04 novembro, 2019

Resenha: Royal Art - Kiko Shred (2019)

Não conhecia o artista antes de receber o disco físico, aliás, um amigo me apresentou a banda que na época cheguei a ouvir alguns sons e me parecia um projeto promissor e que estava prestes a estourar no Brasil. Quem viveu o auge do Angra, pode conferir nesse trabalho recente do Kiko Shred, tudo o que a banda acima citada teve de melhor em sua carreira.



Os vocais apresentados são líricos e super afinados, difícil não interligar a sonoridade com bandas como Shaman, Angra ou até mesmo Avantasia, apesar da distinção das línguas vocais. O instrumental em momento algum deixa a desejar, inclusive é relaxante ouvir algo com tanta técnica e ao mesmo tempo, sem encher linguiça. Nada é forçado, tudo é composto naturalmente. 

A única coisa que eu diria é para tentar não fazer muito mais do mesmo, boa parte do disco (que como disse lembra as bandas que citei anteriormente) é praticamente semelhantes, longe de ser plágio, apenas lembra. Seria bem melhor ao ouvir uma música e interligar diretamente ao Kiko Shred, tendo de alguma forma uma maneira de compor ou que esteja presente em suas músicas, ou seja, ter uma própria identidade sonora.

Deixando as críticas de lado, o disco não deixa a desejar. Para quem gosta de Power Metal ou Metal Sinfônico, vocais líricos, guitarras com bons solos e riffs, baixo cru e groovado e bons grooves de bateria, no fim, o disco acaba se tornando um prato cheio. Uma das melhores coisas foi a qualidade da gravação, impecável em cada instrumento, cada detalhe foi minuciosamente cuidado com muita atenção e isso é o que separa os homens dos meninos.

Material enviado pela Heavy Metal Rock.



TRACKLIST
01) I Will Cast No More (Pearls Before the Swine)
02) Achemy’s Fire
03) Merlin’s Magic
04) Straight Ahead
05) Royal Art
06) Over the Edge
07) Tébas
08) Mortal
09) The Knights of the Round
10) Cagliostro

FORMAÇÃO
Kiko Shred – guitarras
Lucas Tagliari Miranda – bateria
Will Costa – baixo
Mario Pastore – vocais