10 setembro, 2016

Resenha: Labyrinth - Patrick Pedroso (2015)

Grandes músicos vem apresentando álbuns totalmente instrumentais, apesar de ser um adepto a músicas com vocais, dependendo do trabalho instrumental me entrego de alma, como é o "Labyrinth" do músico catarinense, Patrick Pedrodo, ex-Warfield.

Patrick Pedroso nasceu em Joaçaba/SC, o seu primeiro contato com a guitarra foi apenas com quinze anos de idade, após isto, começou a fazer aulas de violão com influências do Heavy Metal, bandas como Metallica, Sepultura, Pantera, Slayer e Megadeth motivaram o catarinense a seguir na música.



Pulsando firmemente em suas veias as influências de grandes guitarristas, foi quando a música instrumental entrou em sua vida e diga-se de passagem, que não deve nada a grandes guitarristas, o talento de Patrick vai além das críticas, chegando a ser impossível não o aplaudir. Além de ter o Heavy Metal como seu gênero principal, tem influências de Jazz e Fusion, o que da uma certa agilidade, rapidez e técnica na guitarra para conduzi-lo ao seu primeiro álbum completo e totalmente instrumental.

Participou da Warfield, fez vários shows e pode participar do inicio da gravação do segundo disco da banda, depois de um tempo ao sair da banda se dedicou as composições de seu primeiro álbum solo e claro, instrumental. No ano de 2015 nos trouxe o "Labyrinth", hoje ministra aulas em escolas de música e aulas particulares, prometendo um novo álbum para logo.

Enquanto o novo não chega, vamos falar do Labyrinth. Posso estar enganado, mas Patrick Pedroso tem um pé no Power Metal, suas músicas em muitas vezes alternam para o Heavy Metal melódico, mesmo não sendo um fã incondicional de música instrumental, admito que o músico teve um empenho fantástico para trazer este álbum ao público. Seus solos contam muito com distorções e reverbs moderados, o que faz muita diferença pelo fato de não abusar de uma "mesmice".

O complicado de fazer um álbum instrumental, é o pequeno problema de tudo soar parecidamente igual, sendo que confesso que as vezes é inevitável. Mas a facilidade do músico catarinense de contornar e criar suas músicas é fantástico e as vezes assustador,  a agilidade na mudança de acordes e como alterna sua velocidade. Sua banda de apoio encaixou perfeitamente com o que o músico queria apresentar, os violões, as linhas de bateria e baixo, foram muito bem sacados, elaborados com dignidade e fizeram com muita classe o que o álbum "pedia".




É um tipico álbum que indico todos a ouvirem, são onze faixas de puro Heavy Metal, que navegam por diversas influências, passam pelo Thrash, Groove, Stoner, Power e cria sua raíz no Heavy Metal Clássico. A escolha perfeita nos músicos participantes, deram um certo brilho ao disco, pois sugaram as mesmas influências de Patrick Pedroso e eu sempre disse que Santa Catarina é um celeiro completo de músicos, essa é mais uma prova disto.

TRACKLIST
01 - New Ways
02 – Rage of The Storm
03 – Only Ashes
04 – Revolution
05 – New Days
06 – Some Creations
07 – The World Was Born
08 – Inspiration
09 – Visions of Time
10 – Sounds of Mind
11 – Freedom

FORMAÇÃO
Patrick Pedroso - guitarra e violão

MÚSICOS PARTICIPANTES
Karim Serri - guitarra
Marcos Janowitz - guitarra e baixo
Jaison Danielli - violão
Jarlisson Jaty - bateria
Anghelo Rodrigues- teclado


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário