Resenha: Luciano Granja Grupo Vol. 2 - Luciano Granja Grupo (2018)

Diversas vezes presenciei pessoas chateadas por terem conhecido seus ídolos, seja lá de que segmento fosse. Muitos ainda insistem na frase "não conheça seus ídolos". Porém, posso dizer que tive muita sorte. Conheci o Luciano Granja em um verão aqui em Santa Catarina, em suas férias. O guitarrista que passou por anos pelo Engenheiros do Hawaii, tocou também com Pitty e agora é um dos intocáveis do Armandinho, lança o seu segundo disco.




As influências do Luciano Granja não caem "longe do pé", realmente é tudo muito ao redor do Rock gaúcho, principalmente pela calma nos vocais apresentados em algumas músicas, como por exemplo em "Algum Lugar ao Sol". Os riffs de guitarra, já demonstram um guitarrista mais solto e que investe em algo definitivamente seu. 

Algumas pitadas notórias do Stoner, com bastante psicodelia em boa parte do disco. Me agrada bastante as letras em Português e os temas abordados com em "Bala Perdida" que traz a legitimidade de uma música brasileira. Mas além de todas essas características que já tinha inclusive citado na resenha do "Vol. 1" e até as semelhanças/influência com Engenheiros do Hawaii que provavelmente o músico Luciano Granja já deve estar saturado, vejo nesse disco algo mais longe do comercial e com maior amadurecimento rítmico. 

Ao contrário do primeiro disco que era com toda certeza tudo muito bem estudado e metricamente encaixado perfeitamente ou talvez com toques de perfeccionismo, sinto no segundo volume do disco composições mais espontâneas e de entrega total dos integrantes, principalmente de Luciano Granja, que mesmo viajando o Brasil inteiro como músico profissional de apoio de um artista de agenda lotada (Armandinho), tira tempo para se dedicar ao seu projeto solo de música autoral.

É muito chato quando tu pega um disco e fica dizendo "ah, parece com banda tal...", não, esse disco parece com "Luciano Granja Grupo", tem autenticidade total. Não busca parecer com nada e músico nenhum vive absolutamente na sombra DE NINGUÉM, aqui esborda talento para criar seus próprios passos e escrever a sua própria história.

Fico impressionado quando um músico não é afetado por uma comodidade de um primeiro disco. Ouvi dizer de um grande músico (Um salve a Duzinho Alves) que o segundo disco de um artista é a consagração do mesmo no cenário. O primeiro é o chute na porta, mas o segunda tem que ser o estouro, pois é o que mantém ele vivo e com grandes chance de estourar e se manter. E foi isso que o Luciano Granja fez, não só manteve o nível, assim como trouxe um disco com canções ainda melhores. Refrões grudentos, riffs contagiantes e vocais intensos, intercalando com calma e com ótimos timbres, baixo groovado e bateria incessante. Excelente play!


TRACKLIST
01) Bala Perdida
02) Dançar Direito
03) Seguindo a Trilha
04) Por La Sombra
05) Seu Mundo Cão
06) Vacina
07) Controle
08) Quasímodo
09) Querer É poder?
10) Algum Lugar ao Sol


OUÇA AGORA

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

Um comentário:

  1. Vou buscar conhecer o vol 2... tomando por base que o vol 1 ê absolutamente espetacular....

    ResponderExcluir