Entrevista: Antonio e Pedro (A&P - Reacts)

A&P - Reacts é um canal no YouTube que foi criado por um pai (Pedro) e seu filho (Antonio). O canal tem sido uma das maiores comunidades de metal do YouTube, onde divulgam bandas do mundo todo, reagem aos vídeos, fazem entrevistas e promovem artistas e bandas. Confira a interessante entrevista abaixo.


Vocês podem se apresentar para os humanos e aliens que ainda não sabem quem vocês são e o que vocês fazem? 

Pedro: Nós somos Pedro (pai) e Antonio (filho) de Toronto, Canadá. Antonio vai para a escola e eu trabalho e durante nosso tempo livre, quando não estamos indo a shows de metal, nós postamos vídeos de metal do Youtube e falamos sobre merdas, pintos, botas, heavy metal e claro... pintos. 

Como a ideia para começar o A&P Reacts surgiu?

Pedro: Tive a ideia de começar um canal no YouTube com o meu filho. A ideia era simples, eu queria me conectar mais com ele e passar mais tempo com ele, e ao mesmo tempo o Metal me ajudou em minha adolescência durante períodos difíceis. Eu sabia que ele estava tendo problemas relacionados a racismo na escola (descendência Portuguesa e Guianesa) e eu senti que eu teria um impacto maior em sua vida através da música se nós fizéssemos algo do tipo juntos.

Antonio: Não queria fazer isso no início. Eu pensei que seria brega, mas depois de conversar com meus amigos, eles disseram que eu deveria fazer isso... que eles gostariam que os pais deles tivessem vontade de fazer algo do tipo com eles, então eu disse OK, vamos fazer isso. 

Então veio o nome... o nome é Antonio e Pedro - Reacts... A&P Reacts... não era nossa primeira escolha, mas funcionou bem. 



O A&P - Reacts tem mais de 31 mil inscritos no Youtube e em minha opinião, é um dos mais importantes canais e comunidades de Metal nos dias atuais. Vocês tem algum plano futuro para fazer o canal atingir mais pessoas? Talvez festivais e coisas do tipo?

A&P: O crescimento tem sido orgânico. Nós nunca pensamos que poderíamos atingir 1k de inscritos, então nós nunca começamos o canal com o propósito de atingir grandes números. Era simples, algo que nós fazíamos para nós mesmos e que pensamos em compartilhar com o mundo. Se as pessoas gostassem, legal, se não, nós faríamos do mesmo jeito. Até o momento não trabalhamos com o intuito de fazer o canal crescer, isso não é o nosso objetivo ou força que nos motiva. Nós deixamos acontecer naturalmente e colocados conteúdo que pensamos que outras pessoas vão gostar, porque nós gostamos. Eu acho que se você faz algo que você gosta do que está vindo, eventualmente isso vai permitir que o canal continue a crescer. 

Como vocês escolhem as bandas que vão reagir?

Pedro: Nós temos um ''processo'', eu tenho um processo. O Antonio é apenas um colírio para os olhos, haha. Nós temos um processo e uma agenda. Quinta-feira é throwback time e isso geralmente significa que vamos colocar um vídeo da minha juventude (Pedro) para que ele veja o que eu estava ouvindo na idade dele. Duas vezes por semana nós fazemos um vídeo que foi requisitado via Patreon. Dois domingos por mês é o especial Nightwish. Toda segunda-feira nós procuramos por uma banda (menos conhecida ou sem contrato) que nos procurou e pediu para olharmos seu clipe. É uma maneira de permitir que bandas pequenas consigam expor sua música. Nós sentimos que isso é algo realmente importante e uma maneira de contribuir para a comunidade do metal. Fora disso, nós aceitamos sugestões de nossos views. Nós mantemos os nossos olhos abertos para novos lançamentos de clipes de bandas que amamos e acompanhamos e é basicamente isso. Como você pode ver, é um processo científico real. 

As bandas underground podem enviar material para vocês?

A&P: Sim, como nós mencionamos anteriormente, segunda-feira nós checamos vídeos de bandas menos conhecidas, undergrounds e sem contrato. Nós encontramos bandas matadoras desse modo e eu acredito que a nossa audiência também. A quantidade de emails e mensagens das bandas é esmagadora e nós gostaríamos de poder fazer mais, mas ao menos já estamos fazendo algo. Talvez mais do que a maioria, mas ainda sentimos que não é o bastante. 

Já que vocês tem contato com músicos de todo o mundo, qual é a sua perspectiva para o futuro do metal, baseando-se nas diferentes opiniões e visões que vocês escutam?

A&P: A indústria da música está mudando junto com as mudanças tecnológicas, algumas são boas e outras são ruins. O artista hoje que está fora do top 1% mal consegue pagar as despesas e o dinheiro é apenas durante a turnê e merchandising. Não sabemos qual é a solução, ou se alguém tem a solução. Mas está ficando cada vez mais e mais difícil para bandas sobreviverem e serem músicos profissionais. 

Nós como fãs precisamos dar suporte as bandas que gostamos e não fazer downloads ilegais e ficar em casa sem ir aos shows ou sem comprar o merchandise das bandas. Se nós não dermos suportes com nenhum produto, nós corremos o risco de perder as bandas que amamos. Não estou dizendo que temos que fazer isso em todos os meios, mas dar qualquer suporte que você puder... não apenas receba, dê um pouco. 

Eu ouvi dizer que Antonio começou uma banda de Doom Metal. Como está indo, cara? 

Antonio: Haha, eu encontrei um baterista, então no momento nós somos um projeto de dois caras. Estamos procurando por um vocalista e baixista, mas estamos trabalhando em algumas músicas que esperamos finaliza-las no verão e se possível gravarmos alguma coisa para colocar para o mundo ouvir. 


Nós compartilhamos a mesma paixão pelo grande Wintersun. Você poderia escolher sua música favorita e nos dizer o por quê?

Pedro: Essa é uma pergunta muito difícil. Mas se eu tivermos que escolher uma música forçadamente, seria Death & The Healing para ambos. Lonileness talvez seja a segunda. Death and The Healing é uma música que descobrimos na semana seguinte do falecimento de meu pai, e durante o tempo de luto, essa música me ajudou a lidar com isso. Eu me conectei com as letras e parecia que eu estava frequentando terapia toda vez que eu escutava essa música. Isso me ajudou a exteriorizar o que eu estava sentindo por dentro através da letra e melodia. 

Antonio: Eu estava tão triste quando o Wintersun tocou em Toronto em Outubro do ano passado e essa música não estava no setlist. Eu até a toquei no carro enquanto levávamos Jari e os outros caras para a Niagra Falls... sim, nós fizemos isso!!! Eles tocaram ela durante a passagem de som (sem os vocais do Jari) e isso foi um grande prazer, mas cara, ainda estou triste por ela não ter feito parte do setlist. 

Vamos conhecer vocês melhor... o que vocês gostam de fazer além do A&P Reacts?

Antonio: Jogo vídeo-games, toco guitarra, baixo e saio com meus amigos, mas a maioria dos jogos são Fifa, GTA, Fortnite e outros. 

Pedro: Adoro assistir séries de TV e filmes... a maioria ficção científica, crimes ou drama. Algumas comédias também para quebrar os temas das séries sombrias. Nós dois gostamos de sair para comer, ir ao cinema e apenas relaxar em casa. 

Vocês conhecem alguma banda do Brasil sem ser o Sepultura e Angra?

Pedro: Cresci ouvindo muito Garotos Podres e Ratos de Porão. Então essas bandas sempre estiveram em minha playlist, junto ao Sepultura e Angra. Mais recentemente eu descobri a Nervosa e essa é uma outra banda que eu coloquei em minha playlist. Essas mulheres detonam.

Antonio: Conheço mais jogadores de futebol do que bandas. 

Vocês já pensaram em vir ao Brasil para beber algumas caipirinhas e "bang your heads"?

Pedro: Eu iria apenas pela caipirinha. Eu amo caipirinhas... quando estou de férias em Portugal eu as bebo como se fosse água vitaminada. Ir para o Brasil sempre foi um sonho meu, nós como canadenses precisamos de visa,mas isso não deve ser tão difícil. Nós nunca sabemos o que futuro guarda. 

Alguma dica para as pessoas que querem começar um canal no YouTube ou uma mídia de metal?

A&P: Faça isso porque você ama e pela cena. Não faça isso pelo dinheiro ou para ser famoso e ganhar visualizações. Se você fizer isso pelas razões certas, boas coisas vão acontecer e indepedentemente de onde isso terminar, isso sempre vai ser um sucesso e uma saída para a sua paixão. Além disso, se você fizer isso, faça 100%, não faça meia boca... pense sobre o que você gosta de ver e o que te motiva, incorpore isso na forma que você faz. Por último mas não menos importante, não escute os haters, pessoas sempre vão tentar puxar para baixo quando eles não conseguem alcançar aquilo. 

Podemos nos encontrar no Tuska Open Air na Finlândia? 

A&P: Nós estamos indo para a Finlândia, mas não ao Tuska. O festival mudou a idade mínima para acima de 18 anos, então nós vamos para o Dark River Festival em agosto. Se nós nos encontrarmos, as cervejas são na sua conta! Haha.

ACOMPANHE A&P - Reacts



Fonte: O Subsolo.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário