#23 - De músico para músico - Comportamento - Como elaborar teste para entrada de músico na banda?

#19 - De músico para músico - Comportamento - Como elaborar teste para entrada de músico na banda?



Pois então pessoal, saiu integrante, ou você está montando a banda e precisa testar algum músico!

Parece simples convocar um ensaio, pedir pro fulano tirar os sons e bora tocar, mas, a gente sabe que não é assim que as coisas funcionam na vida real. Os cenários serão dois: Banda em andamento e banda iniciando.

Caso 1 - Banda em andamento, show marcados, com material gravado.

Essa situação é bem confortável pra banda, os músicos já tem entrosamento e as músicas já acontecem.

Sendo assim, o teste deve ter uma sequência de acontecimentos:

- Papo anterior sobre influências e marcar no estúdio escolhido,
- Apresentações;
- Papo leve, sempre dando espaço para o músico não se sentir intimidado;
- Aguardar o tempo do músico para iniciar, evitar barulho desnecessário;
- Assim que possível, passar as músicas, EVITAR ERROS;
- Não ficar tocando desenfreadamente seu instrumento para mostrar serviço;

Depois disso, o processo de avaliação deve consistir nos seguintes tópicos:

- O quão gente boa ou arrogante o avaliado se comportou;
- Velocidade em colocar o ensaio nos eixos;
- Precisão na execução das músicas;
- Se houve erros, o grau das desculpas apresentadas (faltou tempo, minha tia morreu, etc);
- Pós ensaio com entrosamento ou não;

Esses detalhes são ótimos para medir o futuro do integrante na banda.

Na hora de preparar o teste o que se deve pensar é:

- Horário do ensaio;
- Quantas músicas serão tocadas (o ideal seriam entre 3 e 5);
- Local do ensaio (se o fulano mora longe tem que pensar bem);
- Dificuldade das músicas (esse é um ponto delicado, tem que ver em as influências do fulano e escolher bem);

Cenário 2 - Banda nova, integrantes novos, sem material.

Geralmente nesse caso, o integrante que convidou o ou os futuros integrantes é quem fica mais desconfortável.

Os fatos devem ser os seguintes:

- Contato com clareza de informações (referências, proposta, cronograma aproximado, horários, locais);
- Evitar sonhar, ter precisão;
- Evitar pesar nas ideias da banda, ser rápido e eficiente, marcou esquece, não ficar cobrando;

Durante o ensaio as observações devem ser diferentes:

- Grau de entrosamento em primeiro lugar;
- Detalhamento para tirar as músicas (devem ser covers, afinal, as ideias surgirão a partir daí);
- Velocidade que as ideias de composição surgem;
- Interesse dos músicos;

Nesse formato, o avaliador poderá enxergar a situação com tranquilidade e assim tirar as conclusões sobre o teste.

A banda deverá soar de forma natural, como banda iniciante que de fato é

O teste deverá ser nos seguintes moldes:
- Definição de horário e local pelo anfitrião sem chance de troca;
- Seleção de músicas sem alteração, diferentes graus de dificuldade;
- A orquestração da banda deverá ser do anfitrião, e devem ser executadas em ordem variada;
- Pós ensaio com mini reunião e definições posteriores, nada de fechar as coisas com pressa;

Em ambas as situações o avaliador deve esperar para dar a decisão sobre o teste.

Nunca se deve cortar ou acatar de primeira assim, precisa pensar, estar com a cabeça fria, reviver a situação mentalmente e aí sim chegar numa decisão.

Quantos testes fazer? No mínimo 2, no máximo 5.

Nível musical conta muito, no mínimo 80%, porém jamais se deve deixar de lado a pessoa ser gente boa. Não adianta ser uma ótima pessoa e não suprir a necessidade da banda em ter um músico bom. E por outro lado, não adianta tocar muito e ser um chatão!

O ideal nem sempre é rápido. É isso, teste é complexo, leva tempo, é desgastante. Já que vai fazer, façamos direito, com qualidade e que os resultados sejam positivos.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial