• Youtube - O SubSolo

    Inscreva-se em nosso canal no Youtube e acompanhe nosso material audiovisual também. Com a intenção de deixar as lives registradas, criamos nosso canal no Youtube. Com a necessidade de mais materiais, lançamos a 'Coletânea Virtual O SubSolo Vol. 1 e pretendemos mais conteúdos em breve, inscreva-se e ative o sininho [...]

  • Podcast - O SubSolo

    Wendell Pivetta comanda o Podcast do Site O SubSolo de forma quinzenal. Com o apoio da Mutante Radio, o podcast tem como intuito ser mais um conteúdo atrativo d'O SubSolo. Contando com um dos maiores amantes do Rádio comandando o Podcast, o fundador do Metal Etílico soma com O SubSolo em mais um conteúdo para lá de especial. Ouça os episódios anteriores e fique atento para os próximos [...]

  • coletânea virtual o subsolo vol. 1

    A equipe do site O SubSolo não para de trabalhar. Criando conteúdos intensivos e de alta qualidade para de alguma forma ajudar o cenário nacional em meio a pandemia, além das lives que são postadas no YouTube e o Podcast quinzenal, agora o site lança sua Coletânea Virtual. Ouça agora! [...]

SEU COMPARTILHAMENTO É O NOSSO PAGAMENTO!

11 julho, 2020

Topfive: cinco bandas para ouvir neste final de semana #156 - Especial: Death Metal

Nesta edição do Top Five, trouxemos 5 bandas nacionais e autorais de metal morte, mais conhecido como Death Metal.

Claro, cada uma das bandas aqui listadas possui características e influências específicas no seu som e esta não é uma tentativa de colocar as bandas em "caixas", mas com a finalidade de elaborar este Top 5, podemos dizer que citamos 5 bandas onde o Death Metal é muito presente. 




1) Inanimalia - Ribeirão Preto/SP

Esta banda foi formada em 2016 com a proposta de trazer músicas com influências melódicas de diversos estilos musicais e letras que valorizam a imersão psicológica. Inanimalia acabou de estrear um novo single e clipe chamado Butterfly, que se destaca pela qualidade audiovisual e pela temática abordada:




2) Cromathia - Curitiba/PR

Banda curitibana de Death Metal com fortes influências do Thrash. A banda passou por várias formações e, em 2017, lançou um full chamado Another day of Torment que foi muito bem recebido pelo público e pela crítica. A banda oferece um alto nível técnico e uma produção caprichada. 




3) Mothera - São Paulo/SP

Esta banda de São Paulo apresenta um som mais moderno, mas ainda muito influenciado pelo Death Metal tradicional. Com um EP e um single lançados, a banda tem recebido ótimos feedbacks em relação a produção do material e as composições.




4) Evil Project - Curitiba/PR

A Evil Project é uma banda de metal com várias influências, entre elas, o Death Metal. Formada em 2013, em 2018 lançou seu primeiro álbum Return of the Dead. Um som denso e vocais macabros aliados a letras que giram em torno da temática de filmes de terror/horror, resultaram em um livro de contos inspirados nas músicas. 
O livro pode ser adquirido aqui.   




5) Device - Brasília/DF

A nossa última banda recomendada para encerrar o Top 5 com chave de ouro é uma banda que tem 16 anos de estrada. Device tem um som brutal, Death Metal veloz e direto. As letras da banda se caracterizam por ter uma postura forte e bem explícita contra instituições como a Igreja.


09 julho, 2020

Topfive: bandas que cantam em Português #16 - Especial: Extremas

Salve headbangers, para aqueles que assim como esse que vos escreve, apanha muito para a língua inglesa, esse Top Five é mais que especial pois vamos apresentar cinco bandas que cantam em português. E como é tradição nas minhas escritas n'O SubSolo, vou apresentar bandas mais extremas das variadas vertentes.



1)
Vazio - Black Metal (São Paulo/SP)

Essa banda de Black Metal de São Paulo formou-se em 2016 e possui na sua formação nomes conhecidos que passaram por instituições do Crust e Black Metal como Armagedom, Social Chaos, Nuclear Frost e Creptum que uniram forças e formaram o vazio, que presentou os fãs esse ano com o excelente registro Eterno Aeon Obscuro, que consegue unir sonoridades do Black Metal tradicional com música ritualista e experimental. O trabalho vem coroar a excelente fase da banda que além de um EP e Splits, tem também no seu currículo uma turnê pela Europa. E ao ouvir sons como Nascido no fogo você vai perceber que o Vazio só esta começando sua escalada para reinar o Metal Negro nacional.



2) Sangue de Bode - Death/Thrash Metal (Rio de Janeiro/RJ)

Sabe aquela banda que te conquista na primeira audição, você ouve e se identifica com o som, com a ideologia com a proposta e tudo mais? Pois bem foi exatamente o que aconteceu comigo ao ouvir o trabalho do Sangue de Bode. Desde o primeiro EP Comendo Lixo até chegar no brilhante trabalho A sombra que me acompanhava era a mesma do diabo, outro forte nome a estar na lista de melhores do ano, indo para várias correntes do metal extremo do Death ao Black, não se prendendo a rótulos e com muito a dizer, longa vida ao Sangue de Bode. 





3) Brutal Morticínio - Pagan Black Metal (Novo Hamburgo/RS)

Existe um falso senso comum que o Black Metal se associa diretamente a ideias racistas, xenofóbicas misóginas etc... Infelizmente temos sim supostas hordas que vão para esse caminho, entretanto é uma minoria que logo vai ser descartada, o verdadeiro metal  negro é contestador e anti dogmatismos. Quem levanta muito bem essa bandeira é a Brutal Morticínio, formada em 2006 no Rio grande do Sul essa horda sempre me chamou a atenção pelas influências de Darkthrone em excelentes opus como Despertar dos Chacais - O Outono dos PovosObsessores Espíritos das Florestas Austrais e o seu mais recente trabalho lançado em 2018 "An Indigenous War Black Metal Front"




4) Estamira - Hardcore/ Trash (Brasília/DF)

A música é uma forma de arte e pro isso mesmo é claro que ela transmite mensagens pensamentos e posturas isso fica bem claro no som da Estamira que no meio do seu som que é nada menos que visceral, consegue passar uma visão de mundo questionadora e inquietante. Formada por musicistas ativas na cena de Brasília e estando juntas desde 2007, a banda retomou de um tempo inativa e esse retorno é marcado por uma sonoridade ainda mais violenta. Ouça por exemplo: Quem morre sangrando por mim?



 

5) Desonra - Crossover  (Brasília/DF)


A cena de Brasília merece um olhar atento dos fãs de Metal Extremo. Um nome forte que vem de lá ganhando bastante espaço a cada lançamento é o Desonra. A banda nasceu em 2014 e depois de passar por um processo de estabilizar a sua formação lançaram o seu primeiro EP em 2016 onde temos faixas como Boneco Morto. Em 2018 é lançado o primeiro full que leva o nome da banda e apresenta a sua proposta musical que transita muito bem pelo Hardcore e Thrash confira. O trabalho mais recente da banda o single Filho da Vida foi lançado agora em maio de 2020.








08 julho, 2020

Abstracademy (Argentina) lança o novo single Disruption

No dia 29/06 a banda argentina de Metal Experimental Abstracademy lançou um novo single intitulado Disruption

Arte de capa pelo artista Matias Guti

O novo single chega acompanhado por um clipe lançado na mesma data. Tanto a música como o clipe se complementam para criar um clima de tensão. O som da banda é pesado, uma mistura de death metal com elementos progressivos e guturais agressivos, que por momentos relembra Meshuggah

Disruption chega após quase 2 anos do último lançamento da banda, o EP homónimo de estreia lançado em 2018 e que se encontra disponível na íntegra nas plataformas de streaming e também no YouTube. 

A banda também anunciou que em breve será lançado um novo EP que ainda não teve seu nome divulgado. 

Conversamos com Abilio, vocalista e guitarrista da banda, para saber um pouco mais sobre a produção do novo single e outras curiosidades. 

A banda passou por algumas mudanças desde o último lançamento em 2018. Como vocês se sentem hoje, após trazer um novo single ao mundo? 
Abilio: Estamos muito felizes já que o single marca uma nova fase. Na primeira formação da banda existiam opiniões muito dispersas, após um tempo de maturação no qual fomos sinceros com nós mesmos, Simón e eu fomos criando as bases para o renascimento da banda 

A imagem da capa de Disruption é muito interessante e também parece esconder um significado, poderiam nos contar um pouco o que representa? 
Abilio: É bem surreal e simbólico ao mesmo tempo, mas de forma resumida representa a quebra que em algum momento os seres humanos precisamos para nos questionar o verdadeiro significado da liberdade. 

Qual foi a inspiração para escrever a letra de Disruption? Ela remete aos acontecimentos atuais (pandemia e suas consequências), se trata de coincidência ou não? 
Abilio: Não foi casualidade, a banda se viu na necessidade de expressar nestes momentos de quarentena a sensação de confinamento e frustração. Disruption fala sobre isso, sobre a quebra da inércia e sobre o que isso pode vir a significar mais pra frente. 

Vocês conhecem ou acompanham bandas brasileiras? sendo assim, quais? 
Abilio: Sim, gostamos muito da cena do Brasil, e bem hardcore, e compartilhamos bastante disso. Podemos citar sem dúvidas: Sepultura, Krisiun, Ratos de Porão, Desalmado, Sinaya dentre as que lembramos agora. 

Quais são os próximos passos da banda após este lançamento? O que devemos esperar?
Abilio: Antes deste single, finalizamos a pre-produção do nosso EP que vem carregado de muita força lírica e musicalmente. Esta nova produção é muito especial para nós já que representa momentos de transformação na nossa vida como banda e indivíduos. 
Temos certeza de que as pessoas irão se sentir identificadas pelo que o EP expressa. 

Confiram o clipe de Disruption: 



Redes Sociais: 

Plataformas de Streaming: 

No Fearz anuncia assessoria de comunicação em pré lançamento do primeiro EP

Prestes a divulgar o lançamento do seu primeiro EP de inéditas nomeado "NFZ", no dia 10 de julho, os cariocas da No Fearz anunciam a chegada do jornalista em formação, Wendell Pivetta.
O comunicador já é um conhecido da cena independente. Ele é Integrante do programa Metal Etílico, da mídia digital Memórias do Rock Gaúcho e do site O Subsolo. Atualmente está finalizando o curso de jornalismo pela Unicruz no Rio Grande do Sul.

A banda investe cada vez mais em sua música, consolidando seu nome no cenário nacional. Em sua jornada, a banda já fez parte de um evento com o grupo Ponto Nulo no Céu, referência dos músicos, entusiasmando a banda para seguir em frente. Momento como este, trouxe alianças fundamentais na cena independente, conquistando a amizade do produtor musical Heber, auxiliando a banda com a estrutura do Studio OrbitaST.
O resultado desta força musical, você confere daqui uns dias, no EP de estréia da banda que estará presente nas plataformas digitais.
Ficha técnica:


NoFearz é:
Doug- voz
 Ziel- guitarra
 Luizinho Sant'Anna- guitarra/voz
 Jeff - bateria
Renan - baixo/ voz.

Arte por Getúlio Marins
Composição: Ziel, Jeff Almeida e Douglas Dias
Produção:  Jeff e Ziel
Mixagem e Masterização:Jeff, Ziel e Hebert Geburt

04 julho, 2020

Topfive: cinco bandas para ouvir neste final de semana #155

Senhoras e senhores, com a mais digníssima honra, o Top Five do seu fim de semana retornou. Wendell Pivetta, criador de conteúdo d'O Subsolo, digita emocionado este texto de um clássico deste site designado à boa música, apresentando nossas preciosidades musicais deste gigante Brasil.



01) NoFearz - New Metal (Rio de Janeiro/RJ)

Começo com o New Metal do Rio de Janeiro, de uma das bandas de prodígios da cena independente. A NoFearz vem crescendo cada vez mais, investindo em estudos musicais, equipamentos e conseguindo inclusive atuar em shows dentro das possibilidades digitais. Através da música, a banda passa mensagens positivas, repassando coragem para as pessoas enfrentarem as dificuldades do cotidiano.


02) Evernoise - Metal (São Paulo/SP)

Ecoando temas sociais, políticos e religiosos, a Evernoise apresenta uma potente sonoridade, com o bom português a claras. Banda da grande São Paulo, tem seu diferencial, com velocidade e uma ótima técnica musical.



03) Elephantus - Stoner Rock (Blumenau/SC)

Santa Catarina é um estado repleto de areia das belíssimas praias, e neste meio conheci a Elephantus com referenciais de areias do deserto do Saara. O duo de Stoner Rock apresenta pitadas musicais do Oriente Médio e ritmos brasileiros. Mesmo apresentando uma produção "crua", a banda surpreende e eu aposto minhas fichas em trabalhos futuros de muita qualidade desta linha musical apresentada pela banda.



04) Ossos Cruzados - Thrash Metal - Hardcore (Taboão da Serra/SP)

A Ossos Cruzados é uma banda de Hardcore Punk com influências Thrash Metal, muito bem apresentados. Particularmente apresento um single, cujo o qual, eu dou risada e ao mesmo tempo degusto de uma grande sonoridade com uma analogia fenomenal. Não preciso mais digitar, apenas deixar a jogada acontecer.


05) Diokane - Punk - Hardcore (Porto Alegre/RS)


Finalizo o retorno do TopFive com a banda Diokane, expressando seus descontentamentos em forma de música. A banda acredita que a expressão musical seja uma forma positiva de extravasar, servindo como gatilho para detonar os demônios e tentar manter a sanidade na vida real. Proposta cabível em tempos atuais.



03 julho, 2020

Absens lança o épico trabalho “Martyr Part I: Ignite”

Após 4 anos do seu último lançamento, a banda porto-alegrense Absens publicou hoje o seu novo trabalho, o EP chamado Martyr Part I: Ignite



Absens nasce no ano 2015 e no ano seguinte lança seu trabalho debut, o EP Embrace of the Waters. A formação inicial da banda era um trio composto por Cezar Tortorelli (voz e guitarra), Fernando Spalter (guitarra) e Guilherme Bettini (baixo e vocal) sendo que a bateria deste primeiro trabalho foi programada, devido a falta de um quarto integrante. Isso mudou com a entrada de Alberto Andrade na bateria, no ano 2017. 

Com a formação completa e empolgados pela boa recepção do primeiro lançamento da banda, o novo time começou então a trabalhar na denominada Saga Martyr, que, de acordo com a banda, narra uma história sobre sacrifício em um mundo pós apocalíptico.

Considerando que o conceito foi desenvolvido durante o ano de 2019, chega a ser quase premonitório por parte da banda quando pensamos em todos os acontecimentos que 2020 nos trouxe. 

A Saga Martyr contará com duas partes, a primeira lançada hoje e uma segunda ainda sem data de lançamento, mas que já teve seu nome divulgado Martyr Part II: Alight.

O EP conta com a duas participações especiais, Tiago Masseti (Daydream XI, Kingdom North) no vocal da música Ablaze e de Lucas Etcheverria (que possui um projeto Jazz homónimo) no piano do track Abeyance

As músicas são complexas, intrigantes, com muitos momentos de tensão e alguns de calmaria. A influência do Metal Progressivo, do Djent e do Jazz são evidentes tanto no instrumental, como no trabalho vocal. 

Se eu tivesse que resumir Martyr Part I em uma palavra, escolheria o adjetivo épico principalmente pela utilização de arranjos orquestrais complexos, corais e sua mistura com os elementos pesados como riffs e blast beats nas músicas que criam essa atmosfera.

Os vocais guturais e limpos são a cereja do bolo para complementar este trabalho que é uma excelente pedida para quem curte bandas como Periphery e Tesseract, mas também para quem gosta da sonoridade de Kamelot e até Dimmu Borgir das antigas. 

Confiram abaixo o clipe do primeiro track do trabalho, Ablaze com participação de Tiago Masseti nos vocais: 



Redes Sociais: 

Plataformas de Streaming 

02 julho, 2020

#32 De músico para músico - O que estudar durante o isolamento?

Mesmo que o isolamento termine agora, deve levar um tempo até que o mundo volte ao normal com eventos e aglomerações. Enquanto isso, o que fazer para melhorar sua música?



O cenário dessa vez é o comum de todas as bandas: Em casa ou em estúdio, mas sem shows marcados…

Todo músico ou entusiasta nessa situação se vê realmente amarrado, sem ter pra onde correr. O interessante é montar então um plano de ação para quando tudo voltar ao normal, certo?

Vamos pensar em duas hipóteses: Plano de ação show e plano de ação estudo.

No caso de planos para show, ainda dependemos de público e ensaio, portanto o melhor a se fazer é aguardar as coisas retornarem e manter SEUS ESTUDOS DIÁRIOS. 

No caso do estudo, aí a coisa muda de figura!

Teoria musical e prática alinhadas, manutenção do instrumento em dia e muito, mas muito estudo de composição para trabalhar novidades de retorno.

Vamos trabalhar uma lista dos itens a serem estudados e tratados para voltar à ativa com tudo na ponta dos dedos!

Teoria musical
Vamos combinar que sem teoria musical tem muita gente fazendo sucesso mas daria pra otimizar absurdamente o seu jeito de tocar com um pouco de conhecimento.

Harmonia, campos harmônicos, tríades e tétrades
Essa matéria vai te ajudar a pensar melhor nas progressões de acordes e, consequentemente, vai melhorar sua velocidade de composição.

Escalas
Não só ajudam na criação de melodias como também trazem maior percepção na hora de criar um solo ou riff.

Leitura musical
É importante demais um músico conseguir expressar pra banda o que ele quer trazer pra composição. Nada melhor do que algo bem escrito e fácil de entender, certo?

Arpejos
Matéria conjugada com acordes (harmonia) porém voltada para a técnica. Todo músico deve se preocupar em ter uma boa técnica, portanto, o estudo dos arpejos torna-se fundamental para que seu processo de criação melhore.

Composição
Vamos dar um pouco mais de ênfase nesse ponto, visto que o período de isolamento deve fazer com que as bandas tenham a preocupação de se manter em contato com os seus ouvintes via música nova, já que o contato de show está suspenso.

É claro que as dicas dadas aqui não visam modificar seu estilo nem reinventar a roda, porém, podem ajudar com a sua metodologia e melhorar seu rendimento no ato da composição.

Inspiração
Tente idealizar um tema e seguir as diretrizes que o tema pede. Tente se apegar à ideia inicial e vá até o final antes de rever o tema, às vezes a ideia pode soar melhor terminada do que pode parecer enquanto inacabada.

Dinâmica
Lembre-se de modificar as partes da música para que você tenha etapas distintas ao longo da composição. Se preocupe em dar explosão no refrão e de ter um caminho percorrido até chegar nessa explosão.

Tonalidade
Estude a teoria para identificar os acordes e escalas que melhor combinam com o que você iniciou. Isso pode otimizar seu tempo de forma brutal!

Timbre
As variações de timbre podem te levar a ter novas ideias e trazer um bom processo de inspiração.

Estar antenado
Ouvir listas de novidades, analisar o que as bandas estão lançando, como está o mercado atual. Tudo isso pode refletir no seu som e melhorar seu desempenho.

Gravação
Tenha um meio de gravar, seja no computador ou no celular mesmo. A dica para o celular é: Crie um grupo no seu aplicativo mensageiro com algum amigo e exclua o amigo do grupo. Agora você tem um grupo para se enviar mensagens. Use a ferramenta de gravação de áudio e se envie os áudios para não perder as ideias.


Todas essas dicas são montadas para tentar ajudar o músico a ter rendimento e não ficar estagnado. Cada indivíduo tem seu jeito de trabalhar e de chegar ao resultado.

O que a coluna propõe é aquele empurrãozinho para te dar força de começar ou terminar aquele trabalho que está pendurado na quarentena!

O comportamento dentro da banda é totalmente primordial para que a sua imagem fora da banda seja bacana. Ter novidades no final da quarentena é quase uma obrigação dos músicos nessa época sombria que estamos vivendo. Façamos isso com tranquilidade e muita inspiração!

01 julho, 2020

NervoChaos anuncia desligamento de vocalista Brian Werner, após publicações polêmicas

Em resposta definitiva às polêmicas que se estenderam nas últimas 24 horas, a banda paulista paulistana NervoChaos optou pelo desligamento do vocalista estadunidense Brian Werner. O grupo foi constantemente cobrado nas redes sociais após a exposição de mensagens, publicações e eventos que revelavam a inclinação do cantor, que integrou a banda em abril deste ano, a ideologias simpatizantes ao fascismo.

Nervo Chaos | Cultura em Peso - Mídia especializada no Underground ...

A ação que expos o vocalista começou no perfil MRU - Movimento Resistência Underground, no Facebook, com capturas de tela e um longo texto apresentando a posição "anti-antifascista" de Werner (veja na íntegra aqui), que, além de uma publicação em seu perfil pessoal equiparando o movimento anti-fascista ao comunismo e ao nazismo, possui uma tatuagem escrita "white power" e também passagens pela polícia estadunidense por ações racistas. 

A intenção da publicação do MRU era de cobrar uma resposta e posicionamento da banda, que, em um primeiro momento, defendeu a ideologia de seu, agora, ex-vocalista. No print, a banda dizia que Werner era "um aliado", mesmo com as "diferenças políticas". No entanto, o NervoChaos enfatizou sua posição oposta ao racismo, mesmo defendendo a liberdade de expressão do vocalista, diante as acusações comprovadas de racismo do mesmo.

No entanto, pouco após as 18h desta quarta-feira, 01/07, a banda tomou uma nova ação, e publicou, em suas redes sociais, uma mensagem oficializando o rompimento com o vocalista Brian Werner. O grupo novamente enfatizou sua luta e preocupação contra o racismo na mensagem, além de pregar repulsa ao "nazismo, fascismo e qualquer tipo de preconceito", lembrando ainda os objetivos e a história da banda.

Veja, na captura abaixo, a nota publicada pela banda:


Ainda não foi comunicado, pela banda, quem dará continuidade nos vocais da NervoChaos daqui por diante.