13 outubro, 2017

Resenha: Imperative Music - Vol. XII (2016)

A Imperative Music é um daqueles projetos fantásticos que temos que elogiar e glorificar. A política da gravadora é produzir novos artistas que possuam habilidade, criatividade e algo realmente "incrível", motivados a tocar Heavy Metal e suas vertentes, dando oportunidade a outras sonoridades como o AOR e o Hard Rock.




Afirmam que para respeitar os futuros consumidores, a Imperative Music tem a intenção de selecionar a dedo e produzir todos os produtos da gravadora com a mais alta qualidade, usando os mais impressionantes e melhores estúdios de gravação e masterização, junto da equipe também trabalhar com os melhores designers e melhores gráficas para garantir a melhor qualidade desses produtos, sendo os CDs embalados e fabricados nos Estados Unidos e/ou França.

Sem medir as palavras, a gravadora afirma: "Parceria é a chave para a produção de nossos futuros artistas de forma profissional e séria", sendo que esse tipo de pensamento é a forma correta de trabalhar, de mãos dadas sempre vamos ser mais fortes e cooperativismo deve ser algo vivenciado no cenário musical nacional. E por falar em trabalho nacional, nessa coletânea temos representando o Brasil as bandas; Cavera, As Do They Fall, Death Chaos, Tribal, Basttardos e Eduardo Lira, sendo que quase todas essas já tiveram matérias e/ou resenhas publicadas pel'O SubSolo.

Assustadoramente como o trabalho flui em um nível técnico altíssimo. Quando conheci o projeto fiquei boquiaberto, pois tudo é pensado nos mínimos detalhes, tanto distribuição, parcerias, confecção do material e convite para bandas, estas, escolhidas a dedo. Os trabalhos estrangeiros são muito bons, destaco a banda de abertura, Alice in Hell que é uma banda originária do Japão. Outra banda que me chamou a atenção foi a Godvlad que é uma banda portuguesa, nunca imaginaria que existisse uma banda com tal sonoridade nesse país. Já as bandas nacionais, todas espetaculares. Cavera, Basttardos e Death Chaos são impecáveis no que apresentam, já Tribal é algo inovador com boa distribuição no trabalho que demonstram. Eduardo Lira já é um artista renomado, enquanto As Do They Fall é minha surpresa no disco, não os conhecia e achei fantástico.

As coletâneas são importante para melhor divulgação do cenário, quando um projeto consegue alcançar vários países, isso se torna ainda mais impressionante. Imaginar que uma banda nacional pode ter sua música na coletânea e essa coletânea ser distribuída em mais países além do nosso é algo que vale cada centavo de investimento. Se vale a palavra de alguém que arrisca a fazer coletâneas, valorize, pois o trabalho é árduo e muitas vezes fazemos isso por amor ao nosso cenário.


TRACKLIST (BANDA - MÚSICA)
01. Alice In Hell - Time To Die
02. Infact - Change My Name
03. Cavera - Controlled By The Hands
04. As Do They Fall - Burn
05. Nihilo - On the Brink
06. Statue Of Demur - Hot to Trot
07. Darcry - Cry of Despair
08. Death Chaos - Atrocity On Peaceful Fields
09. The Holy Pariah - No Forever
10. Tribal - Broken
11. Hide Bound - Eden Knew
12. Phantasmal - Specter of Death
13. Basttardos - Exilados
14. Metanium - Resistiendo
15. The Wild Child - You and The Snow
16. Armed Cloud - JealousyWith A Halo
17. Eduardo Lira - The Edge
18. Godvlad - Game of Shades


SIGA IMPERATIVE MUSIC

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário