25 novembro, 2016

Resenha: Flamboyant - Zander (2016)

Assim como a terra está em rotação, um redator sempre está em rotação também, digo pela questão de estar conhecendo diversas bandas. A verdade é que estamos sempre rodando pela internet para conhecer novas músicas, histórias diferentes e querendo ou não, tem banda que marca e te conquista. Foi assim que conheci o Zander, uma banda carioca que acaba de lançar o seu novo álbum intitulado "Flamboyant". Tivemos a felicidade de receber o material ao vivo e a cores, com o pessoal da Spidermerch. (visite: www.spidermerch.com.br).



O Zander consegue passar em um disco o que eles são ao vivo, uma banda alto astral. Suas músicas bem compostas com ótimas letras e instrumental muitíssimo bem elaborado, conseguem passar muito mais do que apenas "mensagens", conseguem conquistar e transmitir uma ótima energia para quem ouve. Gosto da forma como as músicas se quebram e consegue se alternarem a todo momento, como por exemplo na quinta faixa do disco "Tá Esquisito" que tem um breakingdown sensacional exatamente no final da música, que totalmente descai para o Stoner até finalizar a canção. 

Logo de cara nos deparamos com uma das melhores músicas do álbum, "Bandida e Malvista" é uma faixa que gruda na cabeça e tem ótimos backing vocals, típica música que a linha vocal gruda mais do que os riffs e é impossível não decorar a música e não começar a cantar junto, é totalmente inevitável. Outra coisa que gosto nas composições do Zander é as paradas criadas no meio das músicas, algo que abre um leque de alternativas durante uma apresentação ao vivo. Notório como foi planejado a transição das músicas dentro do álbum, quando na transição da primeira para a segunda música uma parada seca, seguida de uma virada na bateria inicia a segunda canção, é como fazer um álbum ao vivo, o Zander praticamente brinca de compor.




Incrivelmente as duas guitarras jamais sem embolam, por mais que os riffs sejam rápidos, as duas guitarras conseguem se alternar e desenvolver uma forma única de cada uma estar em evidência durante as músicas. A forma como a bateria se desenvolve e surge entre as guitarras que junto com o baixo fazem uma cozinha sólida e forte é um ótimo trabalho de bons músicos, as boas viradas da bateria nas horas ideias são um diferencial, quando a bateria está prestes a se tornar monótona surge uma virada e uma quebrada no ritmo que da outra cara a música, tudo em sua pitada certa sem exageros, assim como os grooves e a segunda voz muito bem feita pelo baixista.

Zander é uma banda que por mais que tenha uma estrada já, é uma banda que não para de crescer e encantar novas pessoas a cada dia. Para quem um dia já viu o Zander ao vivo, sabe a energia que os caras depositam em palco e transparecem suas almas em meio a suas músicas para todo o público presente, não é atoa que ultimamente visitam diversos estados dentro do Brasil todo, é uma banda carismática e que está sempre se reinventando a todo instante, que agora nos traz este grande álbum. 


TRACKLIST
01. Bandida e Malvista
02. Avesso
03. Bastian Contra o Nada
04. Diversidade
05. Tá Esquisito
06. Sanca
07. Controle de Frequência
08. Tem Que
09. Afinal
10. Vem Cá
11. Pra Onde eu For

FORMAÇÃO
Gabriel Zander - voz e guitarra
Gabriel Arbex - guitarra
Marcelo Cunha - voz e baixo
Bruno Bade - bateria

SIGA ZANDER
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário