Resenha: Inhuman Nature - Krucipha (2017)

O Krucipha (que se pronuncia Kru.SI.fa), é uma banda que foi formada em Curitiba, capital do Paraná, no ano de 2010. A banda investe em um Thrash Metal visceral com influências do Death e Groove Metal com pitadas do Hardcore NY. Conheci a banda em meados de 2012/2013 e de lá para cá a admiração só aumenta. Não é atoa que os caras já dividiram o palco com Project46, Claustrofobia, Sepultura e Cavalera Conspiracy.





Não cheguei a resenhar o disco "Hindsight Square One", mas sempre reconheci o potencial absurdo que o mesmo tinha e como abriu portas para a banda na região e nacionalmente falando, foram além do que imaginavam. Mas o que já era ótimo e impecável, a banda fez o impossível, conseguiram evoluir ainda mais e trazer um disco muito mais pesado e audacioso, mesmo com trocas de integrantes a base e a sonoridade do Krucipha além de ter se mantido, conseguiu alcançar um ápice no som pesado proposto pelo grupo.

O novo disco chega para além de dar continuidade no trabalho, ele possa iniciar um rumo que a banda quer tomar, talvez pelo fato do "Inhuman  Nature" ser mais pesado, portas se abrirão. A mescla do Thrash e Groove Metal com pitadas do Hardcore NY, sempre deixou claro a ideologia do Krucipha de criar uma identidade própria e característica, porém, nesse disco traz uma influência do Death Metal em determinadas partes, vocais mais agressivos e coesos, bateria mais marcada e fantasticamente mais apurada, um baixo mais presente, guitarras mais afiadas e o tambor, aaaaaah o tamborzinho, sempre dando um brilho a mais.

"Inhuman Nature" traz consigo uma característica ímpar, com pegadas mais aleatórias e alucinantes, uma sonoridade mais visceral e pontual. Senti uma pegada mais pessoal, algo tocada mais com o coração e em certas partes, trazendo uma sonoridade inspirada no Sepultura por exemplo, o motivo disso se deve as pitadas brasileiras no Metal executado pelo grupo paranaense.




O Krucipha sempre soube além de compor, como fazer uma apresentação. Músicas como "Mass Catharsis", que tem uma sonoridade visceral e ardente, sendo destaque inclusive na Coletânea O SubSolo Volume 3. O disco traz pitadas com influência do disco "Roots" do Sepultura, que trazia diversas influências dentro do Metal, inclusive pitadas do Hardcore, Thrash e New Metal. O Krucipha sempre turbinou tudo o que se dispôs a fazer, desde apresentações, como ótimos discos. Não é atoa que a banda só cresce a cada ano que se passa, os frutos colhidos foram plantados lá atrás!


FORMAÇÃO
Fabiano Guolo - vocal e guitarra
Luís “RazorB” Ferraz - guitarra
Khaoe Rocha - baixo
Nicholas Pedroso - percussão
Felipe Nester - bateria

TRACKLIST
01) Hateful
02) Victimia
03) F.O.M.O.
04) Acceptance
05) Non Efficiens Non Decorus
06) Alter the Image
07) Bureaucrap
08) Mass Opression
09) Mass Catharsis
10)  Unwilling (Bonus Track)

11)  Reason Lost MMXVI (Bonus Track)

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário