Resenha: Underdog - Underdog (2017)

O Underdog é uma banda originada em Goiânia, capital de Goiás. A sonoridade é totalmente pessoal, criada pelo músico e compositor Rodolfo Campos. A proposta apresenta algo fora do comum para muitos, um Hard Blues o que é basicamente uma mistura do Hard Rock com o Blues.



Aparentemente a banda bebeu muito da fonte do Thin Lizzy, Eric Clapton e muita coisa de Jimi Hendrix, pois as guitarras tem um trabalho ímpar impecáveis no disco, as vezes prejudicada pela qualidade de gravação, assim como outros instrumentos. Mas para quem consegue sentir a música e deixar de lado pequenos detalhes técnicos, consegue chegar até a mensagem que é a real intenção de ser repassada perante as músicas.

Em algumas músicas achei que muitos elementos juntos prejudicaram um pouco a estrutura das melodias, sendo que de imediato o ditado "menos é mais" vem a minha mente nesta hora. Em algumas partes faltam uma métrica vocal mais apurada e mais trabalhada e algumas notas equivocadas não alcançadas.

"Hang Up" é a música mais bacana do disco todo, talvez a que me ganhou de imediato pela forma como foi conduzida desde introdução até o final. Acredito que ela foi a que acertou em cheio. A métrica vocal foi bem encaixada, as guitarras em perfeita harmonia com outros instrumentos e o solo foi impecável, lembrando o Eric Clapton e Jimi Hendrix que citei no inicio deste, lembrando que para mim é a música mais simples do disco e isso foi um diferencial gigantesco.

Outra faixa que me chamou a atenção foi "Nasty Dog" que traz um riff de guitarra muito bem estruturado, mas mais uma vez prejudicado pela gravação de outros instrumentos como a caixa da bateria que parece nem existir. Mas traz consigo mais um solo psicodélico, lembrando o Rock oitentista e com um baixo bem groovado no refrão, dando mais peso e potência melódica.

O trabalho visual é bem interessante, a ilustração de vários cachorros, sendo um em cada local. Cada local do material físico um cachorro diferente, capa, contra capa, miolo do disco e interior do disco. As guitarras do disco lembram uma pegada mais setentista alternando para um Rock mais moderno. O único adendo é um pouco mais de investimento na qualidade da gravação, que não tira o encanto das músicas e a qualidade sonora, apenas algo mais técnico a ser melhor cuidado.


TRACKLIST

01) Nasty Dog

02) On My Own
03) Only in it for the Thunder
04) Encore
05) Blues Up
06) Looks Can be Defeating
07) Let it Show
08) Hang Up
09) Swagger



← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário