QUADRO NEGRO - #11 Por que não ir ao Black Flag


A imagem pode conter: texto
Esse meme, do meu amigo Damon Lebowski, é excelente! Isso faz pensar se a gente realmente curte o Black Flag ou se estamos apenas comemorando a contribuição da banda para o punk mundial.

Punks agradecidos? Sim, somos. Mas sejamos sensatos: apesar de Black Flag ser bom, com seis albuns de estúdio, a maioria de nós só ouviu o Damaged e o My War, ou seja, os dois primeiros.

Mesmo assim, além do logo incrível, Black Flag é uma instituição do punk e está prestes a vir ao Brasil pela primeira vez no Carioca Club, em São Paulo. O único da formação original a vir para esta tour, segundo o TMDQA, é Greg Ginn.

Greg Ginn: este homem é doente

Ginn tem um caráter tão fodido a ponto de ter abusado das suas duas filhas, deixando-as sem comida e sob suas ameaças. Um Google rápido e você pode ter maiores informações dos abusos que ele cometeu. Além disso, Ginn já processou quase todo mundo que passou pelo Black Flag alegando ser o dono de tudo o que envolve a marca. 

Quem em sã consciência processa Bill Stevenson?! 

Mas isso é motivo pra eu não ir no show?

De jeito nenhum! Vá ao show e veja o mito com os seus próprios olhos, até porque a Powerline, produtora que está organizando essa tour, é feita de gente super fina e competente, com certeza será um evento bem produzido - o do Against Me! não teve quem botasse defeito, por exemplo.

Porém...

Se você é (assim como eu) daqueles que, quando sabe que um abusador de crianças está no palco não consegue prestar atenção em mais nada porque isso te tira do sério de verdade e acha que agora que sabe que Greg Ginn abusou das suas duas filhas não vai conseguir curtir o rolê, por que não curtir um Netflix nesse dia? (É Greg Ginn, não é o Henry Rollins mesmo!)
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial