03 janeiro, 2018

Resenha Liférika - Liférika (2016)

O Liférika é uma banda de Rock 'n Roll formada em 2011 na cidade de Taboão da Serra/SP. Em outubro de 2015 foi lançado o seu primeiro disco, o intuito é da sonoridade do grupo é trazer influências mescladas desde Rockabilly até o Country, passando por Hard Rock e o Punk Rock. O som facilmente é digerido por pessoas que costumam ouvir Rock setentista e oitentista, pelo fato de ser puro, reto e com letras que lhe da vontade de abrir uma cerveja e ouvir o som dos caras.




Apesar de morarem em sentidos reversos, o Liférika lembra muito a banda clássica de Punk Rock gaúcha, Tequila Baby, seja pelas letras, vocais com timbres semelhantes ou sonoridade que lembra um pouco. O Liférika aposta um pouco mais com letras afiadas mas o que peca no trabalho é a qualidade da gravação que tem altos e baixos na capitação da bateria e nos timbres vocais que poderiam ter sido melhores mixado. Isso é algo que o cenário vem sofrendo, pelo "custo x beneficio" de gravação, acabamos optando pelas as quais se enquadram em nosso orçamento, por vários motivos, quanto melhor a gravação, mais o trabalho será abrilhantado. (fica como uma critica construtiva para algo futuro)

Sempre que falo do Liférika, gosto de citar que curto ouvir a banda tomando uma cerveja, pois é aquele Rock um pouco pesado e timbrado com guitarras distorcidas e vocal grave, que lembra o Rock oitentista que ouvia nos vinis no antigo toca disco de meu pai. Um som caracteristico de quem curte clássicos, com boa pegada de baixo coeso e guitarras distorcidas, vocais roucos e contagiantes. Músicas como "Rua Augusta" se tornam um hit pelo refrão grudento e que você canta junto a partir da segunda audição. 

O disco é chamativo pela capa bem estruturada e o encarte bem escrito e criativo. A proposta da banda é manter as origens no Punk Rock com base do Rock oitentista e pegadas do Grunge (por causa das guitarras com diversos efeitos, sujas e distorcidas). Os caras são muito ativos na cidade de São Paulo, tem uma proposta cultural muito envolvente e já vi que dão a cara a tapa para ajudar qualquer tipo de arte/cultura na cidade metropolitana paulista, são de bandas assim que precisamos, espero que levem todas as criticas para o lado construtivo!

TRACKLIST
01) Em Sã Consciência
02) Brincando Com a Sorte
03) Ao Velho Mundo
04) Meu Amigo
05) Cilada
06) Memórias
07) Agatha
08) Alucinações
09) Ao Seu Lado
10) Rua Augusta
11) Cigarros e Bebidas
12) Chuck Berry’s Blues

FORMAÇÃO
Diego Alves – voz e guitarra
Adriano Nascimento – baixo e Voz
Kaue Santos – bateria e voz
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário