22 junho, 2016

Especial: Discos Que Me Inspiraram #4 (por Matheus Gusthavo)


Existem músicas, discos e bandas que de alguma forma fizeram parte de sua vida, influenciando na sua construção como pessoa, e te influenciando como músico. Aquelas músicas que te introduziram ao mundo do rock, lembrando momentos, amores e tristezas, sempre estando presentes em diversas fases de sua vida. Existem bandas/discos que acabam passando despercebidas, já outras, sempre ocupam um espaço especial em sua vida, que embora não escute mais com tanta frequência, sempre será lembrada e amada.

Álbuns/bandas carregam histórias, conceitos, memórias e sentimentos, cada trecho de uma música marcante permanece e se junta em sua vida, marca uma época, e muitas vezes muda sua concepção sobre o mundo. Sempre passamos por épocas difíceis, com momentos delicados, e essa energia chamada música tem um papel importantíssimos para as nossas vidas, gerando forças à nossa caminhada. Essa é minha lista dos 5 discos que me inspiram:


5 – POWERAGE ( AC/DC, 1978 )
AC/DC sempre foi e sempre será minha banda preferida de todos os tempos, embora minhas visões estejam sempre em constante mudança, a banda sempre permanece em uma posição especial em meu coração. Fiquei em dúvida em qual disco eu colocaria, geralmente as pessoas escolheriam o ‘Back in Black’, que é o disco de maior sucesso da banda, e foi o disco que me introduziu de vez ao Rock, porém, o melhor disco em minha concepção é o 'Powerage', e o melhor da Era Bon, conta com clássicos absolutos como “Sin City”, “Riff Raff”, “Whats Next to the Moon”, mostrando toda rebeldia da banda, rock n' roll em sua mais pura essência, sujo e energético. É um disco que com certeza tocará em meu casamento ou em meu velório.


4 – BLACK SABBATH ( BLACK SABBATH, 1970)
Logo após ser introduzido ao mundo do rock pelo AC/DC, comecei a escutar os clássicos, como Led Zeppelin, Bon Jovi, Scorpions, Beatles, mas minha visão sobre a musica era muito curta, e um mundo de novas ideias me aguardava. A primeira vez que escutei a faixa ‘Black Sabbath’, foi um choque muito grande, minhas mãos suavam, minha garganta se fechava, nunca tinha escutado algo tão pesado como aquilo, a voz do Ozzy corroía meus tímpanos, a guitarra distorcida do Tommy Iommi era surreal, todos elementos dessa musica me aterrorizavam como uma cena de filme de terror. Eu imaginava coisas, sentia coisas, uma das melhores experiencias da minha vida, a partir daí comecei a caminhar pelo Heavy Metal. O disco contém clássicos incríveis como ‘The Wizard’, ‘N.I.B’e ‘Evil Woman’, tento até hoje entender a cabeça desses músicos naquela época, como conseguiram criar algo tão pesado, tão aterrorizante, com toda certeza do mundo esse disco marcou minha vida, e me mostrou outros caminhos na musica.


3 – BRAVE NEW WORLD ( IRON MAIDEN, 2000 )
Caminhando por novos caminhos, andando por estradas do heavy metal, como Judas Priest e diversas outras bandas. Difícil especificar um disco, pois o Iron Maiden tem uma discografia incrível, e todos os discos apresentam clássicos, porém o Brave New World marcou minha vida, todas as musicas tem um peso, e todas marcaram uma época, as melodias cantadas pelo Bruce me emocionam, as guitarras conversam comigo, as historias cantadas me encantam, todas as faixas desse incrível álbum são historias que estiveram presentes comigo durante anos, tanto que é o único disco que sei cantar todas as músicas, como os clássicos ‘Blood Brothers’,’Ghost of Navegator’, ‘The Wicker Man’ e outros do álbum. Foi no Iron Maiden que comecei o amor ao baixo, com as linhas do Steve Harris, a primeira vez que senti o grave conversando comigo. São músicas que guardo comigo para sempre e sempre terá sua relevância, independente das épocas e mudanças do meu ser.


2 -  REIGN IN BLOOD ( SLAYER, 1986 )
Após ter caminhado pelos caminhos do famoso Heavy Metal me deparo com algo intitulado como “Thrash Metal”, onde encontrei tudo que eu gostava: a velocidade, a simplicidade, energia e brutalidade. Slayer é uma das minhas bandas favoritas, uma banda que teve uma mudança que não caiu muito no meu gosto, porém é uma banda que admiro independente de suas mudanças. O disco 'Reign in Blood' é com certeza um clássico absoluto no mundo da musica, quando escutei teve um  grande impacto em minha vida.

Tom Araya cantava muito rápido, nunca tinha visto aquilo até então, o som me tomava conta, eu queria balançar a cabeça, explodir em ira, e foi aí que vi o termo “banguear”. As letras me alegravam muito, era algo que eu não estava totalmente acostumado, com toda sua blasfêmia. Vocal arrebatador, com ódio e ira, as guitarras distorcidas, pesadas, a bateria parecendo fuzis, solos nada melódicos, aquilo me deixou “confuso”, pois eu tinha uma visão básica do que era o rock n roll, mas sabia que eu queria cair buraco a baixo para descobrir novas bandas e novas vertentes do velho rock.


1 – CRUCIFICADOS PELO SISTEMA ( RATOS DE PORÃO, 1984 )
Para mim a musica ainda tinha um “padrão”, e geralmente eram cantadas em inglês, era algo habitual, meio que uma regra para mim, as musicas tinham de 3 minutos para cima, eu estava acostumado com essa forma, porém esbarrei com algo totalmente fora desse “padrão”, e inicialmente eu não entendia, primeira vez que escutei um vocal berrado, era algo bizarro, mas aquilo me animava, as letras em português passavam uma mensagem com mais clareza, os 3 acordes eram rápidos, as musicas eram rápidas de mais, então isso me fazia ouvir o mesmo disco diversas vezes, e aprender as musicas rapidamente, tanto é que Ratos de Porão foi a primeira banda que fui em um show, e se tornou uma das bandas que mais gosto e que mudou totalmente minha concepção de musica. Algo sujo, uma gravação diferente, não tinha aquela produção das grandes bandas, já que era algo muito difícil aqui no Brasil, ainda mais em uma época como os anos 80. Mesmo assim, foi a primeira vez que vi um disco com mais de 13 músicas, tendo esse disco 16 faixas, como: ‘Morrer’, ‘Caos’, ‘Agressão-Repressão’, ‘FMI’. Esse som tosco e podre mudou minha vida, e abriu portas para outros caminhos e são explorados até hoje.

Cinco realmente é um número pequeno para falar sobre discos/bandas que me influenciaram de alguma forma, existem diversas outras bandas que eu poderia citar como Motorhead, Megadeth, Venom, Sepultura, Sarcófago, Suicidal Tendencies, Pantera, Pentagram. Essas poucas bandas citadas mudaram minha vida e me formaram, são clássicos absolutos e muito importantes.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

Um comentário: