24 abril, 2019

QUADRO NEDRO - #14 Dead Kennedys e o pôster da discórdia

Ah, se toda decepção com bandas punks fosse monetizada na nossa conta corrente, hein? Dava até pra gente passar um feriado no Cambodia!

Começamos com ironia pra falar de outra ironia: um pôster feito para a comemoração da tour de quarenta anos do ícone mundial punk Dead Kennedys com uma família heteronormativa estilizada de Bozo, vestida com uniformes da seleção brasileira, com duas crianças segurando fuzis em frente a uma comunidade pegando fogo e em sua frente, tanques de guerra com bandeiras de cifrões passando por cima de sangue (que escorre até o final do cartaz). Há ainda a frase em destaque que diz "eu amo o cheiro de pobres mortos pela manhã!".



O próprio Dead Kennedys reconheceu o quanto essa arte do Cristiano Suarez é incrível em seus stories no Instagram e pouco depois, emitiu um comunicado dizendo não apenas que não havia autorizado o cartaz como também "A mensagem básica da banda tem sido, e ainda é, pedir que as pessoas pensem por si mesmas, não para lhes dizer o que pensar".

Será que Nazi Punks Fuck Off não é posicionamento o bastante ou a gente entendeu tudo errado e California Uber Alles é uma ode ao aplicativo de serviços de transporte? 

Essa abstenção do Dead Kennedys não apenas frustra os fãs, mas mostra que o engajamento político da banda ficou no passado e, hoje em dia, os caras estão afim de público e vendas de ingressos, não importa quem vá ao show. Mesmo deletando a arte de suas contas nas redes sociais e emitindo nota, os fãs já tinham visualizado, comentado, compartilhado. Teria sido mais condizente com a sua história ter dito que esse é o pôster oficial e quem não curtiu, fuck off. Ao menos, era isso o que a gente esperava.

Em tempos de ascensão direitista, essa é a pior atitude que uma banda com expressão anarcopunk poderia ter tido e na página oficial do DK, chovem críticas, memes e "please, don't come to Brazil". 

Mas mesmo com a decepção, não esqueçam que Dead Kennedys é uma entidade e é muito maior que esse "peido na farofa". Jello Biafra era o coração da banda e saiu em 1986 - e tudo o que a gente ouve e ama do Dead Kennedys foi feito com ele ainda na formação. Esse Dead Kennedys de hoje, que está a caminho da América do Sul, é apenas uma banda cover de si mesma em seus tempos de maior expressividade.