23 junho, 2017

Notícias da Semana #3

Mais um fim de semana chegando e com ele, as melhores notícias das assessorias especializadas do metal underground nacional! Quer ficar sabendo de tudo que está acontecendo no mundo da música? Leia abaixo mais uma edição do Notícias da Semana:



Zombie Cookbook: finalizando o novo álbum




De volta dos mortos, ok é redundante, sabemos, o ZOMBIE COOKBOOK, uma das mais queridas formações metálicas brasileiras da atualidade finalmente nos informa sobre as novidades acerca de seu segundo álbum de estúdio.
“A verdade é que o [guitarrista] Horace Bones perdeu uma das mãos e não conseguiu achar… No final acabou pegando emprestado outra mão de um colega zumbi que era pianista” – declara oficialmente o vocalista Dr Stinky.
Agora o ZOMBIE COOKBOOK segue no estúdio ForestLab Studio, com o produtor Lisciel Franco, para finalizar o tão aguardado sucessor direto do álbum ‘Outside The Grave’ e dos Splits ‘Motel Hell’ e ‘Among The Living… Dead’. Logo mais detalhes do disco.
Lembrando que do Split ‘Motel Hell’ saiu um dos trabalhos mais icônicos do grupo: o clipe para a faixa-título. O premiado trabalho teve produção do Ciclope Studio e foi dirigido por Charles da Silva e os efeitos especiais, maquiagem e nojeiras por Rodrigo Aragão & Jorge Allen. Relembre: https://www.youtube.com/watch?v=x3USGf4vvrU


Woslom: conscientizando sobre a Esclerose Lateral Amiotrófica


ELA, ou Esclerose Lateral Amiotrófica, é uma doença que ainda não possui cura, nem tratamento e é fatal. Dia 21 desse mês é o dia mundial da conscientização da doença e o WOSLOM está ajudando a promover.

No álbum ‘A Near Life Experience’, o grupo escreveu a música ‘Redemption’ baseada nos sentimentos de um paciente desta doença. Agora um vídeo informativo com a canção da trilha foi disponibilizada:
https://www.facebook.com/woslom/videos/1398210063559140/

“O Desafio do Balde de Gelo foi mais ou menos na época em que já pensávamos em novos temas para as músicas do novo álbum. E por ser uma doença comovente, eu resolvi escrever uma letra baseado nela” comenta o baterista Fernando Oster.

Quem quiser conhecer mais sobre a ELA, confira o site: http://www.procuradaela.org.br/


NervoChaos: documentário sobre turnê latino-americana está disponível


Depois de mostrar um pouco da primeira parte de sua turnê nacional, o NERVOCHAOS apresenta um pouco do que rolou durante sua turnê pela América Latina esse ano.

Nos aproximadamente 15 minutos do documentário, podemos ver a banda tocando em países como Argentina, Colômbia, México, Equador, Uruguai, Paraguai, Bolívia e Costa Rica. Assista: https://www.facebook.com/NervoChaos/videos/10155462243224645/

O NERVOCHAOS está em turnê pelo Brasil divulgando o recém-lançado ‘Nyctophilia’, que saiu no Brasil pela Cogumelo Records/Voice Music e pela Greyhaze Records na América do Norte e Europa. O álbum já pode ser comprado nas principais lojas especializadas do mercado, ou diretamente com a banda, por e-mail, Facebook ou na loja oficial: https://goo.gl/aF7Xkx

Anteriormente um minidocumentário para a primeira parte da turnê brasileira foi lançado: https://www.facebook.com/NervoChaos/videos/10155438464439645/


RANCORE divulga segundo vídeo do dvd "AO VIVO"

Nesta segunda-feira (19) a banda paulista Rancore divulgou a faixa "Respeito é a Lei", segundo vídeo de seu DVD "Ao Vivo". O material inédito, gravado em 2014 no Carioca Club em São Paulo, conta com dezessete músicas e extras de bastidores, e será lançado em agosto pela gravadora Hearts Bleed Blue (HBB).

Depois de anunciar um hiato em 2014, a banda paulista Rancore se reuniu nos primeiros meses de 2017 para fazer uma série de shows pelo Brasil. O sucesso da turnê deu esperanças aos fãs que torcem para que o grupo volte definitivamente à ativa. “Existe uma chance”, afirma o vocalista Teco Martins.

O DVD, dirigido e editado por André Uba, é o primeiro registro ao vivo da banda e o repertório do show tem canções dos três álbuns do Rancore: “Yoga,Stress e Cafeína” (2006), “Liberta” (2008) e “Seiva” (2011). Alexandre Capilé, vocalista do Sugar Kane e do Water Rats, participa na faixa “Quarto Escuro”.

“As pessoas que estavam no show não sabiam que o DVD estava sendo gravado então foi tudo o mais natural possível”, conta Teco. “A nossa expectativa com esse lançamento é agradar aos fãs e fazer o vídeo chegar até as pessoas que nunca foram a um show do Rancore”, completa.

Assista ao vídeo de "Respeito é a Lei":
www.youtube.com/watch?v=Ycswa0j5pGY&t=13s

Garanta a sua cópia do DVD "Ao Vivo" do Rancore na pré-venda:
www.hbbstore.com/tag?tag=Rancore


"RESSONÂNCIA" Registra a cena musical independente no Brasil

Estreou nesta terça, dia 20 de junho às 22h30 na PlayTV, a série documental Ressonância, produzida pelo fanzine, selo e produtora midsummer madness. Com 44 episódios de meia hora de duração, a produtora/fanzine foi em busca de entrevistas minuciosas com bandas, músicos, produtores de festivais, donos de selos independentes, entre outros agentes do mercado musical independente no Brasil. “Não sou jornalista de formação, mas desde 1989 quando comecei o fanzine, tenho essa curiosidade pela produção musical independente brasileira. O que começou no zine xerocado já passou pelo rádio, pela internet e chegou à TV”, explica Rodrigo Lariú, que além de idealizador, produtor e diretor da série, também é gerente de Produção e Programação na PlayTV.

Com passagens pela MTV Brasil, Rádio Fluminense FM, Usina do Som, colaboração para Folha de SP, Globo, Rolling Stone, Bizz, o carioca Lariú mora em São Paulo e está na PlayTV desde 2009. Ao se mudar por causa da TV, uma das primeiras produções para o canal, já em 2010, foi a criação do Udigrudi, um programa exclusivo para veiculação de videoclipes independentes nacionais. Com mais de 300 edições, o Udigrudi já veiculou quase 2000 clipes de artistas brasileiros.

Mas a simples veiculação dos clipes não bastava. “Sentia falta de um espaço na TV onde os protagonistas pudessem falar de maneira mais detalhada sobre suas criações, desafios e dúvidas. Depois de anos ouvindo músicas, viajando para shows e festivais e vendo clipes absurdamente bons, achei que as bandas mereciam uma entrevista cuidadosa, um papo franco e que isso ficasse registrado ‘para posteridade´, relata Rodrigo. O nome Ressonância vem daí, uma busca de quase três décadas (o midsummer madness completou 28 anos em 2017) pela atenção do público.

As entrevistas para a série começaram em 2016, com apoio da PlayTV, que co-produz o projeto. Rodrigo ressalta que, apesar de trabalhar no canal, não houve facilidade na viabilização da produção. “Pelo contrário, por entender as dificuldades da atual conjuntura financeira e, principalmente, por ter na PlayTV uma parceira que acredita no fortalecimento da cena musical independente nacional, me esforcei ao máximo para fazer a série acontecer, entrevistando bandas de todo Brasil dentro de um formato simples, onde o que vale é a opinião do artista”.

Entre os episódios gravados, as carreiras de Jair Naves (SP), Ventre (RJ), Autoramas (DF), Vitor Araújo (PE), Dance of Days (SP), O Terno (SP), Low Dream (DF), Rubel (RJ), Tonico Reis (SP), Hateen (SP), Cabana Café  (SP), Baiana System (BA), Carne Doce (GO), Alaídenegão (AM), Bike (SP), Scalene (DF) Luneta Mágica (AM), Catavento (RS), Dillo (DF), as bandas Ombu + Raça (SP), as meninas Brvnks (GO) + My Magical Glowing Lens (ES) terão programas inteiros para falar de seus discos, do processo criativo, das possibilidades e dificuldades do mercado e do “custo indie-Brasil”.

Episódios especiais abordarão temas como por exemplo “O que são os Net Labels” com os produtores dos selos Sinewave e TBTCI; para o que servem as “Distribuidoras Digitais” como a One RPM e a Tratore, além de um episódio sobre “Festivais de Música” (ainda em produção) e outro sobre os “Editais Privados de Fomento da Música” no país.

A estreia na terça, dia 20 de junho, às 22h30 será uma entrevista divertida com a banda gaúcha Bidê ou Balde. Carlinhos Carneiro, Vivi Peçaibes e Rodrigo Pilla relembram sua trajetória, comentando as diferenças de terem trabalhado com grandes gravadoras, de forma independente e, atualmente, com um selo indie de São Paulo. Carlinhos acredita que o “sonho The Wonders” que a banda viveu no final dos anos 90, quando em menos de duas semanas de “nascimento” já tinha seu hit “Melissa” tocando em várias rádios e assinava contrato com uma grande gravadora, tende a não se repetir. Mas ao mesmo tempo, todos na banda concordam que os anos em que estavam sem gravadora e os atuais, com a HBB (selo de São Paulo) são ainda mais estimulantes.

Um bom exemplo a ser seguido, uma estória inusitada que sirva de lição para outras bandas ou simplesmente a revelação da inspiração; são estes os objetivos de cada episódio do Ressonância. “Pode soar metido à besta mas a ideia por trás de cada entrevista é dar às bandas o melhor retrato daquele momento. O que me deixava mais feliz a cada gravação era ouvir do entrevistado um 'que bom que você perguntou isso' ou 'eu não tinha pensado nisso antes'. Espero que quem assista vire fã das bandas ou até monte a própria banda”, conclui Lariú.

Ressonância
Quando: às terças, a partir de 20 de julho, 22h30.
Reapresentação às quintas e sábados, às 22h30
Onde: PlayTV - www.playtv.com.br/ondeexibimos
Classificação etária: Livre

Turnover retorna com novo álbum

O vocalista Austin Getz não pensa duas vezes quando perguntado para resumir “Good Nature”, o terceiro álbum do Turnover. "Aprendendo", ele responde. "Este disco é sobre aprender. Abrir os olhos para coisas novas, sair da sua zona de conforto e aprender a crescer em algo novo".

O álbum anterior do Turnover, “Peripheral Vision”, de 2015, ganhou elogios por exibir um lado sonhador do som melódico da banda. A revista Billboard observou que "o quarteto se transformou em uma banda de rock indie temperamental e atmosférica, sem perder a habilidade de atrair a atenção”. Tão fácil quanto poderia ser para replicar esse sucesso para o seu terceiro álbum, a banda resistiu ao desejo de jogar com segurança.

“’Peripheral Vision’ era principalmente um álbum sobre o sentimento de vazio e não saber o que fazer. Este disco é sobre os passos que tomei depois de sentir essas coisas e onde essas etapas me levaram, e aprender a tentar amar o vazio".

A mistura única do álbum de crescimento musical e espiritual é imediatamente audível na faixa de abertura, "Super Natural", um idílio de final de verão com partes de guitarra entrelaçadas e vocais descontínuos. "Mais do que qualquer outra coisa, o amor tem a habilidade de ensinar a pessoas abnegadas", diz Austin. "Essa música é especificamente sobre apenas um tipo de amor, o amor romântico, e como isso se tornou quase meditativo para mim. Isso me fez sentir tão relaxado, mas ao mesmo tempo eu podia sentir que era algo tão grande... é ‘super natural e é ‘sobrenatural’”.

Para gravar “Good Nature”, o Turnover se reuniu novamente com o produtor Will Yip. Juntos, passaram mais tempo no estúdio do que em qualquer trabalho anterior da banda, dedicando horas de pré-produção para repassar metodicamente as novas músicas, ajustar trechos e escrever melodias adicionais. A maior parte das letras, no entanto, foram finalizadas durante a turnê européia da banda em 2016. “Foi uma atmosfera bonita para escrever este disco, e foi a experiência mais intensa que já tive como escritor".

“Good Nature” será lançado no dia 25 de agosto no Brasil pela gravadora paulista Hearts Bleed Blue (HBB) em parceria com a gravadora americana Run For Cover.

Ouça "Super Natural":
www.youtube.com/watch?v=M6PpLn_6Sa4&feature=youtu.be

Garanta "Good Nature" do Turnover na pré-venda:
www.hbbstore.com/tag?tag=Turnover

Todas as notícias acima são da HBB Press.

Threesome revela título e capa de novo EP

Formada em 2012 em Campinas/SP, a Threesome é um quinteto de música autoral esteticamente influenciada pelo rock dos anos 60 e 70 e com referencias agregadas de outros segmentos como o blues, acid jazz e o indie. Inerentemente maliciosas, as letras das músicas do Threesome narram experiências amorosas e sexuais, monogâmicas ou não. Mais do que contar histórias clichês, a Threesome quer provocar, romper barreiras impostas pelo preconceito e por setores opressores da sociedade, promovendo a livre reflexão sobre um dos temas centrais dos estudos de Sigmund Freud. 

"Get Naked", o álbum de estreia do Threesome, foi lançado em 2014 e está integralmente disponível online através das principais rádios e apps como iTunes, Spotify e Google Play. No canal oficial da banda no Soundcloud também é possível ouvir "Get Naked" na íntegra: https://soundcloud.com/threesomerock/sets/get-naked

O Threesome está atualmente em estúdio finalizando seu novo EP a ser lançado ainda no primeiro semestre de 2017. O trabalho será intitulado “Keep On Naked” e vai trazer regravações de duas músicas do disco de estreia, “Every Real Woman” e “Why Are You So Angry?”, além de uma faixa inédita chamada “My Eyes”.

“Este trabalho veio da necessidade que tínhamos de mudar e melhorar algumas coisas em relação ao álbum de estreia”, diz o baterista Henrique Matos. “Get Naked foi concebido em nosso home studio, então tanto em relação à qualidade de gravação ou quanto à própria composição e arranjos, achamos que poderíamos fazer melhor. Com a saída do Bruno Baptista da banda, a Juh Leidl assumiu as vozes principais de algumas músicas e isso causou uma necessidade natural de mudar as linhas vocais, caso da “Every Real Woman”, que agora adquiriu um tom mais provocativo ainda. "Why Are You So Angry" mudou completamente, é outra música, apesar de ter mantido o mesmo nome e letra da original, mas nem considero como regravação, ela se tornou uma das músicas mais fortes e pesadas da banda. Já "My Eyes" é totalmente inédita e nela decidimos usar o vocal agressivo e doido do Fred Leidl, e o resultado foi excelente”.
Captação, mixagem e masterização de “Keep On Naked” levam a assinatura de Maurício Cajueiro do estúdio Cajueiro de Campinas/SP. A banda gravou as músicas ao vivo direto no gravador de rolo.                                                                                                                                                                         

“Sempre quisemos gravar de forma analógica”, acrescenta Henrique. “Alcançamos o resultado esperado e, de fato, ficou diferente em relação a uma gravação digital. A performance ficou muito natural, e a fita casa melhor todas as frequências, tudo soa mais orgânico, parece que todos os instrumentos têm o seu espaço sem conflitar, é um deleite.”

Já com relação a capa de “Keep On Naked”, ela foi mais uma vez desenvolvida pela vocalista Juh, que também é artista plástica e já tinha assinado a capa de “Get Naked”.

“Tentei criar algo em cima dos temas das três músicas”, conta a vocalista e pintora. “Os três temas são ligados às relações humanas, com um apelo do envolvimento sexual de maneira intensa, mas ao mesmo tempo leve, dinâmica e natural. Penso que a arte da capa traduz sozinha o tipo de sensação que queremos causar ao escutar as músicas. E se você observar, as posições e contornos humanos trazem inconscientemente a mesma forma do símbolo de nosso logo. Keep On Naked, seja pela capa ou conteúdo, mostra essa harmonia, ritmo, swing, calor e intensidade que buscamos”.

Mais informações sobre datas e plataformas de lançamento de “Keep On Naked” serão divulgadas em breve.

Além de Juh Leidl e Henrique Matos, o Threesome também é formado por Fred Leidl (guitarra/piano/vocal), Bruno Manfrinato (guitarra) e Bob Rocha (baixo).

Mais Informações:
www.3somerock.com
www.facebook.com/3some

Maldito Rock: Seu Juvenal estreia show com releituras de malditos da MPB na 12ª Mostra de Cinema de Ouro Preto Walter Franco, Jards Macalé, Itamar Assunção, Sergio Sampaio, entre outros ícones da música anticomercial ganham versões com sotaque mineiro e cara de rock errado

'Brilhante', 'desafiador' e 'perturbado' foram alguns adjetivos usados pela imprensa brasileira para descrever "Rock Errado", terceiro disco de estúdio do Seu Juvenal, lançado em 2015.

Não seria de se esperar algo diferente de um álbum que traz no mesmo espectro de referências nomes tão díspares como Itamar Assumpção, Sonic Youth e Venom. Ou seria?

É justamente por desafiar e provocar que "Rock Errado" foi muito bem recebido por imprensa e público. Foi com "Rock Errado" que depois de quase 20 anos o Seu Juvenal conseguiu, enfim, projetar sua carreira nacionalmente, para além das fronteiras de Minas Gerais. "Rock Errado" ainda creditou ao Seu Juvenal títulos malditos como "banda esquisita" e "traidora de movimentos". "Rock Errado" foi, certamente, um disco que deu certo! Muito certo! Tanto é que chegou a ser indicado para o Prêmio Dynamite 2016 na categoria "Melhor Álbum de Rock", onde também figuraram outros grupos de destaque como Far From Alaska, Cidadão Instigado e Nação Zumbi.

Findada a turnê em divulgação a "Rock Errado", que visitou várias cidades nas regiões sudeste e centro-oeste do país, o Seu Juvenal vem agora apresentar seu novo projeto, "Maldito Rock"!

“Maldito Rock” é uma apresentação do Seu Juvenal interpretando clássicos “Lado B” da música popular brasileira com roupagem rock (errado). O repertório é recheado de composições dos “Malditos da MPB” como Walter Franco, Jards Macalé, Itamar Assunção, Sergio Sampaio entre outros que foram considerados ícones da música anticomercial, inovadores e provocadores naturais, eternos inquietos. Com o mesmo espírito desses gurus do inconformismo, o Seu Juvenal amplifica sua provocação e lança desafios: transformar a poesia desses mestres em algo novo, como numa disponibilização do passado ao futuro, rumo ao desconhecido.

“Desde o começo da banda citamos como grandes influências compositores como Walter Franco e Itamar Assumpção”, diz o guitarrista Edson Zacca. “Fico impressionado como o público e a crítica de rock desconhece estes chamados malditos da MPB (ou como diria Jards Macalé, estes benditos ao contrário). Então resolvemos mostrar na prática o quão rock pode ser a obra destes caras! É uma homenagem e ao mesmo tempo é uma forma de levar o lado underground da música brasileira, com uma roupagem contemporânea, a um público que a desconhece.”

O show de estreia de “Maldito Rock” acontece nesta sexta-feira, dia 23 de Junho, como parte da programação oficial da 12ª Mostra de Cinema de Ouro Preto/MG. O show está programado para ter início às 22:00 no Sesc Cine Lounge Show dentro do Centro de Convenções da UFOP (Rua Diogo Vasconcelos, 328 - Pilar - Ouro Preto/MG). A entrada é franca mediante retirada de senha a partir das 22:00 na portaria principal do Centro de Artes e Convenções.

Outras informações sobre a Mostra de Cinema podem ser obtidas através do site oficial: http://www.cineop.com.br

Além de Edson Zacca, o Seu Juvenal também conta com o vocalista Bruno Bastos, o baixista Alexandre Tito e o baterista Renato Zaca.

Mais Informações:
www.seujuvenal.com.br
www.facebook.com/seujuvenalmg

Heavenless: metal potiguar de volta à São Paulo neste fim de semana

Trio vem para fazer mais dois shows no estado em menos de dois meses e dessa vez serão atração de importante festival na capital

O tom sombrio da contemporaneidade, caracterizado pela polarização de ideias, sugestiona a dificuldade do homem em viver entre e respeitar diferenças. Em essência, isso poderia significar que haveria entre nós certa resistência a aceitar e lidar com singularidades, inclusive a nossa própria, de forma que tendemos, quase irresistivelmente, a nos agrupar entre semelhantes, nos rebanhar. Submeter-se e não emancipar-se.

Em seu “Além do Bem e do Mal”, Nietzsche criticou o homem de rebanho e sua presunção de igualdade baseada na moral cristã, afirmando que a independência “é algo para bem poucos: é prerrogativa dos fortes”. Isso foi no século XIX, período no qual nem o sonho mais atrevido ousaria discutir temas como diversidade sexual, liberação da maconha, legalização do aborto ou outros contemporâneos com tendência a polarização.

Viveria então o homem moderno numa espécie de liberdade imaginária quando, hipoteticamente livre de antigos conceitos, passa a criar e idealizar novos rebanhos e sai em sua defesa numa justificativa pela sua adicção à submissão?

A não submissão tem na coragem o seu preço! Formado na “Terra da Liberdade”, o grupo Heavenless nasceu herdeiro de uma fortuna de intrepidez. Mossoró, capital cultural do Rio Grande do Norte, é marcada pelo Motim das Mulheres, pelo primeiro voto feminino do país, por ter libertado seus escravos cinco anos antes da Lei Áurea, sem falar da resistência histórica ao bando de Lampião.

Kalyl Lamarck (vocal/baixo, ex-Monster Coyote), Vicente “Mad Butcher” Andrade (bateria) e Vinícius Martins (guitarra) tem tanta força no respeito às diferenças e singularidades, quanto à sua própria, defendida com um tom, para muitos, ácido: “Fuck Religion”. Respeito por singularidades não pressupõe o mesmo aos rebanhos (nocivos).

Essa mesma singularidade na ideologia o Heavenless busca em sua sonoridade. Seu disco de estreia, sugestivamente intitulado “whocantbenamed”, traz um death/hardcore com sotaque doom numa grande disponibilização para o inexplorado.

Produzido e mixado por Cassio Zambotto, “whocantbenamed” foi lançado em Janeiro pela Rising Records e reúne nove faixas, entre elas “The Reclaim” que ganhou videoclipe: https://www.youtube.com/watch?v=_LrEOqkUizY

A boa recepção do disco de estreia pela crítica especializada vem proporcionando ao Heavenless ótimas oportunidades de shows e turnês. Depois de realizar oito shows pelo sudeste em abril, o grupo volta neste fim de semana para mais duas apresentações, uma em Sorocaba, no interior de São Paulo, e outra na capital paulista como uma das atrações do Black Embers Fest IV.

A primeira apresentação do Heavenless em Sorocaba acontece nessa sexta-feira dia 23/06 no Oficina Rock Bar (Av. Itavuvu, 1960), localizado na zona norte da cidade. Além do trio potiguar, também se apresenta na mesma noite o grupo Siege Of Hate (S.O.H.) de Fortaleza/CE. Os shows estão programados para terem início às 20:00 e os ingressos serão vendidos no local na hora do show por R$ 10,00. A noitada metal ainda contará com discotecagem do DJ Birth nos intervalos.

Já no sábado dia 24/04 o Heavenless pega a rodovia Castelo Branco rumo à capital paulista onde será uma das atrações do Black Embers Fest IV que está programado para acontecer a partir das 17:00 no Trackers (Rua Dom José de Barros, 337), localizado próximo ao Metrô República. Na mesma noite também se apresentam outras 13 bandas de São Paulo (capital e interior), Ceará, Bahia, Goiás, Paraná e Rio Grande do Sul. Muito sludge, doom, grindcore, death metal, hardcore, shoegaze e synthrock para promover a diversidade na música underground. Os ingressos serão vendidos no local na hora do show por R$ 20,00.


Mais Informações:
www.facebook.com/heavenless666

Todas as notícias acima são da Som do Darma.

Respeita as Minas - Festival é organizado pelo programa Heavy Pero No Mucho e Felling

O Heavy Pero No Mucho (Programa da 89fm) está promovendo alguns fins de semana no Feeling só com bandas de garotas, bandas com mulheres no vocal, ou seja, meninas no comando.

Assim como em todos os setores comerciais, no musical não é diferente, as mulheres estão cada vez mais conquistando seu espaço. O evento quer mostrar exatamente isso, tem muita mulher trabalhando na música e que merece e MUITO a atenção de todos, sem preconceitos!  #RespeitaAsMina

Entre as bandas teremos "Gabi e Os Supersônicos" que tem ganhando destaque na cena paulistana desde o lançamento do seu primeiro EP homônimo no ano passado. Foram destaques em programas de televisão com seu clipe, como promessa no Programa “Leitura Dinâmica” da RedeTV e na 89fm.

Junto a Gabi e os Supersônicos também teremos a apresentação das bandas: Mar Morto, Anfear, Iza Molinari Oficial, Val Donato, Dedê Soares, Endigna, Sapataria, Letty and the Goos e Charlotte Matou um Cara.
Serviço:
Festival Respeita as Minas!
Data: 25 de junho
Local: Feeling
Endereço: Rua Domingos de Morais, 1739 - Próximo ao metrô Vila Mariana
Horário: 16h-23h

A notícia acima foi enviada pela Geração Y.



The Old Shack Band revive o rock valvulado, Debut do power trio paulista é lançado pela Abraxas em parceria da Tropical Fuzz Fever Records


O álbum de estreia homônimo dos paulistas The Old Shack Band, que revivem o rock valvulado dos anos 70, é o lançamento desta sexta-feira da Abraxas, que em breve também sai em CD em parceria com a Tropical Fuzz Fever Records. Ouça aqui: https://onerpm.lnk.to/TheOldShackBand.  

Em Guaratinguetá, no interior de São Paulo, The Old Shack Band apresenta no disco de estreia a típica sonoridade de um power trio roqueiro: riffs bem elaborados, bateria presente e baixo estonteante, inspirados em bandas clássicas e contemporâneas – as mais pesadas – do rock inglês e americano.
 
O primeiro álbum da banda – em dois anos de carreira - foi gravado ainda em 2016, ao vivo no estúdio AudioBox, em Guaratinguetá, para privilegiar uma sonoridade crua, e masterizado por Will Just (Muddy Brothers), de forma analógica no Sabotage Studios, em Boston (EUA).
 
O disco abre com solos harmônicos e o swing do blues em “Look Out”; as influências do punk e garage rock ficam presentes em “You Against You”. Já os anos escutando Black Sabbath apareceram naturalmente na “My Own Demons”, uma música sinistra, cheia de energia. O metal também está presente com força em “Crossfire” e “Suffer no More”. O álbum encerra com “Drifting Woman” que remete ao blues rock de meados da década de 1960. 

Neurosis pela primeira vez no Brasil em dezembro, pioneiros do Heavy Metal farão apresentação única no Clash Club, em São Paulo


A espera de 30 anos chega ao fim em dezembro: os fãs da América do Sul terão finalmente a oportunidade de conferir a intensa apresentação do grupo pioneiro de heavy metal NEUROSIS. A banda trará pela primeira vez sua catártica experiência ao vivo ao continente para três shows no Brasil, Argentina e Chile.

Em três décadas, o NEUROSIS já produziu onze discos de estúdio e se apresentou nos principais palcos e festivais ao redor do mundo - cada álbum, cada música, cada show e cada experiência em estúdio impulsionando a banda um passo adiante no longo caminho da experimentação sônica e espiritual.

Pela primeira vez na América do Sul, o público local poderá sentir o poderoso transe dos riffs massivos emanados do NEUROSIS, criados com esmero ao longo de três décadas em conjunto. A banda fará apenas uma apresentação no Brasil, no dia 8 de dezembro em São Paulo, com realização da produtora Abraxas em parceria com a Xaninho Discos e a Alpha Omega Management.
 
SERVIÇO
 
Neurosis em São Paulo
8 de de dezembro no Clash Club (rua Barra Funda, 969)
Abertura da casa: 18 horas
 
18h30: Saturndust
19h30: Deaf Kids
20h30: Neurosis


1º lote antecipado promocional: R$ 100 - ESGOTADOS EM 3 HORAS!

2º lote antecipado promocional: R$ 120 (até a véspera do show)

Na hora: R$ 140 meia / R$ 280 inteira.

 
Pontos de venda (a partir de 22 de junho)
Yoga Punx (rua Doutor Cândido Espinheira, 156 – Perdizes)
(11) 94314-7955
Volcom (rua Augusta, 2490 - apenas em dinheiro)
(11) 3082-0213
Loja 255 na Galeria do Rock
(11) 3361-6951
Ratus Skate Shop (rua Doná Elisa Fláquer, 286, Centro, em Santo André)
(11) 4990-5163

Notícias acimas enviadas pela Abraxas Produtora.

Carniça: 3° tour pela Argentina iniciando neste final de mês

Os gaúchos da CARNIÇA iniciam nesse final de mês sua nova passagem pela Argentina, onde estarão dando continuidade na divulgação do relançamento do Debut “Rotten Flesh” e iniciando as divulgações de seu 4° disco de estúdio, que está previsto para ser lançado em agosto.
 
Serão ao total três shows nas terras dos Hermanos: Buenos Aires (30/06), Rosario (01/07) e Santa Fe (02/07).
 
Aproveite e confira como foram as duas primeiras passagens da CARNIÇA pela Argentina:
 
 
 
 
Links Relacionados:
https://www.facebook.com/CarnicaMetal

Notícia acima enviada pela Heavy And Hell Press.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário