Cobertura: Santana's Sunday - O Retorno (Lages/SC)

Bandas de todos os estilos e de vários cantos do país, uma feira de adoção de cachorros abandonados, projetos ecológicos, cerveja artesanal e pizza gourmet, tudo isso na fazenda de um dos maiores vilões do cinema brasileiro? Essa loucura se chama Santana’s Sunday, acontece em Lages (SC) e O Subsolo não poderia ficar de fora dessa!




A edição dessa semana (16/09) foi um retorno dos festivais, o evento já teve 10 edições anteriores com várias bandas incríveis e dessa vez não foi diferente. O festival contou com as bandas: Groove Haze, Raccoon Club, Balthazar, Losna, Infected Sphere e Acidemia.

A imagem pode conter: 2 pessoas, violão

(Foto da banda Groove Haze aos olhos da incrível Isadora Cordeiro)

Groove Haze, banda de Groove Tropical, abriu o festival logo no início da tarde e não demorou muito pra conquistarem o público com o carisma incrível da vocalista Jayne Passos. Se debruçando em psicodelias, grooves matadores e um vocal extremamente expressivo, Groove Haze fez sua participação na história do Santana’s.

Raccoons Club vem com um Indie mais refinado, uma proposta muito interessante que é liderada pela  Aline Dutra, cantando perfeitamente com uma voz encantadora. A banda vem com músicas lentas, instrumentos perfeitamente sincronizados e um charme no visual dos integrantes. A apresentação rendeu muitos aplausos e destruíram com as músicas autorais.

Balthazar, o que dizer desses rapazes maravilhosos, não é mesmo? Foi minha primeira vez em um show da banda e é de se impressionar com a qualidade do som, timbres impecáveis e vocais muito bem trabalhados, um destaque especial pra telecaster do Raul Galli com desenhos estonteantes desenhados no corpo. Show indescritivelmente fascinante.

Losna, a banda que mais deixou o público boquiaberto. Um power trio de Death metal com duas mulheres na linha de frente. Simplesmente incrível. O poder das linhas rápidas do baixo e os timbres agudos da guitarra se cruzavam e davam aquele belo soco no ouvido. A banda com mais interação de público.

Infected Sphere, convicção, garra, técnica e a força de vontade mostrando que quem quer faz acontecer. Luís Tomasini, o cara que levou literalmente o peso de uma banda sozinho numa tour. Teve a ajuda do vocalista da banda Ovários, mostrando que a cena tá unida pra ajudar quem se dispõe à fazer acontecer.

Acidemia, pra fechar o festival, tinha que ser algo espetacular, e nada melhor pra isso do que viajar pra outros planetas numa nave espacial guiada pelo gato de estimação de satanás. Um power trio de Stoner que trouxe vocais clássicos e uma dose imensa de psicodelia, um show onde os músicos se entregaram de corpo e alma ao seu som, regado à fuzz e espontaneidade. Uma experiência recomendável à todos.

A imagem pode conter: 6 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé, criança, céu e atividades ao ar livre

O evento que era pra ter acabado se mostrou bem forte novamente. Santana ressurgiu com todo o seu poder mostrando que mesmo distante, vale à pena cada segundo. É um domingo em que você gostaria de poder viver toda semana (mas não vamos abusar do Tio Thomas né), sem dúvida um dos festivais com a melhor vibe que já aconteceu na serra catarinense. Esperamos ansiosos pelo próximo! (Nenhuma criança foi ferida durante o festival, Santana não mata criança!
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário