Resenha: Destino - 80 Rock (2018)

O Hard Rock com certeza é uma das vertentes mais excepcionais que existem no cenário do Rock e Metal. E quem consegue executar um Hard Rock com classe, consegue atingir até o público mais chato do Rock/Metal, conhecido como os tr00zão. O EP "Destino" da banda mineira 80 Rock, consegue resgatar a essência do Hard Rock dos seus primórdios, executando uma sonoridade a lá setentista e oitentista, com pitadas de modernidade. 



As vozes de Clayson Gomes transparecem calmaria em suas métricas vocais, porém, nas músicas que ousam exigir mais dos vocais, o vocalista consegue atender com extremo vigor e pontualmente afinadíssimo. Todos os membros tem uma qualidade musical absurda, Cristiano Plácido com bons riffs e solos na guitarra e Nério Vitor com uma bateria groovada e marcante.

Mas, como em toda obra tem o seu destaque e desde que ouvi 80 Rock pela primeira vez, quem me encantou os ouvidos sempre foi o tecladista Lúcio Maranhão. Linhas de teclado cada vez parece ser mais rato encontrar em bandas, não é um instrumento muito procurado/explorado nos dias atuais e portanto, quando aparece um tecladista de mão cheia, o resultado é este, linhas e obras primas com o teclado.


Como muitos dizem, aqui é apresentado um Rock classudo com boa pegada e dinâmica. Cozinha coesa, com uma linha de bateria muitíssimo bem trabalhada junto do baixo executada por Nério Vitor. Já o baixo tem uma dupla função, pois tem a responsabilidade de alternar com os vocais, aos cuidados do Clayson Gomes que tira essa 'dificuldade' de letra. E por se tratar de letras em Português, difícil não interligar a banda a grandes nomes do Rock Nacional dos anos 80's e 90's e principalmente pela inteligência na hora de escrever suas letras, sem falar que a métrica vocal casou perfeitamente com os arranjos, o que é difícil para quem compõem em língua pátria.

Enquanto a guitarra cumpre seu papel de ser riffada, groovada e com peso, excelente trabalho do Cristiano Placido, sendo que muitas vezes é o instrumento de maior destaque dentro de uma banda, mesmo ficando em segundo plano quando o teclado entra em ação. Já a mixagem e masterização do álbum também é realizado com muito profissionalismo. Sou do tipo cara chato que ouve minuciosamente os detalhes da produção, há quem diga que não faz diferença uma mixagem e masterização e até procuram pelo estúdio mais barato, mas a verdade é que um produtor de verdade, consegue fazer milagres até com equipamentos simples.


O disco foi um dos melhores de Hard Rock / Rock do ano de 2018 eleito pel'O SubSolo. E o resultado disso foi longe da amizade entre a banda e o site, e sim, pela qualidade do material e falando abertamente, pela qualidade da banda, pela luta, garra e determinação dos caras. Difícil expor tudo o que o disco representou para mim em 2018, foi uma das melhores coisas que ouvi no ano. 

TRACKLIST
01) Destino
02) Égo
03) Felicidade
04) Tomaram a Cidade
05) Noites sem Fim


06) Planalto Central

FORMAÇÃO

Clayson Gomes - vocal e baixo
Cristiano Placido - guitarra
Lúcio Machado - teclado

Nério Vitor - bateria
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário