comum os fizeram a arriscar nesse novo projeto, um anagrama de "Ramones" deu o nome "Morenas" e a quantidade de discos com capas na cor azul brindou o nome Morenas Azuis.



Uma banda que deveria servir de exemplo pelas suas atitudes, investem muito em videoclipe, merchandising, canções autorais novas e em ensaios exaustivos.  Apesar das suas raízes no Punk Rock, a banda carrega influências do Hardcore e é impressionante como a sintonia de três integrantes aparenta ter mais membros no projeto, pois o guitarrista Lucas Rhuan consegue coincidir bons riffs de guitarra com os vocais, algo que ao meu ver é difícil, geralmente os guitarristas se prendem a fazer bases simples para não se perder nas músicas, sem falar nos ótimos solos executados nas músicas.

A cozinha é como uma cozinha Punk Rock deve ser, pesada, harmônica e coesa. Quem já assistiu uma apresentação ao vivo do grupo, sabe da potência da bateria, Renan é um lenhador nato, lembra muito as declarações do mestre John Bonham que dizia que gostava de tocar com baquetas grandes, pois era isso que dava o peso de sua bateria, com Renan não é muito diferente, o cara consegue ser barulhento e ao mesmo tempo demonstrar bom desenvolvimento nas músicas.



A explosão da banda fica por conta de Fabio Pio, o baixista consegue dar aquele ótimo peso por debaixo das canções e ao mesmo tempo executar bons vocais de apoio, sem falar que é um ótimo compositor. No disco encontramos músicas que grudam na cabeça como "Sortudo" que nos encanta com seu refrão com uma métrica chiclete (pelo lado bom, claro) ela gruda na cabeça e nos faz cantarolar junto. Outras músicas já chamam a atenção pelo instrumental como "Disfarce" e a minha favorita do disco "Óbvio" que inclusive tem um videoclipe. (assista acima)

Felicidade de encontrar esses caras pela estrada da música independente, com certeza não há dinheiro que pague. Conhecer novas histórias, novas pessoas e novas sonoridades é muito gratificante, estou louco para conferir o play do "Tudo Pelo Social" álbum de 2016 que também receberá resenha, aos amantes do bom Punk e aqueles que tem um carinho pelo Hardcore, deveriam ouvir esse disco e acompanhar a banda, super indico.

TRACKLIST
01 - Toda noite
02 - Nada a perder
03 - Sala de estar
04 - Óbvio
05 - É o que eu digo
06 - Disfarce
07 - Sortudo
08 - O preço

FORMAÇÃO
Lucas Rhuan - Guitarra e voz
Pio - Baixo e voz
Renan - Bateria e voz

Ficha Técnica
Gravado por Davi Pacote no Hill Valley Studio e Music Box Studio, entre 6 e 13 de setembro de 2014 em Porto Alegre - RS.

Mixado e masterizado por Davi Pacote no Hill Valley Studio em Porto Alegre - RS.

Produzido por Davi Pacote e Morenas Azuis.
Todas as músicas por Morenas Azuis

SIGA MORENAS AZUIS

A Hora Hard: treze anos de incentivo a cultura catarinense

Há exatos treze anos atrás, um programa entrava no ar na Rádio DCE-Unesc 95,5 FM, era 25 de Maio de 2004. Dentro da UNESC no espaço do DCE o programa por muitos anos permaneceu no anonimato. Em 2011 teve seus programas semanais gravados em HD e postado no www.youtube.com/ahorahard e assim ampliando ainda mais sua rede de ouvintes, estes muitos já amigos mais que desconheciam por falta de propaganda. 



Ganhou esta nomenclatura, pois o gênero musical escolhido como cerne seria o Hardcorepunk/hardrock. Com programas semanais com uma hora de duração o programa ganhou ouvintes (estes assíduos amigos) rapidamente, que sentiam carência de ouvir determinadas bandas no rádio. Com o auxilio de dois ajudantes, um tocador de cd, três microfones, um computador com internet e um espaço muito reduzido o programa terminou o ano de 2004. De 2005 a 2006 várias tentativas de inserção de quadros, vinhetas, participações de bandas e aumento de ouvintes não resultaram em muita diferença. A partir de 2007, um pouco mais maduro e com integrantes de bandas conhecidos nos shows undergrounds de Criciúma e região nasceu a ideologia do programa: “Atitude para viver! Viver e morrer para o cenário underground, entrevistando e valorizando o que é daqui”.

Conhecemos A Hora Hard (eu, Maykon) entre 2012-2013 em uma noite chuvosa no antigo Pirate Cove em Laguna/SC, onde tocaram nessa noite: Eletromotriz de Garopaba/SC e The MotorCocks de Criciúma/SC, Russo como é carinhosamente chamado, estava acompanhando a banda de Criciúma, sem cobrar nada, pagando a van como outro acompanhante qualquer que estava indo ver uma banda tocar. Conversamos a noite inteira e até adquiri os pacotes "Coletânea Underground Volume 1 e Volume 2" e aquelas coletâneas marcaram minha vida no cenário independente. "Por qual motivo um cara sai numa chuvarada dessas para ir cobrir um evento sem cobrar?" Isso ecoava em minha mente naquela noite durante a volta para casa.

Por ser músico, criei uma relação de amizade/irmandade com o apoiador e incentivador da cena independente, acompanhando desde então seu trabalho, que nunca se rotulou ao Rock e sim abrangeu a Cultura catarinense de um modo geral, entrevistando artistas de diversos segmentos e sempre procurando dar oportunidade para quem queria mostrar o seu trabalho, não é por nada que hoje é reconhecido por bandas como: Dead FIsh, Dance of Days, CPM 22, Hateen, Zander, Sugar Kane, Water Rats e Inocentes. O seu trabalho em território estadual é monstruoso, dando até espaço para bandas de fora.



Dificilmente em um evento em Santa Catarina, que a famosa "banquinha d'A Hora Hard" não esteja presente, lá com os CDs doados por bandas independentes que fazem a banquinha se manter e estar presente em diversos eventos, levando o trabalho das bandas para a maior quantidade de publico possível, mas quanto ao retorno financeiro? Russo nunca pensou nisso, ele só quis propagar o trabalho artístico de uma forma séria, divertida e honesta, e foi assim que surgiu O SubSolo, incentivado pel'A Hora Hard e principalmente pelo escritor, poeta, cinegrafista, fotografo, professor e acima de tudo, um ser humano fantástico. 

Feliz aniversário A Hora Hard e a ti Russo, nosso maior incentivador do Portal e das Coletâneas, o nosso parabéns por tua garra que nos incentiva a estar de pé todos os dias. Nos inspiramos em você e estaremos sempre o acompanhando, lado a lado ambas as mídias propagarão a cena independente sem retorno financeiro, mas com um sorriso no rosto por estar em um bom show de Rock.

Valendo, valendo, valendo!

Bad Bebop: novo álbum está disponível para audição gratuita, confira!

A espera acabou! O novo disco de uma das grandes promessas do Metal nacional, BAD BEBOP, está disponível e o melhor, de forma gratuita para audição!



Estamos falando do álbum ‘Prime Time Murder’. O disco foi gravado no estúdio Institudium com produção do guitarrista Henrique Bertol e mixagem por Felipe Debiasio, a masterização ficou nas mãos da Absolute Master. Já capa é uma arte de Allan de Angeles.

O disco tem oito faixas, confira o tracklist:

1- D.O.A.
2- Deceiver
3- Vicious
4- Gone Wrong
5- 22
6- Trouble
7- Greed
8- River

‘Prime Time Murder’ pode ser conferido de forma gratuita na íntegra nas plataformas digitais de compra e streaming, como iTunes, PlayStore, Amazon, Spotify, entre outros. Confira alguns links:




Mais novidades sobre o lançamento do álbum serão apresentadas em breve. Shows a caminho!

Contato: badbebopband@gmail.com

Sites relacionados:

Fonte: Metal Media

Amenize: confira agora o videoclipe da música “Unlocked”

A banda paulista AMENIZE disponibilizou recentemente o seu novo material áudio visual, o videoclipe da música “Unlocked”, extraído do seu segundo álbum “Black Sky”.



O referido trabalho será lançado no primeiro semestre de 2017, no canal oficial do grupo no YouTube. “Black Sky”, segundo álbum da AMENIZE, foi lançado e distribuído no Brasil, no seu formato físico no primeiro semestre de 2016, através da MS Metal Records e  Voice Music, respectivamente.

Para mais informações sobre as atividades da banda AMENIZE e demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.


24 maio, 2017

Evento: Jackdevil fará show na capital catarinense após turnê europeia

O fenômeno maranhense de Thrash Metal Jackdevil está em turnê europeia até o início de junho (confira mais sobre a turnê aqui). Chegando no Brasil, a banda ficará uma semana em São Paulo, tendo, portanto, algumas datas disponíveis. Foi então que a Experimental Distro - A Serviam Produções e a Underground Scream Produtora tiveram a iniciativa de levar a Jackdevil para a cidade de Florianópolis/SC. E, o que era para ser um show, tornou-se um mega evento! 

Nenhum texto alternativo automático disponível.

O Metal Punk Or Die Gig ocorrerá no dia 10 de junho no Sítio Brustoloni e contará com mais bandas: Threzor (Thrash Metal de Florianópolis/SC), Deadpan (Death Metal de Florianópolis/SC), Sin Rejas (Street Punk de Florianópolis/SC), Marreta (Hardcore de Florianópolis/SC), Pugna Prole (Punk Rock de Balneário Camboriú/SC), Alkanza (Thrash Metal de Laguna/SC) e Axecuter (Metal Old School de Curitiba/PR).



MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O EVENTO

ACOMPANHE AS BANDAS

Entrevista: L.Ragga Goulart

Procuramos trazer as mais distintas entrevistas para o Portal e hoje trazemos o artista catarinense L.Ragga Goulart, que além de ter passado por diversas bandas, hoje vive da música, além de dominar mais de um instrumento. Confira!




O SubSolo: Fala Ragga. Obrigado por tirar um tempo do seu dia para responder e conversar conosco. Como foram teus primeiros passos na música?
Luiz Ragga: Em 1991 assisti ao vivo o Guns no Rock in Rio 2 e quando voltei resolvi aprender a tocar. Na época em Florianópolis não haviam muitos professores, então o negócio era aprender nos livrinhos de cifras e com amigos que já tocavam.

Quando tu iniciou essa jornada, como foi até tu começar a compor?
Luiz Ragga: No ano seguinte fizemos uma banda que se chamava Alcollica, tocávamos muito Ramones, Guns, Iron, Metallica, Pearl Jam. Nessa época tava bombando nas rádios Engenheiros e Legião que instantaneamente me despertaram pra composição.
Hoje remanescentes da banda Alcollica tenho que registrar o Alírio Neto (vocal do Age of Arthemis e canta direto com o Angra), eu e Ian Thives, da banda Comandos de Floripa.

Eu particularmente já te vi cantando, tocando baixo, guitarra e violão. Mas qual é o teu instrumento favorito? Ter conhecimento em vários instrumentos ajuda na hora de compor?
Luiz Ragga: Olha toco sim vários instrumentos e sempre digo que o que eu mais gosto de tocar é o baixo acústico e elétrico, mas o que eu mais toco é o violão de nylon, não fico muito tempo sem pegar. E quanto a se ajuda a compor, eu penso que não, pois a composição já vem na cabeça antes, depois que vai pro instrumento, pelo menos comigo é assim. Mas na hora da construção ajuda sim!

Você tocou numa banda clássica de Floripa, a Vannarock. Como foi tocar com os caras e o que ficou de experiência?
Luiz Ragga: Brother, o Vanna é uma pagina especial na minha vida, meu primeiro contato foi em 1994 ainda se chamava Vanahein, eu era um pirralho e eles eram os caras! Me acrescentou muito, com eles fiz o show de maior publico da minha vida a abertura do Man At Work no Ilha Shopping com 15 mil pessoas. Após isso mudamos o nome para Vannarock a qual fui fundador e gravei o baixo de todas as faixas do primeiro álbum "Teatro de Ilusões", depois da minha saída eles gravaram o segundo álbum e fizeram o clipe de uma composição minha, "Bon Vivant", a qual faz parte desse segundo trabalho, ai voltei novamente pra banda para gravarmos em 2007 o DVD no teatro Alvaro de Carvalho. Não estamos juntos agora mas brincamos que o monstro ta adormecido e pode acordar a qualquer momento, então considero sim o Vanna a minha banda de alma pela a amizade e tudo que já aconteceu entre quatro irmãos!

Conversando por fora da entrevista, tu me contou do teu futuro lançamento, vais lançar um disco. Como foi a fase de composição dele?
Luiz Ragga: Bom, meu álbum ta engavetado a anos em meus sonhos, por falta de absoluta coragem ainda não havia começado a gravar até o ano passado, quando resolvi fazer uma seleção das minhas canções (189 musicas) para gravar, pela vontade de deixá-las vivas. Então comecei a gravar o "Short Songs" (musicas curtas), musicas de até dois minutos comigo em todos os instrumentos. Sai até o final do ano. A fase de composição dele é até o lançamento, é a mescla de todas as minhas experiências nessa vida louca, (rs).

Uma coisa que tu me deixou com uma certa curiosidade. Tu disse que teu disco será bem curto e com diversas influências como, Soul, Rock, Punk, Blues. Como tu conseguiu mesclar essas influências em faixas curtas?
Luiz Ragga: As influências estão em mim e saem na hora de compor, misturando Vanna com Big Soul Band e com todas as bandas que participei, simplesmente mistura-se!




Todo mundo sonha de viver daquilo que ama, hoje tu vive de música? Como é teu dia a dia junto da música?
Luiz Ragga: Vivo da música desde os 16 anos, nem sempre toquei o que eu gostava para sobreviver, mas hoje consigo tocar só o que eu curto e viver bem. Minha rotina é musica 24 horas, acordo e durmo ouvindo jazz, rock, clássicas e toco o tempo todo meu violão, mesclando entre entrar em contato com contratantes, sempre correndo atrás e mais minha aulas de musica as quais me trazem grandes amigos de 8 a 80 anos, amo dar aula e essa interação com meus alunos. Minha máxima na musica é : "A musica é um som, dó, ré, mi, fá é uma mentira". Querendo com isso passar q você pode ter toda a técnica e o conhecimento do mundo, mas tem que encontrar a sua própria musica que não necessariamente será virtuosa!

Qual a expectativa do lançamento que está para vir?
Luiz Ragga: A expectativa é a melhor possível, no segundo semestre marcar o show de lançamento, juntar os amigos e desfrutar a musica com tudo que ela tem!

Ragga, obrigado pela parceria de sempre. Deixa uma mensagem para os leitores!
Luiz Ragga: Meus amigos, principalmente os mais jovens, não deixem ninguém constranger sua arte com caras, bocas e comentários, acreditem em si mesmos, respeitem a musica e os parceiros, estudem, vão em frente! Afinal a arte por si só já nos da todo prazer e toda glória!

23 maio, 2017

Resenha: Fast Evil - Wake Up The Devil (2017)

Fast Evil, banda piauiense de Speed Metal formada por Lucas Mesquita (vocal), Diego Dourado (guitarra), Marcos Andrade (baixo) e Luís Neto (bateria), acaba de lançar seu primeiro EP.


Composto por quatro faixas e gravado no Orang Studio, seu título é "Wake Up The Devil", com arte para a capa desenvolvida pelo desenhista Jordy Aleff, que mostra a banda tocando para acordar o demônio.

Com letras inspiradas em temas que vão desde a luta e dedicação diária por amor ao metal até histórias envolvendo as Bruxas de Salém, as faixas foram elaboradas para soar veloz e ríspido.

A primeira faixa é a “Ritual of Sacrifice”, iniciada por um riff na guitarra e seguida do vocal agudo marcado pela bateria, mescla de forma muito equilibrada o Speed Metal com trechos mais Heavy. A seguinte, "Evil Maniacs" também apresenta trechos bem Heavy Metal, mas seguindo a proposta central do Speed. "Hell Angel" começa com um riff que impressiona de cara, seguido da entrada do baixo e bateria bem destacados. Essa música segue uma linha bem Speed/Thrash Metal, com mais peso. A faixa que fecha o álbum, "Metal is Back", possui uma entrada sombria, e, assim como na anterior, é composta de riffs bem Speed/Thrash Metal. 

Embora fique muito claro as influências da banda no EP, ele é muito autêntico, misturando estilos sem perder a personalidade da banda. Um trabalho coeso, no qual fica nítido o entrosamento e feeling da Fast Evil, por explorar todos os instrumentos e a qualidade do vocal, que sabe muito bem onde encaixar os agudos mais agressivos.

O quarteto foi muito feliz em seu primeiro lançamento, ao ser fiel à sua proposta de fazer Speed Metal e, principalmente, de acordar o demônio. A Fast Evil tem tudo o que é preciso para se tornar uma referência nacional do estilo: velocidade, autenticidade, personalidade e talento.



TRACKLIST
01. Ritual of Sacrifice
02. Evil Maniacs
03. Hell Angel
04. Metal is Back


FORMAÇÃO
Lucas Mesquita - Vocal
Diego Dourado - Guitarra
Marcos Andrade - Baixo
Luis Neto – Bateria


ACOMPANHE A FAST EVIL
FACEBOOK / YOUTUBE / INSTAGRAM / SOUNDCLOUD

Torture Squad: divulgação de título e tracklist do novo álbum

A paulista Torture Squad, banda de Death/Thrash Metal formada por May "Undead" Puertas (vocal), que já concedeu uma entrevista exclusiva a'O SubSolo (confira aqui), Rene Simionato (guitarra), Amilcar Christófaro (bateria) e Castor (baixo), divulgou recentemente o título e tracklist do seu próximo álbum. A banda está completando 24 anos este ano!

O álbum, que é o oitavo de inéditas, será intitulado "Far Beyond Existence" e está sendo gravado e produzido em São Paulo, por Tiago Assolini (Loud Factory), Wagner Meirinho e pela própria Torture. A banda tem atualizado suas redes sociais com vídeos e informações sobre a gravação.

A versão brasileira terá dez músicas, com a faixa-bônus "Torture in Progress", com participação de Marcello Schevano (Carro Bomba, Golpe de Estado e Casa das Máquinas) tocando Hammond.


TRACKLIST DE "FAR BEYOND EXISTENCE"

01. Don’t Cross My Path
02. No Fate
03. Blood Sacrifice
04. Steady Hands
05. Hate
06. Hero for the Ages
07. Far Beyond Existence
08. Cursed by Desease
09. You Must Proclaim
10. Torture in Progress

O álbum, com lançamento previsto para o dia 13 de julho, será lançado no Brasil e na Europa pela gravadora inglesa Secret Service Records.


ACOMPANHE A TORTURE SQUAD


22 maio, 2017

Conheça: Poenitentiam (Florianópolis/SC)

O power trio de Death Metal Poenitentiam, formado por Vinícius Dias (baixo/vocal), Arthur Macedo (guitarra) e Mateus Silva (bateria), teve início em setembro de 2016. As suas principais influências são Sarcófago, Morbid Angel, Obituary, Autopsy, além de algumas bandas de Doom Metal.

As suas letras são bastante críticas, tendo como temas a exploração da população em troca de dinheiro e poder, a violência policial e a falta de justiça social.


Em janeiro, a banda lançou seu EP "Conspiracy Remains", que aborda a realidade política do país e mostra a fidelidade da banda com o estilo que se propõe. A capa foi feita pelo artista Thiago Boller.



TRACKLIST
01. Intro
02. Gloomy Horizon
03. Conspiracy Remains
04. Death Squad
05. Kingdom Of Pain


No momento, a Poenitentiam está no processo de composição de um novo trabalho que pode ser lançado ainda este ano.

ACOMPANHE A BANDA

Threzor: lançamento da demo "Silent Execution"

A Threzor é formada por Lucas Souza (rhythm guitar/lead vocals), Gabriel Theofelo (lead guitar/vocals), Matt Prusse (bass/vocals) e John Kuntze (drums). Sob o estilo do Thrash Metal, as principais influências são principalmente as bandas dos anos 80: Exodus, Testament, Metallica, Slayer e Anthrax, e a brasileira Sepultura. Além disso, é importante ressaltar a influência de outros estilos como o MPB e o Classic Heavy Metal para a construção do som da banda.

A imagem pode conter: 4 pessoas, texto

A banda de Florianópolis/SC, que teve início no final de 2016, acaba de lançar a demo "Silent Execution", que tem como tema a violência por pessoas em quem confiamos. A música, que combina peso, melodia e agressividade com maestriaestará no EP de estreia que será lançado em agosto.


ACOMPANHE A THREZOR

21 maio, 2017

Anger Cult: lançamento do EP "Bringing Order Through Chaos"

O trio de Jaraguá do Sul/SC, formado por Marcos Danna (guitarra e vocal), Otávio de Azevedo (vocal e baixo) e Bruno Fe (bateria), acaba de lançar seu primeiro EP intitulado "Bringing Order Through Chaos", gravado em 2015 e 2016.

A Anger Cult possui forte influência do Thrash Metal dos anos 80, o que fica muito claro em todas as 5 faixas. As músicas, com temas que vão desde política até características da sociedade humana, combinam muito bem velocidade e técnica. Um EP recheado de peso e agressividade... Sem dúvida, uma boa pedida para os fãs de Thrash Metal.

A arte da capa, que você confere abaixo, foi feita pelo artista jaraguaense Jefferson Maier.


TRACKLIST

01. Chaos
02. Red Sign
03. Jack the Ripper
04. Guilty... But What is Justice
05. Hail

Ouça o EP na íntegra aqui.


ACOMPANHE A BANDA

Feeding: fusão de Harcore e Metal lança videoclipe via New Noise Magazine

Formado em 2016, FEEDING foi criado por músicos da cena Hardcore de Edmonton, Canadá, das bandas Cold Lungs e Low Level.



Com membros de cada banda ainda buscando a destruição auditiva definitiva, um EP de cinco músicas foi produzido. Está sendo lançado em formato digital e em fita cassete através do selo Funeral Trance Records. O debut foi gravado no Piss Alley por Derek Orthner (Begrime Exemious) e masterizado por Brad Boatright do Audio Siege.

Em parceria com a New Noise Mag, o FEEDING estreia seu novo videoclipe para o single 'Rotting Alive'.



O EP pode ser comprado (digital e cassete) via Funeral Trance Records: https://funeraltrancerecords.bandcamp.com/album/feeding-2017

Track Listing:
1. Tumult
2. Dregs
3. Rotten Alive
4. Impure In The Eyes Of God
5. Kazmus

Conheça mais a banda:

Fonte: Asher Media/Metal Media

Anjo Gabriel: o ressurgimento do grupo com nova formação

Compacto de 7" é lançado pela Abraxas em parceria com o selo Ripohlandya.




A banda Anjo Gabriel, de Recife, está de volta com músicas inéditas e que prometem desconcertar os amantes de Krautrock Progressivo psicodélico. “Resiliência” e “Claralice” compõem o compacto de 7 polegadas lançado nesta sexta-feira, 5 de maio, nas principais plataformas de streaming (ouça aqui: https://ONErpm.lnk.to/ResilienciaClaralice) e com previsão de lançamento físico para 24 de junho, data em que a banda sairá em turnê para divulgar o novo trabalho (a prensagem já está em andamento pela Polysom e a pré-venda já está rolando pelo link: https://likestore.com.br/store/showcase/ripohlandya?prod=802728).

Em atividade desde 2005 e com dois discos lançados, "O Culto Secreto do Anjo Gabriel" (2011) e "Lucifer Rising" (2013), Anjo Gabriel ressurge após um ano e meio de recesso com nova formação: Marco da Lata (baixo), Júnior do Jarro (bateria), Diego Drão (órgão, sintetizador e theremin), Phillippi Oliveira (Guitarra) e Amarelo (Percussão).

A produção das duas novas músicas começou em 2016, em Recife, durante a IPA Sessions, gravadas numa cervejaria da cidade. Como explica o baixista Marco da Lata, neste processo a banda escreveu novas composições e recuperou algumas que nunca foram finalizadas. “Estamos testando um formato em que iremos lançar vários compactos com as músicas do que será o novo disco que pretendemos gravar em 2018”, conta Anjo Gabriel.

Por: Abraxas Produtora

Riviera: ouça a nova canção "Do Céu Ao Mar", que conta com a participação de André Ribeiro (Alaska)

Single tem a participação de André Ribeiro, vocalista da Alaska;

Peso e poesia são elementos que se encontram na nova música da Riviera. “Do Céu Ao Mar” abre os trabalhos do próximo trabalho e nova fase da banda mineira, já dando um gostinho do que vem por aí após o elogiado EP “Somos Estações”. O single está disponível nos serviços de streaming de música.



“Do Céu Ao Mar” é novidade mas começou, na verdade, bem antes. Há exato um ano, a Riviera foi selecionada para o projeto Converse Rubber Tracks, garantindo a gravação de uma música no renomado estúdio Family Mob, em São Paulo. A produção foi assinada por Jean Dolabella, guitarrista e baterista da Ego Kill Talent e ex-baterista do Sepultura.

A canção já nasceu com a tarefa de apresentar ao público o terceiro EP da banda, calcado em um som dissonante e letras profundas, além de participações especiais. Nesta faixa, quem marca presença é André Ribeiro, conhecido na cena rock paulista como vocalista da Alaska.

“O André, assim como todos da Alaska, é um queridaço da Riviera, desde que conhecemos a banda no Spotify e fizemos contato pelo Facebook. Conhecemos os caras pessoalmente, justo quando estávamos iniciando as gravações de ‘Do Céu Ao Mar’ no Family Mob. Na oportunidade, dividimos a noite com a Alaska pela primeira vez, em SP. Logo de primeira, pensamos que seria demais se pudéssemos contar com os vocais dele (que tem um timbre bem característico) nessa música!”, relembra o baixista Rapha Garcia.

“Do Céu Ao Mar” é uma música sobre angústia. Sua letra forte e seu instrumental pesado, cheio de altos e baixos em sua dinâmica, retrata uma realidade obscura, porém presente na vida de muitos. Os versos abordam a tentativa de equilíbrio dos próprios sentimentos e o fracasso de não conseguir, gerando uma ansiedade e um misto de sensações tanto físicas
quanto emocionais.

Para coroar este lançamento, “Do Céu Ao Mar” ganha um webclipe. O compilado de imagens feitas durante a gravação da música no Family Mob Studios mostra também momentos do emblemático o show de lançamento de “Somos Estações”, no Teatro Bradesco BH. Com isso, a Riviera encerra um positivo ciclo com o ex-baterista Tulio Braga e dá as boas-vindas ao novo integrante Pedro Theodoro, responsável por assumir as baquetas neste novo trabalho. Além de Pedro e Rapha, a banda é formada por Vinicius Coimbra (guitarra e voz), Rafa Giácomo (guitarra e voz) e Breno Machado (guitarra e vocais).

Assista ao webclipe: 




Confira a nova canção:
Google Play - https://goo.gl/MF0DUX


Ficha técnica:
Vinícius Coimbra - Voz
André Ribeiro (Alaska) - Voz
Rafa Giácomo - Guitarra
Breno Machado - Guitarra e Backing Vocals
Rapha Garcia - Baixo e Backing Vocals
Tulio Braga (ex-Riviera, Oceania) - Bateria

Webclipe:
Direção, decupagem e produção: Breno Machado
Imagens: Frank Bitencourt, Flávio Charchar, Eugênio Muraro, Pode Flutuar, Rapha Garcia, Breno Machado

Montagem:
Rapha Garcia e Breno Machado

Edição e pós-produção: 
Breno Machado

Música:
Gravada no Family Mob Studio e Estúdio Cavalo - São Paulo/SP / Royal
Records e Quarto do Breno - Belo Horizonte/MG

Produção:
Jean Dolabella, David Davox e Riviera

Arranjos:
Riviera

Mixagem e masterização: 
Afonso Silva

Artwork:
Vinícius Coimbra

Letra/Composição:
Vinícius Coimbra

Build Up Media
Postagens mais antigas → Página inicial