19 fevereiro, 2018

Conheça: Aneurose (Lavras/MG)

A Aneurose foi formada em 2002 na cidade de Lavras – Minas Gerais. Após uma reformulação do line-up da banda em 2011, os músicos começaram a escrever seu primeiro full lenght intitulado ‘’From Hell’’. 



Com o sucesso de seu primeiro disco, iniciaram uma turnê por terras tupiniquins para divulgarem seu mais novo trabalho. 

Já em 2016 a banda começa a escrever um novo álbum com o intuito de superar a excelente repercussão de seu sucessor.

Com energia renovada e diferentes influências, a banda grava seu segundo álbum ‘’Juggernaut’’ que os levou em sua primeira turnê europeia, consolidando a banda no cenário do metal mundial e abrindo diversas oportunidades para participar de diversas coletâneas internacionais e dos tributos oficiais ao Black Sabbath e AC/DC. 


FORMAÇÃO
Wallace Almeida – vocal
Sávio Chaves – guitarra
Raphael Wagner – guitarra
Sthefano Dias – baixo
Kiko Ciociolla – bateria 


SIGA ANEUROSE
ESCUTE AS MÚSICAS 

18 fevereiro, 2018

Resenha: Renovo - Commando 47 (2016)

Recentemente, o Commando 47 foi contemplado com o prêmio catarinense de melhor banda do estado do ano de 2017. Natural de Joinville/SC, o grupo une Rock, Rap, peso, melodia e muita criatividade. O EP "Renovo" tem uma forma natural de encantar e deixar-nos boquiabertos, com clareza, objetivo e renovação, sim, os caras tem tudo pra trazer aos ouvidos do público o Nu Metal, com pequenas adições de New Metal que estava um pouco no esquecimento, mas que foi uma febre no início dos anos 2000's.




A ligação entre os versos cantarolados em forma de Rap e já com refrões cantados com mais peso, trazem um pouco mais de percepção na proposta apresentada. Para mim, a grande sacada do disco é a música "Marcas" que traz um acústico envolvente e que nos contempla com a obra de arte com uma letra mais poética e mais pessoal, notório todo o sentimento depositado e que vai além de sentimentos, expressões e até de transparência musical.

Quando uma banda consegue alcançar o objetivo traçado, tudo fica mais fácil. Consigo notar como citado acima, muito sentimento envolvido, mas mais do que isso, a banda consegue mostrar uma maturidade acima do normal, trazendo uma sonoridade que está escassa no cenário nacional, quem dirá no catarinense. Sabendo como compor, tudo fica mais fácil, os fraseados nem sempre trazem rimas pontuais, mas trazem abordagens inteligentes e de ótimo entendimento, quando digo entendimento, falo de mensagem passada e entendida.

Claro que tudo parte de um ideal, qual é o nosso? Já parou para pensar e analisar tudo o que está em nossa volta? Nem todo Rock é gritado, assim como nem todo é com vocal limpo, mas arte, é arte. O importante de tudo, é saber sobre o que ouvimos, sobre o que cantamos e o mais importante, "Qual mensagem queremos passar?". Não se faz música por fazer e tampouco compõem por apenas compor. Já parou também para pensar quantas canções temos engavetadas pelo medo de transmitir sentimentos? Commando 47 traz um EP muito bem gravado e com qualidade fantástica, canções espontâneas, com a clareza da mensagem de um mundo melhor.

Material entrega pel'A Hora Hard.



FORMAÇÃO
Bruno Fri - vocal
Jhonatan Marques - vocal e guitarra
Tiago Souza - guitarra
Lauro Junior - baixo 
Ruan Corrêa - bateria

Kohai - DJ

TRACKLIST
01) Marcas
02) Semelhantes
03) Renovo part. Victor Pradella
04) Não sou Daqui

05) Buscar Viver



17 fevereiro, 2018

Topfive: cinco bandas para ouvir nesse final de semana #65

O tão esperado encerramento da semana chegou, e mesmo nessa semana tão curta, ele não deixa de ser aguardado com afinco. E por aqui, você já sabe, nossos sábados pedem por cinco bandas especialmente recomendadas por nós. Nesta edição, dei atenção para bandas com trabalhos recém lançados ou que estão em pé de lançamento para 2018.



1) Molitium - Through the Sands of Time - Laguna/SC

Tive a honra de receber esse material em primeira mão e faço questão de trazer aqui pro nosso portal novamente. Quando uma banda próxima de nós faz um novo lançamento ficamos naturalmente empolgados em ajudar a promover. Dada a qualidade apresentada em "Through the Sands of Time", a expectativa pro lançamento do álbum do quarteto aqui de minha cidade é para ser alta por parte de quem ainda não pode conferir o trabalho completo. Enquanto dia 26 não chega, confiram o single deles.


2) FireGun - Back With the Fuck Up! - Guarulhos/SP

É só dar play e você sabe que acabamos de mudar de patamar e fizemos isso com uma intensidade e tanto. Ouvindo a banda paulista é fácil reparar várias grandes influências e da mesma forma notamos uma autenticidade e fúria ímpar no som desses caras. A FireGun está com um novo trabalho circulando e foi um baita achado cruzar com essa música deles. Um Thrash groovadíssimo com todos os elementos pesados que essa tendência necessita.


3) One Thousand Dead - Guerra - Agudos/SP

Esse aqui praticamente saiu do forno agora e ainda está quente. Música reta, sem frescuras, apenas peso e densidade. Esse é o som de One Thousand Dead, mais um ótimo achado quando resolvemos nos inteirar por bandas que estão trabalhando em novos materiais. Destaque fica também para a letra em português, que carrega tanto peso quanto o instrumental.

;

4) Imperador Belial - Cult of the Black Light - Rio de Janeiro/RJ

Frio e torturante como o Black Metal deve ser, Imperador Belial aposta em uma mescla de influências para trazer um som que por vezes é lento e pesado como Black Sabbath e minutos depois rápido e cru como Sarcófago. Do cálice do Metal a banda carioca bebeu das melhores inspirações e seu trabalho mais recente "Morbid Rites" é um banquete para os apreciadores do Metal extremo.


5) Funeratus - Rise and Fall Again - Mococa/SP

Em passos largos e pesados chegamos a essa já lendária banda de São Paulo. Referência para muitos quando se trata de Metal extremo, Funeratus faz em 2018 vinte e cinco anos de estrada e segue com dosagens máximas de brutalidade e atrocidade sonora. "Rise and Fall Again", lançada em janeiro junto com o álbum "Accept the Death", é a prova de que Death Metal melhora conforme a experiência acumulada na bagagem.

Trema: "Cada Passo" é um videoclipe emocionante, apresentando a história do jovem Pedro Pimenta

Com 20 anos de estrada, a banda Trema acaba de lançar seu novo single, com ele um videoclipe emocionante de quase lhe fazer cair em lágrimas, mas no fundo, uma mensagem tocante sem igual.



Aos 18 anos, Pedro foi diagnosticado com meningite. Doença está muito agressiva, o que era praticamente uma sentença de morte. Talvez milagre, ou qualquer outra coisa que podemos chamar, mas a verdade é que Pedro deixou o hospital após incrivelmente seis meses, porém, dois comas mais tarde o fez ter que amputar os quatro membros, acima de joelhos e cotovelos.

Todos os especialistas destinavam a Pedro uma vida na cadeira de rodas, a história era sempre a mesma, nenhuma outra pessoa amputada em sua situação obteve sucesso em viver uma vida com quatro próteses. Sozinho nesta situação, Pedro nunca baixou a cabeça, muito menos desanimou. Estava determinado a viver de forma independente. Mais dez meses no hospital, e o garoto voltou para casa, com uma força que assustava a todos, nem o próprio sabia que tinha. Doando sua cadeira de rodas, em seguida começa a luta por uma vida normal e independente.

Não parou por aqui, hoje Pedro dirige seu veículo não adaptado, um feito inédito para uma pessoa amputada até ele, sendo que agora utiliza de suas experiências para auxiliar outros amputados. Residindo hoje nos Estados Unidos, o mesmo é Ted Talker*, best seller com seu livro "Superar é Viver" e ainda por cima, mora sozinho. Utiliza de seu tempo livre para fazer palestras motivacionais no mundo todo e no seu dia-a-dia, vive uma vida independente e cursa Economia numa faculdade no sul da Flórida. Confira seu depoimento sobre a música e videoclipe:



Confira o videoclipe "Cada Passo" da banda Trema:


OverMist: novo single "Land of the Dead" demonstra o poder de composição da banda paulista

Na sexta-feira 02/02, a banda paulistana de Heavy Metal OverMist lançou o seu novo single, “Land of the Dead”, nas principais plataformas digitais

A banda é formada por André Martins na bateria, Ricardo Melo nos vocais, Rodrigo Santos na guitarra e Vini Ruggi no baixo e tem o som influenciado pelo Metallica e pela cena pós-Thrash Metal dos anos 90.



Land of the Dead” foi produzida por Rogério Wecko do Estúdio Dual Noise e é uma música rápida e agressiva, que explicita bem as influências da banda. André Martins, baterista, que também escreve as letras da OverMist, explica um pouco sobre o significado da música: "Land of the Dead" fala sobre abandono e negligência paterna. Sobre uma história, infelizmente, muito comum.

Do ponto de vista do filho, a música descreve um pai que não o criou, educou ou alimentou, mas volta, anos depois, buscando a reconciliação, como se nada tivesse acontecido.

Porém, já um homem feito, o filho não aceita suas mentiras e desculpas e age como se o pai estivesse na 'terra dos mortos'".

O lançamento inclui, ainda, o lyric vídeo de "Land of the Dead", que foi produzido pelo próprio vocalista da banda, Ricardo Melo, que também é designer gráfico. Ricardo comenta que o conceito do vídeo foi baseado na estética característica de HQs de zumbi: "No lyric eu usei um traço de quadrinhos pra remeter à escola clássica de comics de zumbis que se valiam de muitas hachuras para dar um tom mais dramático.

Conceitualmente um pouco diferente da letra, o vídeo conta a história de um apocalipse zumbi que está acontecendo dentro da cabeça atormentada do personagem, que se revela na parte final da música. Legal que há alguns easter eggs durante o lyric, fazendo com que a 'Invasão Zumbi' se torne mais interessante, até o momento mais conclusivo".

O lyric video de "Land of the Dead" pode ser conferido no canal da banda no YouTube: 



A música pode ser ouvida, também, pelos perfis da OverMist nas principais plataformas digitais:


16 fevereiro, 2018

Médicos de Cuba: banda curitibana lança seu novo single

Os paranaenses da Médicos de Cuba acabaram de lançar nesta sexta-feira 16/02 uma nova single, intitulada nada de amor, com um tom menos agressivo e refrão mais melódico, o grupo segue surpreendendo com músicas e letras grudentas com uma identidade única.



 “Não é difícil escutar a música uma ou duas vezes e se pegar cantarolando durante o dia, acho que conseguimos um bom resultado!” comenta o vocalista Wagner Prochno, também responsável pela produção gravação e mixagem da música, a masterização tem assinatura de Chuck Hipholito (Estúdio Costella/Vespas Mandarinas).

O single, Nada de Amor, tem tudo pra gerar bons frutos ao grupo, que promete muito mais novidades em 2018.

A gente quer produzir bem mais conteúdo esse ano, estamos preparando alguns retrabalhos de músicas antigas e compondo músicas novas pro próximo disco, enquanto isso a turnê de shows segue bem, e não podemos ignorar os shows, já temos bastante datas engatilhadas por aí, então se o processo criativo continuar andando bem e der tudo certo quem sabe até o fim do ano temos um CD gravado e lançado, vamos torcer” comenta o baterista Vinicius Hasselmann.

"Nada de amor" é a primeira single lançada em 2018 pelo grupo, você pode ouvi-la nas principais plataformas de streaming, ouça agora:

Saghrat: a caçula Mossoroense não é apenas uma promessa, será a próxima banda a ser ouvida pelo Brasil

Saghrat é formada por Will Veny (V/G), Hian Alves (G), Carlos Miranda (B) e Ceffas Fihlo (D). Apesar de ainda jovens eles teem a música como principal ocupação em suas vidas trazendo na bagagem passagens por várias outras bandas da região, esse quarteto surge na cena com muita garra e com um projeto muito bem encaminhado.



Oriundos de uma das cidades mais culturais do Rio Grande do Norte, porém sem muito apoio à contracultura, Saghrat já tem um disco praticamente pronto e em breve vai lançar seu 1º Single para apresentar o seu poder sonoro aos Bangers.

A banda traz uma proposta de Metal Fusion, vertente do Heavy Metal que envolve o Prog, Power e Melodic com influências das clássicas bandas do Hard Rock. Em plena fase de finalização do material fonográfico, o desafio agora é finalizar as arranjações, mixagem e masterização do disco, para enfim tentar assinar com algum selo e partir para a prensagem do Debut, isso mesmo, a estreia já é um Full-Lenght que já tem título e capa. Aguardem!

Para saber sobre as notícias da Saghrat, siga a página da banda no Facebook.



Fonte: Dapesada
Foto: Zenden Silva

Triturador: álbum de inéditas no caminho certo!



Cada vez mais a banda gaúcha "Triturador" lança detalhes do seu mais novo disco de inéditas que será lançado neste ano. A banda santa-mariense já tem nome escolhido para o seu primeiro trabalho completo, o qual preferem não revelar no momento. 

Já a data pode ser esperada para o dia 31 de março, data que, inclusive houve o lançamento do seu primeiro EP no ano passado.

Completando com chave de ouro, a banda disponibiliza a terceira faixa em versão "ao vivo" que estará presente no trabalho. A faixa "Beco sem saída" segue visceral, contendo riffs marcantes e a energia furiosa do vocalista que proclama a critica forte ao nosso país. Créditos da letra a parceria dos irmãos Gabriel e Rafael Miorin.


Resenha: Álbum Aleatório - Stevan Zanirati (2017)

O cenário independente está cada vez mais forte. São muitos os meios do artista formar e levar ao forno seu trabalho. Hoje, como um exemplo claro deste avanço musical, trago o músico Stevan Zanirati com seu primeiro disco, "Álbum Aleatório". Artista sonoro e compositor, teve inicio na musica autoral em 2010 formando as banda ATRÁS DE VERBAS, ATOMIC YELLOW e OS LIVERPOA. Desde 2014, como artista solo tocando com bandas de apoio ou voz e violão, reúne suas composições para formar seu álbum de inéditas com a devida parceria do produtor e músico Maestro Sujo.



Gravado na Casa de Insetos ( Viamão – RS ) com produção do Maestro Sujo, o "Álbum Aleatório" é um trabalho que foi formado aos poucos, com precisão em sua elaboração, o que o torna único. A obra traz grandes refrões e riffs psicodélicos com pegada popular e até surf music.

Essa parceria entre Stevan e Maestro sujo realmente foi algo inédito e que deu super certo. Conseguiram transformar as composições em um encontro de doses de psicodelia, balada e overdrive. O que tornou o disco leve e gostoso de ser ouvido. A faixa "Ao som da maçã" traz uma introdução do que é a base do disco, solos de guitarra e overdrive encorpando a letra que viaja aos ouvidos. A segunda faixa, "Repertório da Noite", na minha decisão é a grande surpresa do disco, pois apresenta um swing diferenciado no som com aquele surf psicodélico, seguindo esta viagem musical muito bem feita pela dupla. A faixa "Valer a Pena" traz uma elaboração maior no vocal, maior presença do backing vocal e efeitos de outros instrumentos. Noto que a utilização de novos elementos no álbum começa a surgir com maior presença, mantendo o psicodelismo.



Então chegamos na faixa " Quando parar de chover", um som mais rock n' roll com maior presença de influencia dos Beatles, já que na faixa "Mary" o artista dedica um som mais romântico, me lembrando o saudoso "júpiter Apple", com elemento da  ''corneta artesanal''  feita pelo Maestro Sujo para completar a sonoridade. Depois do groove mais romântico, o disco volta a ser mais enérgico na faixa "Não é uma Canção de Amor". "Não Durma no Ponto" é uma faixa mais crítica e pesada. Traz uma letra forte sobre a sociedade e marca muito bem o encerramento desta bela obra musical. Um disco que realmente me surpreendeu e me levou às veias psicodélicas novamente. A dupla Stevan Zanirati com Maestro Sujo fluiu muito bem, o que deixo bem claro aqui.








TRACKLIST
01) Ao som da Maçã
02) Repertório da Noite 
03) Valer a Pena – 09:45
04) Quando Parar de Chover
05) Mary 
06) Não é uma Canção de Amor

07) Não Durma no Ponto

FORMAÇÃO
Stevan Zanirati - voz, violão, guitarra, baixo, backing, meia lua e bango
Maestro Sujo - baixo, guitarra, teclado, backing, ''corneta artesanal'' e agogô
Guilherme Blanco - guitarra, backing e pau de chuva
Eduardo Lanzini e Felipe Seadi - bateria
Fabi Cardoso e Vanessa Henrique - backing Vocal


15 fevereiro, 2018

Two Wolves: banda lança novo single inspirado em TDAH, ansiedade e depressão


Uma das maiores sensações do rock goiano na atualidade, a Two Wolves acaba de lançar seu novo single nas principais plataformas digitais do planeta. Howl é uma música que fala sobre devaneios de uma pessoa que vê o mundo de uma forma incomum.

Composta pelo vocalista Lineker Lancellote, a música tem um aspecto meio autobiográfico, já que ele sofre com Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), ansiedade e depressão. Lineker, desde criança, nunca viu o mundo como as outras pessoas ao seu redor viam, por isso, escreveu uma música que pode não fazer sentido pra muita gente, mas que talvez, para algumas, como ele mesmo, faça.

O Two Wolves é um grupo de indie rock formado no início de 2011 pelos amigos Lineker Lancellote (vocal) e Mauricius Wolf (guitarra), em Senador Canedo, cidade a 18 km de Goiânia. A banda já lançou um CD (Just Listen to) e outro single (Bright Star) e é apontada como um dos grandes nomes do atual rock goiano. Já se apresentou em diversos eventos da cidade, como o Goiânia Noise Festival e Rockriativo, e esteve por duas vezes no Prata da Casa, do Sesc Pompeia. Também emplacou uma de suas músicas (Sold Soul) entre as 10 mais tocadas na rádio Interativa, a principal do “segmento jovem” em Goiânia.

Howl também irá ganhar um videoclipe produzido pelo próprio vocalista e com a participação apenas de pessoas que sofrem da mesma condição que Lineker.

Ouça agora!




______________________
TWO WOLVES- HOWL

Howling around with its orange fur 
I was in a picnic with my love
It passed by me with its wife and kids
It walked away 
Turned its face
Looked at me
Looked ate me
And howled

I can't forget its brown or black eyes
I still go there but I know it won't happen twice

When I'm feeling down 
I will howl to the moon
When you're not around 
I will howl
_________

Feminismo na Música: Ratas Rabiosas #5

E cá estamos nós em mais uma quinta-feira para trazermos aos nossos leitores uma indicação de banda cuja temática gira em torno da luta feminista e seus ideais.



Não tem como falarmos em feminismo no underground e não citar essas garotas do Punk Rock paulistano! Portanto, estamos aqui hoje para apresentar à vocês nesta quinta edição da Coluna "Feminismo na Música": Ratas Rabiosas.

Ratas Rabiosas é uma banda de Hardcore Punk feminista formada em 2013 na cidade São Paulo com o objetivo de passar a diante ideais e lutas das mulheres no contexto social, na contra cultura e no movimento punk.


A Ratas Rabiosas possui influências de várias ramificações da música. O som das minas vai desde o Rap, passando pelo Samba Raiz, Hardcore, Punk Rock, Grind, Crust e Metal. Elas categorizam o  seu trabalho como uma mescla entre essas peculiares vertentes.

Adeptas da cultura do "faça você mesmo", em sua fanpage oficial, as meninas estão sempre divulgando sua agenda de shows, acompanhem-nas por lá e fiquem sabendo das novidades!

INTEGRANTES:

Angelita – Baixo e voz
Lary – Bateria e voz
Amanda - Guitarra e voz


SIGA RATAS RABIOSAS NAS REDES SOCIAIS

Cobertura: Maniacs Metal Meeting (Rio Negrinho/SC) - Parte I

É com enorme prazer que trazemos a primeira parte da cobertura do festival Maniacs Metal Meeting, que ocorreu entre os dias 08 e 10 de dezembro.

Foi um ano de expectativa e ansiedade para a segunda edição do que já se consolidou como um dos maiores festivais de Metal de Santa Catarina e, quiçá, do Brasil.


Muitos headbangers chegaram na Fazenda Evaristo em Rio Negrinho/SC já na quinta-feira, para garantir seus lugares no camping, não perder nenhum show e, por que não, ter algumas horas a mais de festival. Fui uma das agraciadas. O pessoal já estava reunido, conversando e tomando umas cervejas no bar que não fechou em nenhum momento, conforme demandas anteriores (quem não se lembra do “ABRE O BAR” da primeira edição?). 

O clima de festival é realmente indescritível, sempre rola reencontro da galera de diferentes regiões do estado e você sempre sai com uns amigos a mais. Tudo isso num lugar lindo fica ainda melhor. A Fazenda Evaristo encanta à primeira vista. O local é amplo, cheio de belezas naturais e belo tanto durante o dia quanto à noite. A escolha não poderia ser mais acertada. 

Quero destacar aqui, antes de falarmos das bandas especificamente, o empenho de toda a equipe que constrói o MMM. É notável o compromisso com a qualidade, em todos os quesitos. Acredito que falo por toda a equipe do portal quando parabenizo a organização do Maniacs Metal Meeting.

Aproveito para parabenizar o Willba Dissidente, mestre de cerimônias no festival, que encantou com seu estilo e alto astral. Mais uma boa escolha da equipe.

Nesta edição acabei tendo que fazer a cobertura sozinha, pois uma outra colega também credenciada teve um imprevisto profissional e não pode estar presente. Por este motivo, peço compreensão pela demora na publicação e por quaisquer outras falhas.

Então, feitas as devidas considerações, vamos ao primeiro dia:

O festival foi aberto pelo Thrash Metal da Tressultor. Formada por Hans Kechele (vocal e baixo), Acelmo Kurowsky (guitarra), Renahn Grosch (guitarra) e Lucas Cruz (bateria), a banda é de São Bento do Sul/SC. Seu setlist incluía músicas autorais com letras em português e um cover de Raining Blood, que é sempre uma ótima pedida.



A segunda banda foi a Tandra. Conterrânea da Tressultor, a banda de Folk Metal é formada por Carlos Henrique Linzmeyer (acordeon), Christopher Schmitt Knop (guitarra e vocal), Felipe Ribeiro (Flautas), Felipe Franco (baixo e vocal), Gefferson Franco (guitarra e backing vocal) e Max Waltrick (bateria). A banda possui influências da cultura Nórdica e Celta, além de forte influência de Prog e Death Metal. Tandra mostrou a que veio, com um metal pesado muito bem mesclado com o Folk.



Foi a vez, então, da Válvera. A banda de Votuporanga/SP é formada por Glauber Barreto (vocal e guitarra), Rodrigo Torres (guitarras e backing vocal), Jesiel Lagoin (baixo) e Rafa Hernandez (bateria). O setlist da banda de Heavy Metal foi composto por músicas de seus dois álbuns, “Cidade em Caos” e “Back to Hell”.



Murillo Leite (vocal e guitarra), Rafael Orsi (guitarra), WPerna (baixo) e João Gobo (bateria) trouxeram Death Metal de São Paulo ao palco do MMM. Genocídio, que iniciou seus trabalhos nos anos 80, mostra maturidade, experiência e talento inegáveis. A banda tocou músicas próprias de seus discos, além de covers de bandas consagradas como Motörhead e Sarcófago. 


Era hora, então, da consagrada horda de Black Metal Luxúria de Lilith. Alysson Drakkar (vocal, guitarra e bateria), Yngrid Arkana (baixo e backing vocal) e Murilo Visceratum (guitarra – suporte na tour) trouxeram muita blasfêmia diretamente de Goiânia/GO. Eu nunca havia tido a oportunidade de assistir um show da banda e posso afirmar que me surpreendeu muito. A performance foi impecável de acordo com a proposta do Black Metal. Luxúria de Lillith não deixa a desejar em nenhum quesito.



Já vi Zombie Cookbook algumas vezes e é sempre um show muito carregado de terror, sangue e Metal Extremo, resultado em algo que a própria banda classifica como Dead Metal. Dr. Stink (vocal), Horace Bones (guitarra), Ed The Dead (guitarra), Purgy (baixo) e Dr Freudstein (bateria) formam a banda joinvillense que já possui anos de estrada. É importante ressaltar que esta foi o último show com este baterista, resta-nos aguardar o que vem por aí. 



No momento que Jailor subiu ao palco, eu já soube que precisaria destacá-la na cobertura. Eu já conhecia a banda e já apreciava suas composições muito elaboradas, mas ver a banda ao vivo foi uma experiência. A destreza e musicalidade no baixo, principalmente, leva o Thrash Metal da Jailor a outro patamar. Flávio Wyrwa (garganta, Emerson Niederauer (baixo), Guima (guitarra), Jefferson Verdani (bateria), Marcos Araújo (guitarra) formam esta banda curitibana que tem tudo para ser um grande nome do Thrash Metal nacional.


Não é a primeira vez que cubro um evento com Cassandra no cast e sigo afirmando que ver a performance dessa dupla é uma experiência que vai bem além de se sentir mero expectador. Os curitibanos Karina D'Alessandre (bateria) e Daniel Silveira (baixo e voz) fazem algo que é até mesmo difícil de descrever. Cassandra cria uma atmosfera pesada que causa inúmeras sensações com seu ritmo lento que vai crescendo em distorções graves e muito acertadas.



A última a se apresentar na sexta-feira foi a Ruínas de Sade, de Brusque/SC. A banda de Stoner Goat Psychadelic Bong Doom Heavy Blues (pois é, imagina tudo isso junto) deu continuidade à atmosfera criada pela banda anterior, trazendo a psicodelia ao máximo para fechar o primeiro dia de MMM.



Fique ligado n'O SubSolo nos próximos dias para conferir o restante da cobertura do Maniacs Metal Meeting 2017.

ACOMPANHE A PÁGINA DO FESTIVAL:

ACOMPANHE AS BANDAS:

14 fevereiro, 2018

Projeto Rivera: "Eu Vejo Você" é o segundo disco da carreira dos cearenses

pós o sucesso do primeiro álbum ​“Eu Vim Te Trazer o Sol ​” e de levar o show e mais de 72 cidades e festivais como Rock in Rio a banda cearense marca o início do ano com o lançamento de novo disco, "Eu Vejo Você" ​, e se afirma como grande destaque no cenário nacional.


Permeado por empatia, amor e respeito ao próximo, a banda cearense ​Projeto Rivera começa o ano de 2018 com o lançamento do seu segundo CD nas principais plataformas digitais como o ​Youtube, Spotify e Deezer ​. O novo álbum intitulado ​“Eu Vejo Você”​, é composto por 11 faixas e foi produzido, mixado e masterizado por ​Leonardo Ramos, vocalista da banda paulistana Supercombo, e contou com a co-produção de ​Matheus Brasil, baterista da banda e produtor musical que juntamente com ​Victor Caliope, Flávio Nascimento e Bruno Silveira ​ compõe o ​Projeto Rivera.


O título que estampa o novo trabalho do ​Projeto Rivera vem da palavra “Sawabona”, termo originário de tribos do Sul da África que significa ​“Eu Vejo Você”​, e transmite a mensagem que o grupo quer passar para o público numa linguagem do amor. "Eu vejo o ser que está dentro de você. Eu sinto você, eu ouço você; eu respeito você, valorizo você e você é importante para mim”.

Após o primeiro disco, o ​"Eu vim te trazer o Sol"​, tendo sido lançado em 2015 a banda lançou singles como " ​Ladrilhar" ​, " ​Zeravida" ​, " ​O que você Plantei" além do Ep ​"Aos Vivos" com versões Semi Acústicas de 5 músicas que viriam a compor o álbum recém lançado ​"Eu Vejo Você"​. O grupo já participou e foi convidado para diversos festivais importantes, como ​Rock in Rio ​ (RJ), ​SIM São Paulo ​, ​Festival MADA​ (RN), ​Buzina Festival ​ (SP), ​Festival DoSol ​ (RN), ​Festival Se Rasgum​ (PA), ​Festival MALOCA​ (CE) Festival Ponto.CE ​ (CE) além de outros shows em diversas cidades do País e assim vão traçando com vontade e determinação o que eles decidiram para as suas vidas: construir uma carreira de sucesso dentro da música.

Para ter acesso a um Release mais detalhado acesse http://bit.ly/tudorelease

Onde encontrar e escutar o som do Projeto Rivera?

Facebook: ​www. ​facebook.com/ProjetoRivera
Instagram: ​www.instagram.com/projetorivera
Youtube: ​www.youtube.com/user/ProjetoRivera
Site: ​www.projetorivera.com/

Tenebrario: relança o clássico álbum 'Second Act: Pain'

A lendária banda paulistana de Heavy/Doom Tenebrario, acaba de disponibilizar o relançamento de seu segundo álbum, o aclamado "Second Act: Pain" originalmente lançado em 2006 de forma independente e com uma tiragem limitadíssima em torno de 100 cópias promocionais. Dez anos após o lançamento, o disco ganha uma versão oficial graças à parceria com a gravadora Erinnys Productions.


 
O relançamento de "Second Act: Pain" dispõe de 12 faixas, sendo dez delas da prensagem original, mantendo a essência nos mínimos detalhes e como bônus conta com a clássica demo "Tenebrario" lançada no ano de 1997, com a produção de Cassio Martins no Pró Studio e Marcelo Pompeu (Korzus) no Mr. Som Studio, respectivamente.  Vale ressaltar que todas as faixas se mantem fiéis à gravação da época, tornando - se assim um item indispensável para todos os headbangers.


Tracklist:
1. Second Act : Pain
2. The Thousand Faces in the Mirror
3. There Are Somethings That Never
4. God Symphony
5. Twins Soul's
6. The Other Mountain Dweller
7. The Evil Heart of Stone
8. Sacred Mask
9. Again on the Road
10. O Meu Ser (Uma Imagem no Espelho)

Bônus:
11. Wickedness on Eyes My Dreams
12. Spirits Obscure Forest


Na época do lançamento deste material a banda realizou diversos shows chegando a abrir para o ex-vocalista do Rainbow, Joe Lynn Turner. A capa do disco foi desenvolvida pela Ordo Ab Chaos (ordoart.com). No período, a formação era composta por Alexdog (Baixo/vocal), Roberto Bressan (Guitarra), Claudio Screpetz (Bateria) e Eduardo Borrego (Guitarra).

O disco está disponível para aquisição por meio do Facebook da banda e da Erinnys Productions. Para as distribuidoras interessadas em trocas (www.facebook.com/erinnysprod/).

Contato: alexdog74@hotmail.com

Links relacionados:
Facebook: https://www.facebook.com/Tenebrario/
Palco mp3: https://www.palcomp3.com/tenebrario/
SoudCloud: https://soundcloud.com/kwhomestudio
YouTube: https://www.youtube.com/user/TENEBRARI0

Formação:
Alexdog (baixo/vocal)
Eduardo Borrego (guitarra)
Kaue Assis (guitarra)
Waine Assis (bateria)

Assessoria de Imprensa: www.facebook.com/cangacorockcomunicacoes/
Fonte: Cangaço Rock Comunicações

13 fevereiro, 2018

Resenha: DVD Ao Vivo em Venda Nova - Revolução (2017)

Se existe uma banda que busca sempre o caminho do sucesso mudando o conceito das pessoas com letras de amor e críticas ao governo, esta banda é a Revolução. 
E para coroar sua discografia sem medo de erros, a banda traz seu DVD ao vivo em Venda Nova. 
O grupo escolheu muito bem o local, pois o Centro Cultural Venda Nova é um lugar com biblioteca, cursos de arte, e shows de música, 
Inclusive, o show de gravação do DVD da banda foi um dos maiores projetos já realizados por lá. 
E coroou a celebração dos 10 anos do local que leva entretenimento a periferia de BH, em agosto de 2017.



Este é seu segundo DVD musical contando com uma super produção a direito de drone nas filmagens e a textura ideal na captação das imagens do show. 
Atualmente o CD deste trabalho foi lançado nas plataformas digitais. O DVD conta com extras especiais e participações inusitadas que abrilhantaram a noite.
Sendo assim, a primeira faixa escolhida pela banda é "Você só pensa em dinheiro", um som dos primórdios da banda que ganha uma textura mais Rock N' Roll neste Show. 
Uma música que já marca a textura pesada da banda, criticando o lado político social deste país. Letra sincera que marca a ótima produção sonora do trabalho, 
que deixa claro o vocal de Johnny Kiff ao ar livre, o local com certeza contando com uma ótima acústica. 

Trazendo então suas produções mais recentes, a banda tráz a faixa "Me mostre o que é o amor" com direito a efeitos de sintetizador 
e trabalhando uma letra mais simples da banda sobre o amor, porém um som de textura pesada dentro do indie rock que a banda anda trazendo 
e modernizando seu Rock N' Roll para o público. A faixa faz parte do seu EP mais recente, que foi tocado na íntegra dentro do Show. "Amor Digital" dá sequência a esta bela produção, com uma letra super atual, que bate muito bem ao amor jovem desta era digital, 
contando com uma influência clara de uma faixa do U2 na finaleira do som para trazer já em sequência a música "Primavera no Deserto", 
um som mais romântico que faz uma trinca de sonoridades de amor da banda no seu SetList. 
Este som traz um swing maior na guitarra que embala uma letra sincera e única a pessoa amada. 
Com certeza um som mais acústico e calcado na influência dos já citados, U2. 

Logo após o baterista trabalha mais, em suas viradas e feeling para trazer a faixa "Hino Brasileiro Sincero", 
música da sequência do EP mais recente da banda. Um som mais arriscado, aonde a banda constrói uma bela letra, 
a faixa inicia com influência pura do Queen, e na sequência da musicalidade,
passa a ter pegada de outros gêneros como sertanejo universitário e pagode. 
Realmente um risco, porém encorpora muito bem na realidade que a letra trás para passar a mensagem. Seguindo a linha das faixas românticas da banda,  
a banda traz a faixa "Gianecchini" que conta com um humor maior na letra, som do primeiro trabalho da banda com um embalo mais popular. 
"Bons motivos pra viver" definitivamente traz uma linda letra, uma declaração sincera de um single da banda que trás bem 
a tona todo o brilho que vêm acontecendo neste belo show. 
Então vêm a música "Luzes" aonde é trabalhada a mensagem do amor para mudar o nosso mundo. 
Refrão forte e bem repitido para deixar bem claro a mensagem da letra que trás em sua sonoridade grandes variações na guitarra 
e bateria fluindo mais uma vez a influência U2 com o indie rock. 
Então seguindo ás belas composições da banda, chega aquela que para mim, é o hino da banda, a música "Sociedade dos Zumbis" contém uma letra muito bem elaborada 
e sincera, ritmo contagiante com um belo solo de guitarra. Rock puro e com um swing na parte final da música marcando bem a bela obra. 
Até então vale deixar bem claro ás belas pontuações do baixista que marca bem o peso sonoro e articula o backing vocal na maioria das faixas. 




Eis que chegamos na música "Armagedom", uma declaração sincera pelo nosso mundo atual, um grande pedido e sonho de muitos representada em uma bela canção 
com direito a trecho da música "It's the End of the world", do REM, cantado em inglês no final sonoro. "Dias de Inverno" trabalha a vivência do amor, esta faixa que inclusive é dedicada 
aos familiares das vítimas de um acidente que ocorreu em Belo Horizonte em 2014, quando um viaduto caiu em umas das principais avenidas da cidade matando 2 pessoas e deixando inumeros feridos. 
Vale marcar muito bem até aqui a forte entrega do vocalista que pucha muito bem suas notas vocálicas e não perde a energia, 
no fim é cantado em inglês o refrão da música "Ob-La-Di, Ob-La-Da", clássico dos Beatles. 
"Eu te amo" é a última faixa romântica do show. Ela finda ás sinceridades cantadas sem medo da banda naquela noite especial. 
Na sequência a banda toca "Garnet Azul", um som muito bem trabalhado no instrumental, esta que tem uma história artística tanto na letra, quanto nos cinemas. 
Sim! A faixa faz parte de um filme de animação "O Segredo do Garnet Azul", muito importante para a cultura. 
Para encerrar o show, a banda dedica a música "Classe Média", trazendo a tona a energia da banda, com um som mais Rock N' Roll com uma letra que critica 
a situação da classe no país. Este DVD com certeza marca um ponto muito importante para nossa música nacional, 
pois trás uma grande produção com tecnologia de primeira, tendo gastos muito bem equilibrados para uma qualidade de primeira. 
Também fomenta e apoia ás bandas deste país a correrem mais atrás e ver que é possível aumentar a qualidade e fazer história no circuito nacional. 
Um DVD, um marco, uma produção de primeira que vale a pena ser presenciada!




FORMAÇÃO 
Vocal-Johnny Kiff
Baixo- Silas Lopes
Guitarra- Ekson Wallace
Bateria- Alessandro Araujo


SETLIST

1 Você Só Pensa em Dinheiro
2 Me Mostre O Que É O Amor
3 Amor Digital
4 Primavera no Deserto
5 Hino Brasileiro Sincero
6 Gianecchini
7 Bons Motivos Pra Viver
8 Luzes (A Solução É O Amor)
9 Sociedade dos Zumbis
10 Armagedom
11 Dias de Inverno
12 Eu Te Amo
13 Garnet Azul
14 Classe Média

link para ouvir nas plataformas digitais

spotify
https://open.spotify.com/album/1LQ9zz4bIgFSe4qPnYD45B

itunes
https://itunes.apple.com/br/album/revolu%C3%A7%C3%A3o-ao-vivo-em-venda-nova/1335992375

deezer

https://www.deezer.com/br/album/55098922
Postagens mais antigas → Página inicial