QUADRO NEGRO - #8 A importância despercebida de Bill Stevenson na história do punk

Texto originalmente escrito por mim e publicado pelo site Zona Punk em 08/04/2017.

Ao falarmos em punk rock, associamos rápidamente o estilo a bandas mais antigas, como Ramones,  Sex Pistols, Descendents, Black Flag ou All, ou mais recentes como NOFX, Rise Against, Lagwagon, Face to Face ou Hot Water Music. Parece impossível que uma pessoa esteja diretamente ligada a quase todas essas bandas mundialmente famosas, seja no underground ou no mainstream, mas essa pessoa chama-se
Bill Stevenson.

O Subsolo - Quadro Negro #8

Quando ouvimos falar de Descendents, Stevenson não é o primeiro nome que nos vem à mente: com certeza pensamos em Milo Auckerman, seu jeitão nerd e sua caricatura nas capas de seus albuns. Entretanto, Stevenson é quem compõe boa parte das músicas e é o coração da banda, como retratado em Filmage, documentário sobre a história do Descendents/All.

Se das cinco bandas icônicas antigas mencionadas acima, Bill foi baterista de três delas, não é novidade dizer que todas as bandas recentes listadas foram produzidas por ele: além de ícone punk, Bill tem uma sólida carreira como engenheiro de som e, juntamente com seu parceiro Jason Livermore, é dono do The Blasting Room, estúdio voltado à bandas underground em Fort Collins, Colorado.

Apesar de toda essa bagagem, quem vê Stevenson na rua conversando e brincando com todo mundo na saída do show pode não ter a dimensão do mito que ele é, até mesmo por sua discrição. Bill tem o tipo de fama em que pode ir a um supermercado lotado e passar despercebido, pois seu reconhecimento está quando ouvimos alguma de suas músicas e percebemos a agilidade, técnica e consistência de seus trabalhos.

Nem o tumor no cérebro do tamanho de uma bola de tênis foi capaz de parar o coffeeholic e agitado Bill Stevenson: se Descendents ou All estão em hiato, outra atividade surge rápido e prontamente lá está ele mais uma vez com a sua bateria frenética (como o projeto Only Crime, onde Bill toca juntamente com Russ Ranking, do Good Riddance, Aaron Dalbec, da extinta Bane, e Matt Hoffman, do Modern Life Is War) e suas idéias para produzir novas bandas.

Aos 53 anos, mas com o fôlego de sempre, buscando inovações, contribuindo para a ascenção de várias outras bandas (suas ou de amigos) e resgatando sempre suas origens californianas, esse é um dos caras que mantém o punk rock energizado desde 1970.

Obs.: Hoje Bill Stevenson tem 54 anos.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário