13 dezembro, 2018

QUADRO NEGRO - #9 Uma história bem bacana com Pennywise

No último dia trinta de novembro, Pennywise passou pelo Rio de Janeiro para fazer seu show de comemoração de trinta anos da banda e divulgar seu novo álbum Never Gonna Die, junto aos canadenses do Comeback Kid abrindo e de fechamento, Jimmy & Rats. 

Apesar do show ter sido matador, a coluna de hoje conta uma história de fã que parece ter saído de um filme da Sessão da Tarde.



Fat Mike, sempre causando. Fez o pior comentário possível no palco sobre o massacre em Las Vegas, dividindo opiniões no underground. Publicou um pedido de desculpas que, a meu ver, foi bem fraco - mas fiquei feliz pelo NOFX ter sido expulso de seu próprio festival e ver Fat choramingando suas perdas contratuais na internet. E justo neste polêmico post, Fletcher, guitarrista do Pennywise, comentou "friends and family first". Ora, se Pennywise não é uma das minhas bandas favoritas e ambos são melhores amigos, mas defender uma atitude dessa pareceu desencontrar das letras que ouço desde criança. Entrei na sequência e respondi ao comentário do Fletcher contestando seu posicionamento e logo veio uma enxurrada de críticas de outros fãs. Logo em seguida, o grandalhão das guitarras mandou mensagem inbox e, de maneira muito educada, sugeriu que, se eu quisesse realmente conversar, que entrasse em contato com ele no celular (e deixou o número).

Por essa eu não esperava: agora eu tinha o telefone do cara. Não havia nada a fazer senão telefonar. Nas duas vezes, ele estava ocupado e não podia falar. Mandei uma mensagem dizendo que tudo bem, só a atitude dele já tinha dado a entender que tratava-se de uma pessoa completamente diferente do Fat Mike - e avisei que estava ansiosa pelo show do Rio.

Algum tempo depois, aproximadamente um dia antes do show, um plim do meu celular me faz levantar da mesa de trabalho às duas e meia da manhã: Fletcher pedindo meu nome completo e das minhas amigas para que nós finalmente pudéssemos conversar pessoalmente. Detalhe: full access.

Essa foi apenas uma de todas as histórias que eu tenho para contar daquela noite com o Pennywise. Não apenas Fletcher fez questão de explicar seu comentário pessoalmente, mas Jim me apresentou a uma das filhas por FaceTime, Byron reclamou da idade comigo e Randy repetiu uma frase que eu disse a ele a exatos oito anos, no WROS Fest (quando eu disse que ouvia mais Pennywise do que meus próprios pais, já que o fone de ouvido vivia - e vive - nas orelhas!).

É sempre bom compartilhar essas histórias incríveis. Elas fazem acalentar a alma de saber que ainda existem pessoas assim no meio underground.