29 setembro, 2017

Resenha: Entre Ratos e Pulguedo - Boca Braba (2016)

Existe bandas que marcam as nossas vidas. Em uma das primeiras coberturas realizadas pel'O SubSolo, no 1º Garage Rock em Imbituba(Praia do Rosa)/SC, conhecemos o Boca Braba. Entre mais de quarenta bandas naquele festival os caras vieram lá de Viamão/RS, percorrendo mais de 750 quilômetros de ida e volta, dormiram no festival, fizeram churrasco, apresentaram a banda e foram embora com o objetivo cumprido, enquanto vemos bandas fazendo mimimi para tocar na própria cidade.



Com as veias totalmente dominadas pelo Hardcore NY, pela pegada rápida nas guitarras, bateria forte e um baixo estrondoso, o Boca Braba traz uma língua afiada, não se conformam com diversos temas, abordam verdades em uma língua ríspida e pontual, dedo na ferida, curto e grosso, como Hardcore tem que ser. Não foi atoa que foi escolhido como um dos melhores discos de Hardcore de 2016 pel'O SubSolo, os caras mereceram. Dificilmente alguém que goste de algo mais pesado, não se identifique com a banda, ainda mais por cantarem em língua pátria. Pessoas que gostam de um Metal mais pesado, mais no extremo também gostam do que o Boca Braba propõem, são músicas que vão além do gosto musical, são criticas que nos tocam e gritam por nós.

Mesmo que seja um Hardcore NY, tem coisas que ninguém arranque de suas raízes. Oriundo do Rio Grande do Sul, os caras carregam muitas características gauchescas, como o nome da faixa "Hardcore é o meu patrão" e claro, sem falar naquele sotaque que todos nos conhecemos, certo? As faixas que mais me chamaram atenção foi "Fuck USA", "Farda Verde Oliva" (que está na coletânea O SubSolo Vol. 2) e "Escravo da Moeda", não que as outras não sejam boas, mas essas, são outro nível em minha percepção. Acredito que o Hardcore é uma das vertentes mais interessantes do Rock/Metal, pelo simples fato da ideologia que tem por trás de todo o trabalho do gênero.

Sem descansar o Boca Braba já lançou um outro EP agora em 2017 intitulado "Hardcore de Galpão", dando continuidade no bom trabalho do "Entre Ratos e Pulguedo". O disco não tem discussão, realmente foi um dos melhores de 2016 do gênero, mesmo longe dos holofotes tem muita qualidade, sempre comento que o Hardcore respira sem ajuda de aparelhos, vejo a batalha dessa banda a um bom tempo, me orgulha ver tanta qualidade e disposição em pessoas tão brilhantes, estou ansioso para resenhar o novo EP.



TRACKLIST
01 - Intro
02 - Combater
03 - Hardcore é meu Patrão
04 - Morram Insetos
05 - Revolta Social
06 - Proteste Porco
07 - Fuck USA
08 - Farda Verde Oliva
09 - Entregar ou Lutar
10 - União

FORMAÇÃO

Douglas Cereja - guitarra
Vinícius Marques - vocal
Mateus Roese - bateria
Rodrigo Vieira - baixo
Hígor Cavalheiro - guitarra

SIGA BOCA BRABA
FACEBOOK / YOUTUBE
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário