12 junho, 2017

Resenha: Devastation's Songs - Kadabra (2017)

Com fortes influências do Heavy Metal tradicional e do Thrash Metal, em 2007 em Vinhedo/SP surgiu o Kadabra, um Power Trio poderoso, autêntico, de sonoridade ímpar e de ótimas composições. O trio já participava ativamente do cenário musical de Vinhedo e região, tanto com projetos dentro quanto fora do Metal, como por exemplo as bandas, Collatera e a Amazon.




A introdução misteriosa da um ar de suspense e curiosidade, que casa perfeitamente com a ansiedade de começar a ouvir o disco logo, uma boa sacada. O Thrash Metal do Kadabra é bem mais moderno do que eu acreditava, começando pelas linhas vocais de Paulo, que em certos momentos arrisca bons agudos no final dos fraseados, ao pesquisar descobri que o mesmo é aluno do Raphael Olmos do Kamala, que inclusive é uma das bandas que influenciam o som dos caras. O que faz o Kadabra ser diferente em alguns aspectos, é que muitas bandas investem em um Thrash Metal mais reto e aqui isso não existe, seja pelas viradas na bateria diferenciadas e pela boa pegada, as linhas vocais que já tinha mencionado e pelos riffs de guitarra e também do baixo.

A oitava faixa que é a que leva o nome do disco, "Devastation's Songs" é a mais curiosa e interessante do trabalho, pela metade antecipando o solo, ela ganha um breakdown avassalador, onde a guitarra e o baixo parecem se comunicar e meio a uma onda de bons riffs e a bateria surge impressionante com ótima sincronia e por falar  nisso, que grande trabalho Danilo Souza faz nesse disco com seu grave bem encorpado, dando toda a consistência necessária para que o Thrash saia naturalmente aos nossos ouvidos, um simples trabalho que conduz junto da bateria de Marcos uma cozinha bem coesa, firme, forte e ao mesmo tempo harmônica e cadenciada, claro, sabendo a hora de diminuir e cobrir, e a hora de explodir e impressionar. 




Em várias vezes o trabalho me lembrou Anthrax e em muitas vezes um pouco de Slayer. Difícil definir alguma influência, mas sempre bom lembrar semelhanças. O bacana do Heavy Metal é isso, podemos ser de vertentes distintas, ter gostos diferentes mas ao ouvir um trabalho impressionante, sempre nos unimos e nos aproximamos. O Thrash Metal não é algo que faz parte da minha playlist pessoal, mas tiro o chapéu para quem faz isso muito bem feito, gostei da forma como o Kadabra transformou a sonoridade em algo característico, bons timbres, boas melodias, métricas e ótimas composições, um trabalho que merece ser ouvido, indico a todos.


TRACKLIST
01 - Instrospective
02 - The Cage
03 - Rite of Disorder
04 - Chosen Few
05 - Back Home 
06 - Obliterate 
07 - Pay The Price 
08 - Devastation's Song 
09 - You Are a Lie  
10 - Death Penalty 
11 - Pictures of War


FORMAÇÃO
Paulo - guitarra e vocal
Danilo - baixo
Marcos - bateria



SIGA KADABRA

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário