18 fevereiro, 2017

Topfive: cinco bandas para ouvir neste final de semana #21

Chegamos a vigésima primeira edição do “Topive: cinco bandas para ouvir neste final de semana” e, nesta semana de Cobertura do 11º Otacílio Rock Festival, vamos indicar cinco bandas que passaram pelo Parque Cambará, em Otacílio Costa/SC, neste último fim de semana. Vem ver!


Fotografia: Cena Livre

1 – Homem Lixo – Hardcore/ Thrash Metal (Rio do Sul/SC)

Uma das bandas mais aclamadas por sua apresentação no festival, Homem Lixo, como os mesmos se descrevem, começaram “sem pretensão, sem precisão e sem noção".  
Nos ensaios, um mendigo chamava a atenção da banda. "De cima do prédio, ele era visto vagando como um errante invisível, sendo julgado pelas pessoas que ali passavam. Foi daí que surgiu o nome: O Homem Lixo. As letras - ácidas e surreais - fazem os temas abordados parecerem piada: um sentimento de deboche diante de tanta desgraça acontecendo".



2 - Imperious Malevolence - Death Metal (Curitiba/PR)

Penúltima banda da noite de sábado, Imperious Malevolence assombrou o Parque Cambará com seu Death Metal rápido e contundente. A banda paranaense, formada em 1995, era uma das bandas mais aguardadas pelo público do Otacílio Rock Festival.



3 – Axecuter – Heavy Metal (Curitiba/PR)

Este power trio de Curitiba/PR, subiu ao palco do OTA no sábado à tarde. Deles, você pode esperar nada menos do que o Metal nos moldes antigos, feito de headbangers para headbangers. Se você é um verdadeiro apreciador da velha escola do Heavy Metal, você não vai se decepcionar. “O antigo espírito ainda vive!”



4- Older Jack – Heavy Metal (Pomerode/SC)

Banda de Heavy Metal da cidade de Pomerode. Os caras possuem músicas próprias em Alemão e covers dos maiores clássicos do Heavy Metal. Um dos covers que a banda fez que merecem destaque foi “Balls to the Wall”, do Accept, que levou os headbangers presentes no festival à loucura.



5- Losna – Thrash Metal (Porto Alegre/RS)

Formada pelas irmãs Débora e Fernanda, a banda de Thrash Metal vem destilando seu veneno amargo efetivamente desde 2004. A banda propaga fúria e violência, através de riffs cortantes, baixo à velocidade alucinada, bateria pesada e destrutiva, aliados à vocais urrados. Podemos dizer que o som da banda se encaixa na mistura do Thrash Metal, Death Metal e 'Old School' HardCore.



← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário