19 dezembro, 2019

Talvez Desconhecido: Lifelover (SUE) #16

Vem chegando as festividades de final de ano e para muitos é uma época de alegria, de reunir a família, confraternizar e por aí vai. Porém, em contrapartida, essa época possui também uma aura depressiva e com ares de solidão, dependendo da sua ótica. Pois bem, evidenciando isso, nada melhor do que apresentar uma banda que levou os sentimentos lúgubres para um nível acima ao apresentar um fim trágico após a morte do seu criador. Conheça o Lifelover.

O SUBSOLO | TALVEZ DESCONHECIDO#16

Formada em 2005 na Suécia por Kim Carlsson nos vocais e guitarra, e Jonas "B" responsável por vocais, guitarra e piano, o duo chegou a gravar uma demo que nunca foi lançada, nela constavam dois sons mais na linha Dark Ambient. Pouco tempo depois os músicos conhecidos como LR1853 foram recrutados e o álbum tão esperado foi lançado em maio de 2006, obtendo a parceria no lançamento da Goatowarex em julho do mesmo ano.

Com essa formação eles lançaram um marco para o estilo, o álbum Pulver apresenta bases do que viria a ser o DSBM (Depressive Suicide Black Metal), porém, não somente por isso, pois é possível identificar inclusive traços de Gothic Rock, Doom, e Death Metal. Esse trabalho é marcante também pela sua capa bem polêmica e adorada na época. Dando ênfase para a sonoridade, se você ouvir esse trabalho hoje, entenderá de onde vem a fonte de influência para muitas bandas de DSBM, destaque para as faixas: Nacksott e Kärlek - Becksvart Melankoli.

Mais mudanças na formação, adicionando Fix no baixo, o guitarrista H e o baterista S, a banda lança o segundo trabalho Erotik em 2007, que considero mais maduro e com mais influências de outros estilos. Na verdade, até mais leve que a sua estréia, porém mantendo a melancolia nesse trabalho. O que faltava apenas era a banda se apresentar ao vivo, fato esse que ocorreu na capital sueca no ano de 2008.

Ainda no mesmo ano é lançado o terceiro trabalho Konkurs, na minha opinião, o melhor trabalho da banda, pois volta a apresentar os vocais desesperados com letras ainda mais melancólicas, um marco para a música extrema e uma obrigação para todo fã do metal negro possuí-lo.

Em 2009 um EP, o Dekadens, trouxe uma novidade para o Lifelover, pois apresenta uma bateria gravada ao vivo e não programada, como era nos trabalhos anteriores. Cortesia feita por Non, que infelizmente se separou da banda antes do seu quarto lançamento Sjukdom, que tem uma carga emocional maior, pois é a despedida do Lifelover. Este não foi o trabalho mais brilhante, mas as características do som produzido pela banda, principalmente os vocais agoniantes, foram mantidas.

Em setembro de 2011, a banda comunica em suas redes sociais o falecimento de B, o motivo foi morte acidental por uso de medicamentos, o que excluiu a ideia de suicídio, vinculada na época. 

"Estamos muito tristes em informar que ontem o nosso colega e irmão B. faleceu. Os shows hoje e amanhã ainda serão realizados, mas de uma forma diferente em sua honra. A declaração final com mais detalhes está por vir."

Por decisão dos músicos e respeito ao colega falecido a banda se separa, os membros remanescentes foram para outros projetos. Caso você queira conhecer mais do Depressive Suicide Black Metal, o Lifelover é uma ótima pedida, serve para amantes da vida na sua maneira sombria, pois deixou um legado musical intenso.